De geração para geração: 15 das brincadeiras folclóricas mais populares

Divertidas, as atividades contribuem para o desenvolvimento da imaginação, socialização e percepção da criança sobre o mundo

0

O tempo passa, mas as brincadeiras folclóricas não envelhecem! Transmitidas de geração para geração, elas sobrevivem ao tempo e são importantes elementos de nossa cultura, presentes até hoje na vida das crianças em todo o país.

Mesmo com modificações e variações regionais, as brincadeiras folclóricas continuam muito populares. Além de divertirem as crianças, os jogos tradicionais também podem ser trabalhados de forma didática dentro e fora da sala da aula.

A partir das brincadeiras, é possível fazer resgates sobre a história e a cultura brasileira, assim como estimular o desenvolvimento da cognição, coordenação e socialização dos pequenos. Além disso, na maioria das vezes, as atividades também contribuem para a experimentação sensorial das crianças.

A cultura brasileira, tão rica, reúne diversos tipos de brincadeiras. Confira algumas das brincadeiras folclóricas mais populares:

1 Amarelinha

Amarelinha

Trazida para o Brasil pelos portugueses, a amarelinha (ou academia, maré, sapata, avião e macaca, dependendo da região do Brasil) é uma das brincadeiras mais populares e práticas. Basta um pouco de espaço livre, giz (ou um graveto, caso seja na terra), uma pedrinha e pronto – já se tem todos os materiais para jogá-la!

No chão, primeiro se desenha uma sequência de 10 quadrados, alternados entre uma e duas quadras. Cada um deles leva um número.

Feito isso, a criança deve lançar uma pedra até a amarelinha. O quadrado em que ela parar não pode ser pisado. Pulando com um ou dois pés o jogador deve atravessar até chegar ao número 10. Perde quem pisar fora das quadras.

2 Corre Cotia

Corre Cotia

Originária do Centro-Oeste, Corre Cotia é uma brincadeira que une pega-pega com ciranda. Sentadas e em roda, as crianças cantam a canção tema da brincadeira enquanto uma anda em círculo, com um lenço ou outro objeto na mão.

Corre cotia, na casa da tia
Corre cipó, na casa da vó
Lencinho na mão caiu no chão
Moça bonita do meu coração
Posso jogar? Não!
Ninguém vai olhar? Não!
Joguei!

Terminada a música, quem está na roda fecha os olhos, enquanto o jogador que está em pé coloca, disfarçadamente, o lenço atrás de alguém.

Quando a criança percebe o lenço atrás dela, deve levantar e correr atrás de quem o colocou atrás dela, que deve tentar ocupar o lugar vazio. Se ele for apanhado, deve continuar com a tarefa de esconder o lenço.

3 Dança da cadeira

Dança da cadeira

Para jogar, basta reunir um número a menos de cadeiras do que o dos participantes da brincadeira. Enquanto uma música toca, as crianças rodam ao redor dos assentos. Quando a canção para, todos devem se sentar. Quem não conseguir uma cadeira é eliminado e a dança continua, mas agora sem mais uma cadeira, para compensar quem saiu. O jogo segue até sobrar apenas uma cadeira e assim, ter o vencedor.

4 Pega-pega

Pega-pega

Com diferentes variações, o pega-pega com certeza é uma das brincadeiras mais populares entre as crianças – talvez, nem tanto, para os pais e professores. A brincadeira é simples: uma criança é o pegador e deve correr atrás das outras crianças. Quem ela conseguir pegar, com um toque, se torna a nova pegadora.

5 Esconde-esconde

Esconde-esconde

Esta também é clássica: uma criança, com os olhos fechados, conta até 10, enquanto as outras se escondem. Após a contagem, ela deve sair procurando os amiguinhos. O último a ser encontrado deve correr até o pique (o local onde o pegador fez a contagem) e dizer “Salvo o mundo!”. Caso ele consiga, todos que foram pegos estão salvos e a mesma pessoa que fez a contagem deve realizá-la novamente.

6 Pular corda

Pular corda

Esta brincadeira também tem várias versões. Com uma ou duas cordas, duas crianças as balançam ou rodam, enquanto as outras pulam, seja uma ou várias por vez. Quem pisar na corda sai do jogo. Cantigas e outras músicas populares também podem fazer parte da atividade.

7 Cabo de guerra

Cabo de guerra

No cabo de guerra, também é utilizada uma corda, mas de forma diferente. Nesta brincadeira, são formados dois grupos, que ficam cada um do lado de uma corda. Juntos, cada um puxa para o seu lado. Vence quem passar da linha marcada.

8 Cabra cega

Cabra cega

Uma criança é vendada e precisa encontrar os outros jogadores. Quando ela encontrar alguém, precisa tentar adivinhar o nome da pessoa. Se acertar, a pessoa encontrada se torna a nova “cabra cega”.

9 Gato-mia

Gato-mia

No mesmo estilo da Cabra Cega, em o Gato Mia, uma criança também é vendada e precisa sair procurando as outras. A diferença da brincadeira, que pode ser feita tanto em um ambiente claro como no escuro, é que quando o pegador encontra outro jogador, este deve miar – daí o nome do jogo! Se ela conseguir adivinhar quem é pelo miado, a pessoa tocada é a nova pegadora.

10 Passa anel

Passa anel

Organizadas em fila, as crianças unem as mãos em forma de concha, de forma a deixá-las entreabertas. Por sua vez, um outro jogador, com um anel dentro da mão posicionada da mesma maneira, passa ela dentro das mãos dos outros participantes até deixar, discretamente, o objeto na palma de alguém.

A criança que estava com anel, então, escolhe outra para tentar adivinhar quem da fileira está com anel. Se ela não acertar, a brincadeira recomeça, dessa vez com aquele que está com o anel.

11 Adoleta

Adoleta
Crédito: Getty Images

A brincadeira de mão é jogada em círculo, na qual as crianças batem na palma uma da outra enquanto cantam a música:

A-do-le-tá
Le peti tole tolá
Le café com chocolá
A-do-le-tá
Puxa o rabo do tatu
Quem saiu foi tu!
Barra berra birra borra burra!

12 Pião

Pião

De madeira ou outros materiais, nas mais diferentes cores, os piões ainda fazem sucesso. Por meio de um barbante, enrolado no brinquedo e puxado com força, se solta o pião em uma superfície lisa.

Seja sozinho ou em grupo, a graça da brincadeira é sempre tentar se superar (ou seus adversários), com rodopios mais longos ou, até mesmo, com malabarismos, como ao pegar o pião com a palma da mão enquanto ele ainda roda.

13 Forca

Forca

Em dupla ou em grupos maiores, a forca é uma brincadeira versátil, sem segredos. Um ou mais jogadores precisam adivinhar qual é a palavra e suas únicas dicas são o número de letras e o tema ligado à palavra. A cada letra errada, se desenha uma parte do corpo a ser enforcado. O jogo só é concluído quando se adivinha a palavra ou quando se forma um corpo completo na forca.

14 Soltar pipa

Soltar pipa

Clássica, soltar pipa é uma das melhores opções de brincadeira para o ar livre. As pipas (ou raias, pandorgas e papagaios) são feitas de papel seda colocado em varetas. Para empiná-las, é necessário fazer a rabiola, com linha própria e pedaços de plástico amarrados nela.

O ideal é brincar em um dia com vento, para que a pipa voe mais facilmente. Os melhores locais para empinar são aqueles com nenhum ou poucos cabos elétricos, como no campo e na praia, para não haver risco da pipa se enrolar nos fios e ocasionar acidentes sérios e graves. A supervisão de um adulto também é sempre recomendada.

15 Bolinha de gude

Bolinha de gude

Cada jogador coloca suas bolinhas de gude coloridas dentro de um círculo no chão. O objetivo do jogo é acertar, com uma própria, a bolinha adversária de forma que ela saia da área.

Normalmente, os jogadores apostam as bolinhas de gude. Cada um ganha aquelas que acertar e fazer com que saiam do círculo.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.