Características do Renascimento

O Renascimento foi um movimento que marcou a Idade Moderna. Ao resgatar os valores da antiguidade clássica, apresentou novas formas de compreender o mundo e o ser humano.


O Renascimento foi um movimento artístico, científico e filosófico criado na Itália por volta do século XIV.

Ele se despontou na passagem da Idade Média para a Idade Moderna. Começou na Itália mas se expandiu para várias regiões da Europa.

O Renascimento rompeu com o pensamento medieval, apresentando novas formas de pensar e de compreender os meios científicos e culturais da época.

Principais características do Renascimento

Confira a seguir algumas das principais características do Renascimento, que incluem o antropocentrismo, humanismo e cientificismo.

Racionalismo

Os renascentistas defendiam e valorizavam a razão humana. De acordo com eles, a razão era uma manifestação do espírito do indivíduo, o que o colocava mais próximo de Deus. O questionamento do mundo era visto como um dom divino.

A razão era considerada como o único caminho para acessar o conhecimento. Com isso, o saber consistia da observação e da experiência (empirismo).

O racionalismo busca uma explicação científica para os fatos.

O renascimento aliado ao racionalismo contribuiu para a transformação do pensamento europeu à época.

Antropocentrismo

No período medieval, o pensamento que predominava era o teocêntrico (Deus é o centro do mundo).

Já no período moderno, momento que compreende o Renascimento, o antropocentrismo surge com a intenção de resgatar as características do ser humano, colocando o homem no centro do universo.

Ele passa a ser valorizado enquanto um ser racional, ocupando uma posição de destaque. As diversas descobertas científicas da época comprovaram sua inteligência.

Humanismo

O humanismo foi um corrente intelectual integrada por estudiosos e sábios que valorizavam as concepções artísticas da Antiguidade Clássica. Seus conhecimentos abarcavam diversas áreas do saber.

Valorizavam as potencialidades do ser humano assim como sua natureza humana. Ele foi o responsável pelo desenvolvimento do espírito crítico do homem.

Individualismo

O homem se torna central no mundo. Não é mais regido pelas concepções religiosas e sim por suas emoções.

Ele executa e se responsabiliza pelas suas ações. A individualidade do homem é valorizada, assim como a sua personalidade e a sua busca por tentar satisfazer os seus anseios.

Cientificismo

O cientificismo reconhece a ciência enquanto superior às demais manifestações religiosas, filosóficas, metafísicas, etc.

Os cientificistas desejavam que a ciência fosse entendida como a melhor forma de compreender o mundo e desenvolver novas tecnologias.

Ele possibilitou diversas descobertas científicas feitas por Galileu Galilei, Nicolau Copérnico, René Descartes, Leonardo da Vinci, Isaac Newton, entre outros pensadores.

Hedonismo

O hedonismo é a valorização da busca por prazer como bem supremo. Enfoca os prazeres (carnais, sensoriais e materiais) para a manutenção da qualidade de vida do ser humano.

O pensamento hedonista é contrário ao pensamento medieval (influenciado pela Igreja Católica), em que valorizava a renúncia se contrapondo ao prazer.

Antiguidade Clássica

A Antiguidade Clássica foi resgatada com o objetivo de romper com o pensamento medieval. Para os estudiosos renascentistas, as obras e estudos desenvolvidos pelos pensadores da Grécia e Roma Antiga, tinham mais valor se comparado às desenvolvidas no período medieval.

Uma das ferramentas que contribuíram para a reprodução das obras greco-romanas, foi a invenção da imprensa.

Ela possibilitou a divulgação do conhecimento por meio das obras clássicas de forma rápida e constante.

Veja mais:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More