Calendário maia

O calendário maia é considerado um dos mais complexos e precisos entre os calendários.

0

O calendário maia é um sistema de calendários utilizados pela civilização maia que habitou a Mesoamérica no período anterior à invasão europeia no continente americano. Ele ainda é utilizado por algumas comunidades maias.

O calendário mesoamericano não foi criado pelo povo maia, contudo, eles foram os responsáveis pelo seu aperfeiçoamento. Os calendários maias estão entre os melhores e mais complexos e precisos escritos do mundo.

Origem do calendário maia

A diferença do calendário maia com o calendário ocidental consiste na sua concepção de tempo. Para a civilização maia, o tempo é circular, os eventos se repetirão.

Para eles, os acontecimentos da vida se repetem, assim como os ciclos da natureza. Já para os ocidentais, o tempo é algo linear, que segue sem parar. Somente um importante acontecimento fará com que o tempo termine.

O povo maia organizava as etapas da vida de uma pessoa da seguinte forma:

  • Nascimento
  • Puberdade
  • Maturidade
  • Morte

Dessa maneira, os ciclos da vida do ser humano se associavam aos da natureza.

O calendário solar maia se chama Haab e possui 365 dias. Entretanto, eles são divididos em 18 meses com 20 dias cada, totalizando 360 dias. Os cinco dias restantes completam o calendário, porém, não pertencem a nenhum mês e são vistos como dias desfavoráveis para o cumprimento de determinadas tarefas.

Existe o calendário cerimonial, o Tzolkin que possui 260 dias divididos em três meses de 20 dias e cada dia é contado de 1 a 13. Esse calendário era utilizado para controlar as atividades agrícolas, pois ele ilustra as estações quentes do ano, período favorável ao plantio. Além disso, é baseado na gestação humana que dura uma média de 260 dias.

Tzolkin era muito importante para saber os dias favoráveis para oferecer sacrifícios, realizar casamentos, iniciar uma guerra, entre outros. Os dias possuíam significados diferentes e especiais entre si de acordo com a astrologia.

Os maias consideravam um dia em “anos” diferentes. Uma forma bastante complexa de se localizar, mas bem precisa, já que era influenciado pela movimentação dos astros celestes.

O calendário circular é formado pelos calendários HaabTzolkin. Este calendário durava 52 anos, o que corresponderia a um século para nós. Os ciclos de 52 anos eram cumpridos sucessivamente, ou seja, quando terminava um, se iniciava outro.

calendário de conta longa era mais amplo que os citados. Ele contava o tempo a partir da origem dos maias até o fim do mundo. Não era utilizado no dia a dia.

Entre as antigas civilizações pré-colombianas, o calendário maia é considerado o de melhor elaboração e precisão. Além de ser, provavelmente, o mais antigo, datado por volta do século VI a.C.

O calendário maia foi desenvolvido por meio da observação dos astros e de cálculos matemáticos.

Fim do mundo em 2012

Ao longo da história, várias datas foram anunciadas para indicar o fim do mundo. Acreditava-se que o dia 21 de dezembro de 2012 era a data indicada pelo calendário maia para o fim dos tempos, talvez, por conta de alguma catástrofe natural.

A notícia chegou a muitos países e causou espanto em parte da população. A realidade é que tal informação decorreu da má interpretação do calendário maia.

Especialistas descobriram que a data indicava o início de uma nova era no calendário. Dessa maneira, a data não determinava o fim do mundo, mas o fim de uma fase.

O calendário maia se inicia no ano 3114 a.C. e muda seu ciclo a cada 394 anos. A mudança desses ciclos se denomina como Baktuns. Por isso, o solstício de verão do dia 21 de dezembro de 2012 marcou o final do Baktun. Iniciou-se, portanto, um ciclo de repetição.

Veja mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.