Elipse – Figura de linguagem

A elipse é uma figura de linguagem referente à construção sintática de uma frase. Confira agora alguns exemplos e a diferença entre elipse e zeugma.

0

A elipse está relacionada à construção sintática dos enunciados. Por isso, essa figura de linguagem está na categoria de figuras de sintaxe.

Ela é utilizada para referenciar termos que não foram mencionados na sentença, mas que podem facilmente ser identificados. Assim, pode haver a omissão do sujeitoverbo, advérbio ou conjunção. Normalmente, essa forma de linguagem é aplicada em discursos informais.

Além disso, a elipse costuma ser empregada com a intenção de dar maior fluidez ao texto, já que a repetição de termos é evitada. Porém, é importante ter a certeza de que os termos podem desaparecer sem fazer falta.

Exemplos de elipse

Confira alguns exemplos de elipse:

  • Chegamos tarde ontem. (Omissão do termo “nós”.)
  • Neste carnaval, não quero mais saber. (Omissão do termo “eu”.)
  • Não a vimos, por isso fomos embora. (Omissão do termo “nós”.)
  • Não sou alegre e nem triste. (Omissão do termo “eu”.)

Diferença entre elipse e zeugma

O zeugma é uma forma de elipse que também omite um ou mais termos. Mas, nesse caso, o termo deve ter sido citado anteriormente na frase. Com relação à elipse, não existe essa necessidade, já que o termo ausente pode ser identificado pelo contexto. Confira alguns exemplos de zeugma:

  • Júlia pegou o copo, eu, prato. (Omissão dos termos “peguei o”.)
  • Luzia é aluna do sexto ano, Maria, do quinto. (Omissão dos termos “é aluna”.)
  • Eu comprei um bolo, Gisele, torta. (Omissão dos termos “comprou uma”.)
  • Eu gosto de rosa, ela, de amarelo. (Omissão do termo “gosta”.)
É importante alertar que para utilizar o zeugma, é obrigatório o uso de vírgula ou ponto final.

Leia também: Língua e linguagem: Qual a diferença?

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.