7 Mitos Sobre Remédios Que Muitas Pessoas Acreditam

Uma das formas de prevenção e combate de diversas doenças é alvo de diversos mitos. É preciso se informar para fazer uso correto dos medicamentos.

0

Por serem substâncias pré-realizadas para um fim de tratamento específico e posteriormente, interagem e reagem com elementos presentes no corpo humano, os remédios são recursos que devem ser usados com cautela e acima de tudo, prescrição médica.

Também por esse motivo, os medicamentos são alvo de vários mitos, os quais muitas pessoas ainda acreditam, mesmo que não haja nenhuma comprovação científica.

Veja também: 

Dentro dessa perspectiva, trataremos sobre os principais mitos sobre remédios que muitos acreditam. Para que assim, você se atente e faça uso correto dos mesmos. Veja:

1 Quanto mais caro, melhor é o remédio

Quanto mais caro, melhor é o remédio

Associar valores mais em conta com a qualidade inferior é uma forma errônea de enxergar os medicamentos.Os medicamentos mais baratos, os chamados “genéricos” possuem os mesmos princípios ativos de uma marca mais cara.

A razão de um genérico ser mais barato é não há custos com pesquisas sobre o princípio ativo e com propagandas.

2  Indicação da bula diferente da prescrição do médico

 Indicação da bula diferente da prescrição do médico

É muito comum que os médicos prescrevam uma medicação ou dosagem diferente da que está indicado na bula, isso por que ele está se baseando em sua experiência e para combater algo em um caso específico. Por esse motivo, é comum também prescrever uma medicação diferente da que você é acostumado ou nunca a utilizou para tal finalidade.

3 Quanto menos efeitos colaterais e contra-indicações, melhor é a medicação

Quanto menos efeitos colaterais e contra-indicações, melhor é a medicação

Quando vamos ler a bula e nos deparamos com a extensa lista de efeitos colaterais e contra indicações até ficamos assustados não é mesmo?! Mas calma, isso só significa que a a droga foi profundamente pesquisada e todas as possibilidades de impactos negativos estão previstos, não quer dizer que ela necessariamente irá ocorrer.

Medicações mais “potentes” por exemplo, possuir uma maior variedade de efeitos colaterais são quase naturais

4  Todo antibiótico corta o efeito dos anticoncepcionais

 Todo antibiótico corta o efeito dos anticoncepcionais

A grande maioria dos antibióticos não cortam o efeito da pílula anticoncepcional. Há pouquíssimas exceções, o Rifampicina, por exemplo, usada principalmente na hanseníase e na tuberculose é um exemplo.

5  Vitamina C previne gripe

 Vitamina C previne gripe

A ideia de que a vitamina C previne gripe é muito disseminada e por isso, muitos ainda acreditam.

Para se ter uma ideia, todos os estudos científicos sobre a relação gripe e vitamina C publicados desde 1966 até 2012 foram revisados, e não se conseguiu comprovar que a suplementação de vitamina C seja realmente eficaz na prevenção de gripe na população em geral.

6 Homeopatia é algo completamente inofensivo

Homeopatia é algo completamente inofensivo

Muita gente pensa que medicamentos homeopáticos são completamente inofensivos, por se tratar de medicina alternativa e complementar. Mas o que não se tem informações, é que estes medicamentos possuem princípios ativos em suas formulações que, com o tempo, podem se acumular em seu organismo e causar efeitos colaterais. Além disso, pode haver interações medicamentosas que podem alterar o curso do tratamento.

7 Fitoterapia é melhor do que medicamentos industrializados

Fitoterapia é melhor do que medicamentos industrializados

É comum associar qualquer tipo de medicamento ou tratamento natural a um processo inofensivos que não poderiam causar danos.

Entretanto, o que muita gente não sabe é que determinadas plantas podem conter substâncias tóxicas e alcaloides, e assim desencadear alergias, envenenamentos, entre outras reações imprevisíveis.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.