TSE considera abolir o Telegram no Brasil para evitar fake news nas eleições de 2022

Entenda detalhadamente o motivo dessa medida do TSE.

O Telegram é um dos aplicativos de troca de mensagens on-line mais populares do mundo e considerado um potente rival do WhatsApp. Entretanto, por ser tão versátil e estar presente em metade dos celulares dos brasileiros, se torna facilmente um veículo de notícias falsas.

Assim, é comum que encontremos diversas teorias da conspiração acerca do sistema eleitoral do país, sendo que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tomou conhecimento da situação. Dessa forma, é esse o motivo pelo qual o TSE considera abolir o Telegram no Brasil para evitar fake News nas eleições de 2022.

Leia mais: Eleições 2022: agora você pode consultar seu local de votação pela internet. Saiba como!

Consideração do TSE para abolir o Telegram no Brasil nas eleições de 2022

Há algum tempo o TSE vem tentando entrar em contato com representantes do Telegram, mas sem sucesso. Em dezembro de 2021, Luís Roberto Barroso, presidente da Corte, decidiu enviar um ofício solicitando uma reunião ao diretor-executivo do Telegram, Pavel Durov.

O objetivo do encontro seria discutir formas de eliminar a desinformação e as notícias falsas em circulação na plataforma. No entanto, Barroso não obteve resposta de Durov.

Até o presente momento, Barroso tenta reunir esforços para resolver a questão do Telegram com os próximos presidente e vice-presidente do TSE. A medida tem como propósito elaborar ações para proteger o processo eleitoral e conter a propagação de fake news.

Telegram não responde ao TSE

O TSE afirmou que enviou o ofício a dois e-mails e também a um endereço físico nos Emirados Árabes. Porém, não obteve resposta com o envio das mensagens e ninguém foi localizado no endereço.

Ademais, Barroso afirmou no começo de janeiro que, se a plataforma continuasse ignorando a Justiça Eleitoral, o serviço do Telegram seria suspenso no país. Isso porque o descumprimento da legislação eleitoral resulta em consequências.

Por fim, o TSE já conta com a parceria de outros aplicativos no Brasil que dispõem de ferramentas para combater a desinformação. Entre eles estão o WhatsApp, Twitter, Google, Instagram e Facebook, o que faz o Telegram ser a exceção do grupo.

Então, agora que você sabe o motivo pelo qual o TSE considera abolir o Telegram no Brasil, acompanhe o blog do Escola Educação e tenha acesso a muitos outros materiais, curiosidades e notícias de todo o Brasil!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More