Justiça: Mulher é dispensada do serviço após anunciar gestação

Trabalhadora grávida foi dispensada de seu serviço após comunicar a empresa sobre sua gestação. Mulher entrou com uma liminar na justiça e venceu.

Recentemente, uma trabalhadora foi dispensada de seu serviço por estar grávida, logo após comunicar a empresa sobre sua gestação. A mulher entrou com uma liminar na justiça e obteve uma grande vitória.

Leia também: O que é necessário para conseguir o auxílio-maternidade?

A empresa foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho de Goiás a pagar R$ 15 mil em indenizações à ex-funcionária, alegando se tratar de um ato discriminatório. Além disso, eles alegam que a mulher foi dispensada em um momento de fragilidade emocional e de maior necessidade, uma vez que precisa sustentar a criança.

A defesa da trabalhadora informou que a cliente foi admitida no serviço em janeiro, porém, em março, descobriu a gravidez e informou ao responsável pela empresa, que lhe pediu para aguardar o contato e a dispensou um mês depois.

Ato discriminatório

O advogado ressaltou que não houve motivos concretos para a demissão, obtendo somente a gravidez. Dessa forma, o ato foi considerado um ato discriminatório e ainda sem justa causa perante as leis da justiça.

Por fim, a empresa de hotelaria argumentou a acusação feita pelo advogado, afirmando não ter sido uma demissão sem justa causa, dado que o contrato era temporário. O que eles não esperavam era que a relatora do recurso afirmasse que o cenário era totalmente propício, perante a gravidez da ex-funcionária.

Ademais, também afirmou que a ação da justiça quanto a este caso está correta, tendo em vista os direitos da gestante presentes no contrato de experiência e perante o art.10, inciso II, alínea “b”, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More