Questões sobre a Semana de Arte Moderna de 1922

Confira as questões sobre a Semana de Arte Moderna de 1922 que separamos para você!

0

Confira as questões que a equipe do Escola Educação separou para você sobre a Semana de Arte Moderna, um importante evento que proporcionou uma ruptura cultural na arte do Brasil.

Ocorrida na cidade de São Paulo, ela contou com a participação de diversos artistas das mais variadas áreas.

Questões sobre a Semana de Arte Moderna de 1922

1 — Até o início da década de 1920, o Brasil possuía uma cultura conservadora e acadêmica. Nesse sentido, a Semana de Arte Moderna tinha como principal objetivo:

a) Difundir uma expressão nova e moderna da arte brasileira.
b) Difundir uma expressão antiga e clássica da arte brasileira.
c) Difundir uma expressão rebelde e inovadora da arte brasileira.
d) Difundir uma expressão antiga e contemporânea da arte brasileira.

2 — Durante os dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, a cidade de São Paulo foi o cenário desse encontro artístico que contou com a participação de:

a) Escritores, atores, arquitetos, escultores e pintores.
b) Escritores, intelectuais, arquitetos, escultores e músicos.
c) Escritores, intelectuais, atores, músicos e pintores.
d) Escritores, intelectuais, arquitetos, escultores e pintores.

3 — Qual foi o local da capital paulista que comportou a Semana de Arte Moderna?

a) Teatro Municipal de São Paulo
b) Museu de Arte de São Paulo – MASP
c) Museu da Imagem e do Som – MIS
d) Galeria do Rock

4 — (UDESC) A Semana da Arte Moderna de 1922 tinha como uma das grandes aspirações renovar o ambiente artístico e cultural do país, produzindo uma arte brasileira afinada com as tendências vanguardistas europeias, sem, contudo, perder o caráter nacional; para isso contou com a participação de escritores, artistas plásticos, músicos, entre outros. Analise as sequências que reúnam as proposições corretas em relação à Semana da Arte Moderna.

I. O movimento modernista buscava resgatar alguns pontos em comum com o Barroco, como os contos sobre a natureza; e com o Parnasianismo, como o estilo simples da linguagem.

II. A exposição da artista plástica Anita Malfatti representou um marco para o modernismo brasileiro; suas obras apresentavam tendências vanguardistas europeias, o que de certa forma chocou grande parte do público; foi criticada pela corrente conservadora, mas despertou os jovens para a renovação da arte brasileira.

III. O escritor Graça Aranha foi quem abriu o evento com a sua conferência inaugural “A emoção estética na Arte Moderna”; em seguida, apresentou suas obras Pauliceia desvairada e Amar, verbo intransitivo.

IV. O maestro e compositor Villa-Lobos foi um dos mais importantes e atuantes participantes da Semana.

V. As esculturas de Brecheret, impregnadas de modernidade, foram um dos estandartes da Semana; sua maquete do Movimento às Bandeiras foi recusada pelas autoridades paulistas; hoje, umas das esculturas públicas mais admiradas em São Paulo.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo:

a) II, III e V.
b) II, IV e V.
c) I e III.
d) I e IV.
e) II e V.

5 — O movimento modernista visava resgatar as raízes culturais do Brasil, valorizando:

a) As raízes do país através de obras inspiradas pelas vanguardas orientais, como o cubismo e o expressionismo.
b) A identidade sul-americana através de obras inspiradas pelas vanguardas americanas, como o surrealismo e o dadaísmo.
c) A identidade nacional através de obras inspiradas pelas vanguardas europeias, como o futurismo, cubismo e expressionismo.
d) A identidade nacional através de posicionamentos políticos de tendência socialista.

6 — (Enem 2012)

O trovador

Sentimentos em mim do asperamente
dos homens das primeiras eras…
As primaveras do sarcasmo
intermitentemente no meu coração arlequinal…
Intermitentemente…
Outras vezes é um doente, um frio
na minha alma doente como um longo som redondo…
Cantabona! Cantabona!
Dlorom…
Sou um tupi tangendo um alaúde!

ANDRADE, M. In: MANFIO, D. Z. (Org.) Poesias completas de Mário de Andrade.
Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.

Cara ao Modernismo, a questão da identidade nacional é recorrente na prosa e na poesia de Mário de Andrade. Em O trovador, esse aspecto é:

a) abordado subliminarmente, por meio de expressões como “coração arlequinal”, que, evocando o carnaval, remete à brasilidade.
b) verificado já no título, que remete aos repentistas nordestinos, estudados por Mário de Andrade em suas viagens e pesquisas folclóricas.
c) lamentado pelo eu lírico, tanto no uso de expressões como “Sentimentos em mim do asperamente” (v. 1), “frio” (v. 6), “alma doente” (v. 7), como pelo som triste do alaúde “Dlorom” (v. 9).
d) problematizado na oposição tupi (selvagem) x alaúde (civilizado), apontando a síntese nacional que seria proposta no Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade.
e) exaltado pelo eu lírico, que evoca os “sentimentos dos homens das primeiras eras” para mostrar o orgulho brasileiro por suas raízes indígenas.

7 — O movimento modernista teve grande importância entre 1922 e 1930, quando foram publicados diversos livros, manifestos e revistas. Os principais, foram:

a) Manifesto Antropofágico; Manifesto do Brasil e Macunaíma.
b) Manifesto Antropológico; Manifesto do Brasil e Macunaíma.
c) Manifesto Antropofágico; Pau-Brasil e Macunaíma.
d) Manifesto Antropofágico; Pau-Brasil e Manifesto Aborígene.

8 — O Verde-Amarelismo, movimento literário criado por Plínio Salgado, Menotti Del Picchia e Cassiano Ricardo, defendia:

a) A influência europeia e desconsiderava as tendências nativistas.
b) O nacionalismo mesclado, com tendências europeias e nativistas.
c) O nacionalismo puro, com tendências nativistas e livre de influências europeias.
d) A influência oriental, adotando práticas chinesas na produção das obras.

Gabarito

1- A
2- D
3- A
4- B
5- C
6- D
7- C
8- B

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.