Umberto Boccioni – Biografia resumida e principais obras

Detalhes sobre a vida do italiano que é considerado como o mais importante teórico do futurismo.

Nascido em Reggio di Calabria, Itália, no dia 19 de outubro de 1882, Umberto Boccioni foi um importante pintor e escultor ligado ao movimento artístico que ficou conhecido como Futurismo.

Quem foi Umberto Boccioni

Em 1901, acompanhado de toda a família, deixou sua cidade natal e mudou-se para Roma. Lá, trabalhou como ilustrador e produtor de cartazes.

Nos primeiros anos do século XX, Boccioni formou-se no ateliê de Giacomo Balla, junto com Gino Severini. Foi lá que ele aprendeu as técnicas da pintura neo-impressionista, tornando-se mestre, ainda que de menor importância, do divisionismo italiano de Segantini e Balla.

No ano de 1906 foi para a capital da França, onde estudou a pintura impressionista e pós-impressionista. Passou pela Rússia e no ano seguinte efetuou matrícula na Scuola libera del Nudo del Regio Istituto di Belle Arti, em Veneza.

Em 1908 fixou residência na cidade de Milão e já no ano seguinte, depois de conhecer Filippo Tommaso Marinetti, aderiu ao Futurismo. Junto de nomes importantes como Carlo Carrà, Luigi Russolo e Balla, assinou o “Manifesto dos pintores futuristas” em 1910. No mesmo ano redigiu outro marco, o “Manifesto técnico da pintura futurista”.

O ano de 1910 foi um verdadeiro divisor de águas para o artista. Ele marcou também a primeira exposição individual de Boccioni, realizada na bela Veneza. Outro marco aconteceu dois anos depois, quando o italiano participou da primeira mostra de arte futurista, realizada em várias cidades europeias.

Entretanto, algo inesperado aconteceu em 1915. Assim como outros grandes artistas de sua época, Umberto Boccioni foi convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial. Serviu na artilharia na cidade de Sorte, próxima a Verona.

Apesar disso, em 1916, na cidade de Nápoles, publicou o “Manifesto dos pintores meridionais”. Fez exposições em Roma, Londres, Paris e nos Estados Unidos. Suas obras sempre foram acompanhadas por textos que elucidavam sua proposta estética.

Aliás, publicar textos sobre a estética futurista foi um hábito de toda sua carreira. Todos os ideais artísticos do movimento estão compilados no livro “Pittura scultura futuriste – dinamismo plastico”, publicado em 1914.

Em 17 de agosto de 1916, durante exercícios militares caiu de um cavalo e acabou falecendo precocemente aos 33 anos.

Características das obras de Umberto Boccioni

O uso das cores prismáticas é uma das particularidades das obras do italiano. Mas não é só isso que torna as suas telas únicas. Imagens dinâmicas, causando efeito de movimento, formas transparentes, justaposição de motivos e imagens com aspecto de estilhaços são outras características marcantes.

Em relação às temáticas, prevaleceram objetos contemporâneos, relacionados à vida agitada e estressante das cidades. Outro ponto que merece destaque é a efervescência tecnológica e o desenvolvimento industrial que marcaram o início do século XX.

Temas político-anarquistas expressos em composições praticamente abstratas, articuladas pelas linhas-força e cenas com relativa tensão também estiveram presentes em suas obras.

Em 1912 entrou em contato com Pablo Picasso e com outros nomes do mesmo grupo. Esse encontro conferiu às obras de Boccioni algumas características do Cubismo, que foi associado às técnicas neo-impressionistas.

Na escultura foi vanguardista, sendo notório o seu rompimento com a tradição de Auguste Rodin e a busca por uma solução dos aspectos relacionados às formas dinâmicas usando a linguagem tridimensional.

Foi inovador ao usar materiais não-tradicionais, sobrepondo e misturando vidro, couro e madeira. Os trabalhos dessa vertente ficaram conhecidos como  “polimaterici”, em português, polimatéricos.

Principais obras de Umberto Boccioni

  • Autorretrato (1908)
  • O desertar da cidade (1910)
  • O barulho da rua invade a casa (1911)
  • Ídolo moderno (1911)
  • Visões simultâneas (1912)
  • Estados de Espírito I: as despedidas (1911)
  • Estados de Espírito III: aqueles que permanecem (1911)
  • O dinamismo de um ciclista (1913)
  • Formas únicas de continuidade no espaço (1913)
  • Dinamismo de uma cabeça de homem (1913)
você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More