Poemas visuais – O que são, autores e exemplos

Totalmente fora dos padrões formais, nas poesias visuais predominam os efeitos gráficos e sonoros. Conheça alguns autores e obras do gênero.

0

Um dos principais intuitos da poesia é a expressão de sentimentos, independente da forma de apresentação.

O que são poemas visuais? A poesia visual, como o próprio nome nos indica, é aquela onde os recursos visuais são abundantemente explorados, embora eles não excluam outras possibilidades literárias, sejam elas sonoras ou verbais, por exemplo.

Mas de modo geral, a sua característica predominante é o uso dos elementos, como o próprio nome diz, visuais. Ou seja, tudo aquilo que dá ideia de movimento e dinamicidade.

Poesia concreta

Foi no século XX que o movimento de vanguarda concretista teve início na Europa. No Brasil, somente em 1956, durante a “Exposição Nacional de Arte Concreta”, realizada no Museu de Arte Moderna, em São Paulo, que ele despontou.No mesmo ano foi publicado o Manifesto da Poesia Concreta.

Também chamada de poema-objeto, ela prima pela exploração dos aspectos gráficos que são preenchidos pelos autores travando uma relação muito próxima com entre a palavra, imagem e a sonoridade.

Apesar de ser uma herança do modernismo, a poesia concreta ainda é muito explorada. Atualmente, no Brasil, um dos maiores nomes do gênero é Arnaldo Antunes, que é conhecido principalmente na sua atuação na música.

Algumas das principais características são o uso da linguagem verbal e não-verbal, experimentalismo, supressão da estrutura de verso e estrofe, ausência do eu lírico, predominância de aspectos geométricos, efeitos semânticos gráficos e sonoros, entre outros.

No Brasil, os principais autores de poesias concretistas, além de Antunes, foram Ferreira Gullar, Haroldo de Campos e Augusto de Campos (conhecidos como os Irmãos Campos) e Décio Pignatari.

Poesia cinética

Entre as classificações dos poemas visuais, está a poesia cinética. Ela caracteriza-se principalmente pela disposição dos elementos gráficos de forma a trazer movimento e velocidade para o texto.

Ou seja, eles não são criados apenas para serem lidos, como os poemas tradicionais, e sim, para que o seu conteúdo se transforme em algo físico e palpável. Uma das principais características é a valorização da transmissão da mensagem por si, sem qualquer outra finalidade.

Cromossomos – Arnaldo Antunes

Poema Visual de Arnaldo Antunes: Cromossomos

O Pulsar – Augusto de Campos

Poema Visual O Pulsar de Augusto de Campos

Xícara – Fábio Sexugi

Velocidade – Ronaldo Azeredo

Poemas visuais engraçados: Velocidade - Ronaldo Azeredo

Invento – Arnaldo Antunes

poemas visuais com interpretação: Invento - Arnaldo Antunes

Poeminhas Cinéticos – Millôr Fernandes

poemas visuais engraçados: Poeminhas Cinéticos

poemas visuais engraçados de Millôr Fernandes

Coca Cola – Décio Pignatari

poemas visuais com interpretação: Coca Cola - Décio Pignatari

Lixo Luxo – Augusto de Campos

Poemas visuais curtos: Lixo Luxo - Augusto de Campos

Escada – Avelino de Araújo

Verde erva – Ferreira Gullar

exemplo de poemas visuais: Verde erva - Ferreira Gullar

Campo Amplo – Arnaldo Antunes

Poemas Visuais de difícil interpretação: Campo Amplo - Arnaldo Antunes

Palavras – Augusto de Campos

Poemas Visuais Legais: Palavras - Augusto de Campos

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.