Confira os efeitos no preço do gás de cozinha com a redução do ICMS

Caso haja a aprovação do PL sobre o ICMS, pode haver redução no preço do gás de cozinha.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro anunciou um plano para baixar os preços dos combustíveis no Brasil. A proposta é eliminar o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o gás de cozinha e diesel, além de limitar o custo de gasolina e etanol. Nesse sentido, alguns especialistas estão falando que a medida pode ajudar a reduzir o preço do gás de cozinha.

Se você quer saber mais sobre os efeitos da redução do ICMS no preço do gás, é só continuar lendo este artigo

Leia mais: Saiba qual será o primeiro estado a emitir o novo RG

Saiba se é possível haver redução no preço do gás com novo projeto de lei sobre o ICMS

Segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a redução no valor do botijão de 13 quilos pode chegar até R$ 20 em alguns estados, se os governadores apoiarem a ideia da PEC. Por exemplo, no Rio de Janeiro, o preço médio pode cair de R$ 101,76 para R$ 90,79. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do governo também impede a imposição de tributos federais (PIS/Cofins e Cide) sobre gasolina e etanol.

A redução do preço do GLP e outros combustíveis fica a critério dos governadores, já que o ICMS é um programa estadual. Na tentativa de persuadi-los, o Palácio do Planalto elaborou um plano de indenização parcial em caso de perda da arrecadação.

Dessa forma, o primeiro passo para colocar a medida em prática é o Congresso Nacional aprovar um projeto de lei que limitaria a 17% o ICMS arrecadado sobre a gasolina e outros itens essenciais.

É possível haver diminuição do preço do gás de cozinha?

De acordo com os dados mais recentes da ANP, o botijão de 13 kg mais caro fica em Rondônia (R$ 133,54). Na situação atual, o ICMS tem uma cota de 12%. Assim, ele poderá ser vendido por R$ 120,06 (menos R$ 13,48) com a redução. Entretanto, a Associação Brasileira das Entidades de Classe das Revendas de Gás LP (Abragás) alerta que é impossível prever quando o “desconto” chegaria ao consumidor final.

Isso porque é muito difícil saber quando essa redução será repassada dos distribuidores para os varejistas. Como a concorrência nesse setor é acirrada, um varejista geralmente comunica as alterações de preços aos clientes rapidamente.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More