Os Ataques Terroristas de 11 de setembro

Na manhã do dia 11 de setembro de 2001, o mundo assistiu espantado ao maior atentado terrorista de todos os tempos.

0

Na manhã do dia 11 de setembro de 2001, o mundo assistiu espantado ao maior atentado terrorista de todos os tempos. O ataque as torres do World Trade Center e ao Pentágono por radicais islâmicos fez desmoronar a imagem de um Estados Unidos imbatível e onipotente, a mais poderosa potência mundial foi pega de surpresa. As ações sincronizadas dos terroristas causaram pânico não só nos norte-americanos, mas também em toda a comunidade ocidental.

As ações terroristas foram iniciadas após o sequestro de quatro aviões de carreira, cada um já possuía um alvo pré-estabelecido, dezenove sequestradores estavam a bordo dos voos. As transmissões em tempo real do evento para televisões de todo mundo aumentaram a consternação em torno dos ataques, cerca de três mil pessoas morreram nesse dia. Dos quatro aviões, três atingiram os seus alvos: dois colidiram com as torres gêmeas, símbolo do poderio econômico dos Estados Unidos e um foi lançado contra o Pentágono, sede do poder político-militar norte-americano. O quarto avião da United Airlines, caiu na Pensilvânia após os passageiros e a tripulação entrarem em um confronto com os terroristas na tentativa de retomar o controle do vôo.

Ataque World Trade Center
Ataque World Trade Center – Autor: Robert

A torre norte foi a primeira a ser atingida por volta das 8h45 da manhã, as pessoas em um primeiro momento acreditavam tratar de um acidente, após a colisão as pessoas que estavam na torre sul receberam um alerta de emergência para evacuar o prédio, porém os seguranças do edifício na tentativa de conter o pânico pediram que todos voltassem ao trabalho e deixaram claro que todos estavam seguros. Alguns minutos depois as 9h03 outro avião seria usado como arma para atingir a torre sul, todas as pessoas que estavam nos andares acima do ponto de impacto na torre norte morreram, algumas pessoas na torre sul conseguiram sobreviver graças a uma escada que permaneceu intacta. Imagens transmitidas de pessoas acenando nas janelas dos prédios atingidos na expectativa de que fossem resgatadas, aumentaram o cenário de terror em volta do acontecimento.

O onze de setembro expôs a fragilidade do sistema de segurança dos aeroportos e do espaço aéreo norte-americano, o maior representante do poder mundial desde o fim da Guerra Fria mostrou ao mundo que não era imbatível. Para reverter essa situação os Estados Unidos iniciaram uma verdadeira caçada ao responsável pelos ataques e ao que tudo indica o grupo fundamentalista islâmico Al-Qaeda, liderado pelo milionário saudita Osama Bin Laden, seria o protagonista das ações.

O fundamentalismo islâmico é uma corrente ideológica de natureza religiosa que visa orientar todos os aspectos da sociedade, inclusive a política a partir do seu livro sagrado: o Alcorão. As constantes crises sócio-políticas no Oriente Médio fizeram da região um terreno fértil para a propagação de grupos fundamentalistas. A aliança dos Estados Unidos com Israel e sua política intervencionista contribuíram para o aumento do ódio dos grupos radicais em relação aos norte-americanos e a todos que demonstrassem apoio a eles, dessa forma, o Ocidente se torna o principal alvo dos fundamentalistas, estes fazem dos ataques terroristas um meio para impor medo e respeito nos colaboradores do regime representado pelos norte-americanos. As ações assistencialistas desses grupos islâmicos facilitam o recrutamento de novos membros para as organizações terroristas.

Logo após os ataques do onze de setembro, a Al Qaeda assumiu a autoria dos atentados, a organização foi criada por Osama Bin Laden durante a invasão das tropas soviéticas ao Afeganistão. A princípio, a Al Qaeda pretendia expulsar os soldados da União Soviética, que invadiram o país na tentativa de implantar o comunismo na região, esse evento contou com o apoio dos Estados Unidos às tropas afegãs. Bin Laden recebeu treinamento e apoio da CIA para combater os russos. Quando os Estados Unidos invadiram o Iraque durante a Guerra do Golfo em 1991 e instalaram bases militares no Oriente Médio, Bin Laden se sentiu ameaçado iniciando uma campanha contra a interferência norte-americana. A atitude de Osama levou o rei saudita a expulsá-lo da Arábia Saudita, o fato marcou o início de uma intensa campanha ideológica contra os Estados Unidos que desencadearia em uma série de atentados iniciados em 1992.

Trajetória dos aviões do ataque terrorista de 11 de setembro
Trajetória dos aviões do ataque terrorista de 11 de setembro

Osama Bin Laden buscou refúgio no Sudão e lá montou sua base militar dando início a uma onda de ataques contra os Estados Unidos, o primeiro a ganhar repercussão mundial ocorreu em 1993 quando terroristas ligados a ele explodiram uma bomba no World Trade Center deixando seis vítimas fatais. O próximo ataque ocorreu na cidade de Riad, na Arábia Saudita com a explosão de um carro bomba, esse evento motivaria o governo do Sudão a expulsar Bin Laden de seu território, dessa vez o terrorista encontraria abrigo no Afeganistão e ganharia o apoio do grupo terrorista Talibã, simpático a ideologia fundamentalista difundida por Osama.

O líder da Al Qaeda responsabilizava os Estados Unidos por todos os problemas enfrentados pelos muçulmanos, para ele o extermínio da maior potência mundial significaria o fim dos regimes opressores ocidentais. Em 1998 os ataques terroristas contra as embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia resultou na contraofensiva das forças militares americanas que tentaram neutralizar Bin Laden através de bombardeios aos campos de treinamento da organização terrorista. A retaliação não surtiu efeito e abriu espaço para o planejamento do mais audacioso ataque terrorista da história mundial: os atentados terroristas do dia onze de setembro.

Osama Bin Laden conquistou o seu objetivo, demonstrou através dos seus ataques que a nação norte-americana não era invencível, o episódio renderia a ele o status de homem mais procurado do planeta. Os Estados Unidos iniciaram uma verdadeira guerra ao terrorismo recebendo o apoio do governo britânico. O governo afegão acusado de abrigar o terrorista foi invadido pelas tropas americanas e britânicas, a guerra visava capturar Bin Laden e libertar as cidades do governo instituído pelos fundamentalistas do grupo Talibã. Apoiados pela ONU, os Estados Unidos nomearam um novo governo para o Afeganistão, mas a medida não foi capaz de sanar os conflitos espalhados por todo o país.

O alto custo da guerra ao terror deixaria os Estados em uma situação de crise financeira antes vivenciada apenas pela crise econômica de 1929. Com o fim do governo de George W. Bush e o início do governo do presidente Barack Obama, as tropas militares aos poucos foram sendo retiradas do Afeganistão. No dia primeiro de maio de 2011, Obama anunciou que Osama Bin Laden havia sido capturado e morto por uma força especial da Marinha norte-americana na cidade Abbottabad, próximo a Islamabad, capital do Paquistão. Segundo o presidente americano o corpo do terrorista foi lançado ao mar, fotos de Bin Laden após a sua morte nunca foram divulgadas, essa estratégia foi adotada na tentativa de evitar uma rebelião liderada pelos seguidores de Osama.

Lorena Castro Alves
Graduada em História e Pedagogia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.