Deriva genética

Você conhece esse fenômeno que altera a variabilidade genética? Continue lendo para entender tudo sobre ele!

0

A deriva genética é uma alteração casual das frequências dos alelos de uma população. Ela é considerada uma mudança evolutiva, assim como a seleção natural e o fluxo gênico.

No entanto, ao contrário das outras duas que tendem a fixar os genes, a deriva genética acontece completamente ao acaso e é impossível prever a direção da mudança.

Esse fenômeno é caracterizado por catástrofes ecológicas como terremotos, tsunamis, tornados, inundações, queimadas e outras alterações ambientais.

As catástrofes podem reduzir o tamanho de populações ou extinguir espécies. Os sobreviventes podem representar uma amostra genética insuficiente que pode alterar a frequência de um alelo.

Quais as consequências da deriva genética?

A deriva genética diminui a diversidade genética de uma população e, como ocorre ao acaso, não é possível prever a fixação ou perda de um alelo, sejam eles neutros, deletérios ou vantajosos para a população.

Quanto menor uma população é, mais sensível à deriva genética ela fica e a mudança na frequência de alelos ocorre com maior rapidez.

Como ocorre a deriva genética?

A deriva genética pode acontecer através do efeito fundador ou do efeito gargalo.

  • Efeito fundador: uma nova população é formada com poucos indivíduos por morte da população original ou migração de muitos indivíduos para outro local. Nos dois casos, a nova população possui variação genética reduzida porque ela não tem a variação genética da população original.
  • Efeito gargalo: ocorre quando mudanças ambientais reduzem o tamanho de uma população e, como consequência, a diversidade genética dela. A fragmentação de habitats e os desastres naturais causam esse tipo de deriva genética.
Deriva genética
Deriva genética

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.