Platelmintos – Resumo, características, reprodução, classes, doenças

O filo Platyhelminthes (platelmintos), os conhecidos vermes, é assim denominado por sua forma achatada e associação a etmologia grega. Conheça quais são!

Os platelmintos, popularmente conhecidos como vermes, englobam aproximadamente 20 mil espécies de animais acelomados.

Pertencentes ao filo Platyhelminthes, ou basicamente platelmintos, eles incorporam o grupo de organismos cujo corpo é alongado e achatado dorsoventralmente.

Esses vermes podem tanto viver livremente, na água ou terra, ou ser parasitas de demais animais, como é o caso do ser humano.

Por que o filo dos platelmintos recebeu esse nome?

A nomenclatura dos platelmintos foi assim atribuída pela associação a seu termo etimológico grego:

Platys (plano, achatado) + helminthes (verme)

Características

O filo Platyhelminthes é o grupo pioneiro na constituição de simetria bilateral, tendo o seu corpo fragmentado em duas partes idênticas. Eles são triblásticos, ou seja, possuem três folhetos germinativos são acelomados e segmentados.

Quanto ao sistema digestório, o desses animais é incompleto e, em alguns casos, ausente, como a Taenia. O sistema excretor é composto por protonefrídio e a respiração é cutânea, se dando pelo processo de difusão.

Porém, os animais platelmintos não detém de sistema circulatório.

Com um sistema nervoso centralizado e ganglionar, a dupla de gânglios nervosos presentes se espalham pelo corpo e trabalham na atuação dos músculos e na recepção dos estímulos.

Sistema reprodutor

Os platelmintos possuem tanto a reprodução assexuada quanto a sexuada.

Reprodução assexuada

Na reprodução assexuada, as planárias se reproduzem mediante a fragmentação do corpo, ainda que não seja essa a forma primordial de reprodução.

O fragmento restabelece a planária completa, isso mediante a sua capacidade regenerativa. Os seus elementos concebem o corpo inteiro, isso se fragmentado até um décimo do tamanho total.

Além das planárias, outras espécies que possuem a reprodução assexuada são as larvas do esquistossomo. Um exemplo é a rédia, cuja reprodução assexuada concebe múltiplas formas de larva, denominadas cercárias.

Reprodução sexuada

Entre as espécies, alguns são dioicas (sexos separados), como é o caso dos esquistossomos, e outras monoicas (hermafroditas), que é o caso das planárias e tênias.

O sistema reprodutor feminino e masculino das planárias são distintos.

No feminino, há um par de ovários ligados aos tubos, os ovidutos, local que são liberados os óvulos maduros.

Já no masculino, os múltiplos testículos são vinculados por um tubo, em que os espermatozoides atingem os ductos distintos. Eles conduzem os espermatozoides até o pênis, localizado no átrio genital comum.

Classes dos platelmintos

Os platelmintos são agrupados em três classes: Turbellaria (turbelários / planárias), Trematoda ( trematódeos / esquistossomos) e Cestoda (cestoides / tênia).

Classe Turbellaria

planaria

A classe turbellaria é articulada por hermafroditas, estas detém de uma autofecundação rara.

Na cópula, os organismos vivos deixam os seus poros genitais pareados e as suas células espermáticas objetivam a fecundação do óvulo, dando origem a múltiplos vigotos.

Depois, uma cápsula envolve o zigoto, lhe protegendo, possibilitando que a partir desse possam ser inseridos no substrato em que habitam.

Classe Trematoda

Esquistossomos

Na classe trematoda, há os endoparasitas assim como ectoparasitas, cujas ventosas cercam a boca e a região ventral, empregados na fixação do parasita ao hospedeiro.

Entre eles, há as espécies hermafroditas, como é o caso da fasciola hepatica, parasitas do fígado de carneiro e também humano.

Do mesmo modo, os de sexos separados, os quais se enquadram schistosoma mansoni, parasitas de vasos intestinais e veias do fígado humano.

Classe Cestoda

tenia

Na classe cestoda enquadram-se os parasitas intestinais dos animais vertebrados, sendo um exemplo as tênias.

Doenças causadas pelos platelmintos

Configurados como vermes, os platelmintos podem acarretar em diferentes doenças.  Entre elas, estão a esquistossomose teníase, a cisticercose e o cisto hidático (hidatidose).

Esquistossomose teníase

barriga de água

A esquistossomose é caracterizada como uma doença infecciosa parasitária. A sua causa é a presença do verme Schistosoma mansoni​, paradeiro do fígado e intestino de ser humano.

Popularmente conhecida como barriga d’água, dependendo do caso clínico ela pode até acarretar no quadro de morte.

Teníase e cisticercose

teníase

A teníase é uma enfermidade causada pelos platelmintos Taenia solium e Taenia saginata (tênia), que detém como hospedeiro o ser humano. Elas são também denominadas como solitárias, pois só uma parasita o seu hospedeiro.

Todavia, entre ambas, a distinção está no hospedeiro intermediário, sendo que para a Taenia solium é o porco e a Taenia saginata, o boi.

Cisto hidático (hidatidose)

hidatidose

O cisto hidático ou hidatidose é também uma doença parasitária, sendo causa pela larva do verme Echinococcus granulosus.

Esse parasita se concentra somente no intestino do cachorro.

Você pode se interessar:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More