Síndrome de Burnout – Saiba tudo sobre essa doença e as profissões mais afetadas

Os professores são um dos principais a terem a Síndrome de Burnout. Saiba o que é, seus sintomas, diagnóstico, os tratamentos e descubra outras profissões muito afetadas.

0

A Síndrome de Burnout, mais conhecida como síndrome do esgotamento físico, vem se mostrando mais comum entre diversos profissionais, resultante de um esgotamento físico e psicológico, por situações de tensão emocional e estresse.

Burnout foi incluída recentemente na nova Classificação Internacional de Doenças (CID-11) pela OMS (Organização Mundial De Saúde).

O que é a Síndrome de Burnout?

É um distúrbio psíquico, acarretado por exaustão extrema, estresse e esgotamento físico e mental. Essa situação é decorrente das atividades ou ambiente profissional que se está inserido.

Acontece quando há muito desgaste, competitividade, responsabilidade e, principalmente, quando exige um envolvimento interpessoal direto e intenso.

A síndrome pode acontecer, também, quando há uma cobrança muito intensa em profissional que é designado para atividades muito difíceis e este se acha incapaz para cumpri-las.

A Síndrome de Burnout é uma doença recém-classificada na lista de doenças internacionais e com esse passo, vem sendo levada mais a sério.

O termo vem do inglês “burn” que significa queima e “out” exterior.

Quais os sintomas da Síndrome de Burnout?

Essa síndrome pode ter diversos sintomas, que são refletidos por esse esgotamento e estresse físico e emocional.

Os principais sintomas são:

  • cansaço excessivo;
  • dor de cabeça frequente;
  • alterações no humor e no apetite;
  • tristeza excessiva;
  • não querer sair de casa;
  • problemas gastrointestinais;
  • insônia;
  • irritabilidade;
  • nervosismo;
  • sentimentos de fracasso e insegurança;
  • negatividade;
  • constante isolamento;
  • fadiga;
  • ansiedade;
  • depressão.

Inicialmente, esses sintomas aparecem de forma leve, mas pioram ao decorrer do tempo.

Além disso, pessoas diferentes podem ter e apresentar sintomas diferentes, não são necessariamente os mesmos ou acontecem todos juntos.

Diagnóstico da Síndrome de Burnout

O diagnóstico deve ser realizado por um profissional especialista em saúde mental, psicólogo ou psiquiatra, a partir dos sintomas apresentados.

Somado a isso, esse diagnóstico deve ser feito, também, ao analisar o histórico atual do paciente e seu envolvimento pessoal com o trabalho. Porém, de início, é importante que os amigos, familiares, ou pessoas ao redor desse profissional, do trabalho ou não, o ajudem a notar esses sintomas.

Além disso, devem incentivar essa busca do profissional de saúde mental para poder realizar o tratamento e se ver livre dessa síndrome.

Tratamento

Como a síndrome é um transtorno psíquico, o tratamento proposto pelo profissional de saúde pode ser só a psicoterapia, ou pode envolver medicamentos.

O acompanhamento psicológico é muito importante para as pessoas em geral no dia a dia e, nesse caso, se torna indispensável.

Outro tratamento necessário é a mudança no estilo de vida e nos hábitos, pois o ambiente e as atividades que levaram o paciente a esse estado não podem ser as mesmas, ou a situação não mudará.

Além disso, atividades físicas e relaxantes são recomendados para ajudar a controlar os sintomas. Também, é recomendado que o profissional tire férias e se afaste do ambiente de estresse em que estava inserido antes.

Síndrome de Burnout é recorrente em professores

Os professores estão entre os mais afetados com essa síndrome, pois o ambiente de trabalho de um professor costuma ser sempre muito agitado e a carreira de um docente não é recebe o respeito e reconhecimento merecido.

Síndrome de Bunrout em professores

Seria muito importante que os professores já tivessem um acompanhamento psicológico em toda sua carreira, para evitar problemas psicológicos por conta do grande desgaste.

Entre os professores alguns fatores são responsáveis por desenvolverem essa síndrome, como:

  • acúmulo de tarefas e atividades para desempenhar;
  • dedicação intensa;
  • falta de autonomia;
  • falta de respeito e consideração entre os membros da equipe e por alunos;
  • alguns fazerem turnos dobrados de trabalho por conta da baixa renda;
  • o intenso relacionamento interpessoal direto.

Outras profissões muito afetadas pela Síndrome de Burnout

  • Enfermeiros;
  • Médicos;
  • Policiais;
  • Bombeiros;
  • Jornalistas;
  • Advogados;
  • Agentes Penitenciários.

Por fim, deve-se ressaltar que é importante a familiarização com esse termo, com seus sintomas e tratamento, pois a Síndrome de Burnout vem se mostrando comum entre muitos profissionais e deve ser levada a sério.

Além disso, é necessário pontuar que diversos tipos de profissionais podem estar sujeitos a essa síndrome e todos devem se manter atentos aos sintomas e saúde emocional.

Conteúdo relacionado:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.