Cavaleiro medieval

O cavaleiro medieval era uma das principais funções durante a Idade Média.

O cavaleiro medieval era responsável pela formação do exército durante a Idade Média. Membros da nobreza, eles deveriam ter treinamento e acesso a armas para conseguir ocupar tal posição.

Havia situações em que o cavaleiro medieval recebia terras como forma de pagamento para proteger a propriedade do senhor feudal.

No entanto, com o passar do tempo, tal profissão passou a perder o prestígio em razão do surgimento de maiores exigências.

Resumo – Cavaleiro medieval

O treinamento de um cavaleiro começava aos sete anos de idade, quando ele cumpria funções de um pajem. O início dos seus estudos se concentrava na prática da equitação e no manuseio das armas usadas para o exercício da profissão.

Aos doze anos, o jovem se transformava em escudeiro. Nesta fase, ele aprimorava seus conhecimentos sobre o manuseio dos instrumentos usados nos campos de batalha, além de aperfeiçoar sua performance física em corridas, desafios de esgrima e lutas.

Entre os 18 e 20 anos, ele se transformava em cavaleiro, pois alcançava a idade adulta. O ritual que o ascendia ao cargo, ocorria a partir de uma solenidade de muita importância que contava, às vezes, com a presença do rei.

Cavaleiro Medieval

O aspirante deveria ficar em jejum na noite anterior à sua passagem. No dia do evento, o futuro cavaleiro tinha suas habilidades testadas em combates simulados.

Durante o ritual de juramento, o senhor do cavaleiro dava-lhe um tapa na cara, na nuca ou no ombro, reforçando a lealdade e submissão do jovem cavaleiro a ele.

Depois, o senhor realizava um pronunciamento invocando a coragem e lealdade do cavaleiro através da religião.

Em seguida, o novo cavaleiro subia no cavalo e disparava a cavalgar. Era desse modo que um integrante da nobreza se tornava um membro das forças militares que tinha o dever de proteger seu território.

Durante as guerras, os cavaleiros se organizavam em vários postos de batalha sempre junto de seu cavalo, indispensável para o exercício de sua profissão.

Caso seu cavalo se perdesse ou morresse, o falecimento do cavaleiro era quase garantido. No final da Idade Média, houve a formação dos Estados Nacionais e, em simultâneo, a formação dos exércitos que passaram a contar com armamentos de fogo.

A partir de então, a imagem do cavaleiro passou por um processo de enfraquecimento.

Saiba mais em:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More