Dezembrada

Acontecimentos da Dezembrada foram decisivos para o fim da Guerra do Paraguai, que teve o fim do governo ditatorial de Solano López e vitória da Tríplice Aliança.

0

O que foi a Dezembrada? A Dezembrada refere-se à sucessão de batalhas ocorridas durante a Guerra do Paraguai, com participação da Tríplice Aliança (Brasil Argentina e Uruguai) em combate ao exército do ditador paraguaio Solano López, em dezembro de 1868. 

Considerado como o maior conflito armado da América do Sul, a Guerra do Paraguai teve início em dezembro de 1864 e terminou apenas em março de 1870.

Os conflitos da Dezembrada trouxeram consequência graves para a infraestrutura e economia para o Paraguai em contraposição ao fortalecimento do Exército Brasileiro e enfraquecimento da monarquia.

Dezembrada e a Guerra do Paraguai

As razões que levaram o Brasil a participar da Guerra do Paraguai foram:

  • Disputa de interesses entre as nações da bacia platina (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai);
  • Represália ao novo modelo de governo adotado pelo ditador Solano López;
  • Aprisionamento da embarcação brasileira (Marquês de Olinda) no Rio Paraguai;
  • Invasão do Mato Grosso em 26 de dezembro de 1864;
  • Pressão dos estancieiros gaúchos para que seus interesses no território uruguaio fossem defendidos;

Apesar de ter durado alguns anos, os acontecimentos da Dezembrada foram decisivos e cruciais para os desdobramentos da guerra.

Principais conflitos da Dezembrada

A Dezembrada foi marcada por conflitos armados que deixaram um rastro de destruição e mortandade para ambos os exércitos. As principais batalhas da Dezembrada foram:

Batalha de Itororó: com início no dia 06 de dezembro de 1868, a batalha de Itororó aconteceu às margens do Rio Paraguai, sob o comando de Luís Alves de Lima e Silva (Marquês de Caxias), sucedendo os acontecimentos da queda da Fortaleza de Humaitá.

Percebendo o enfraquecimento das tropas paraguaias, na véspera da batalha, o comandante e marechal Duque de Caxias ordenou que o General Osório seguisse com o Terceiro Corpo do Exército em posição de esquerda da guarnição das Forças do Exército Aliado. 

O objetivo era flanquear a retaguarda inimiga e assegurar a segurança do flanco leste. 

Enquanto Osório seguia com as tropas, Caxias então deu início ao ataque à ponte de Itororó.

Por estar em posição de vantagem sobre as tropas brasileiras, o exército paraguaio venceu 3 das 4 investidas brasileiras. Somente no quarto ataque é que a vitória brasileira de fato ocorreu.

Derrotados, os paraguaios que sobreviveram retiraram-se para as locações do rio Avaí. 

O saldo de mortes do conflito foram de 1200 homens do exército paraguaio e 1806 da tropa brasileira fora de combate.

Batalha de Avaí: travada junto ao arroio (corrente de água pequena) de Avaí, no dia 11 de dezembro de 1868, a batalha sucedeu os acontecimentos dos ataques de Itororó.

De um lado estava a Tríplice Aliança, liderada pelo Marquês de Caxias e o general Manuel Luís Osório, e do outro o Paraguai com seu exército liderado pelo general Bernardino Caballero. 

O objetivo do conflito era enfraquecer o poderio bélico paraguaio e enfraquecer a dominação militar na região. A batalha foi representada em forma de arte pelo pintor brasileiro Pedro Ámerico no quadro, ” Batalha de Avaí” (1872 – 1877).

Batalha de Lomas Valentinas: ocorrida no entre os dias 21 e 27 de dezembro de 1868, no Departamento Central do Paraguai, a batalha de Lomas Valentinas foi decisiva para o fim da Guerra do Paraguai.

Liderada pessoalmente pelo general e ditador Francisco Solano López, o exército paraguaio não resistiu às investidas das tropas brasileiras, também lideradas pelo Marquês de Caxias. 

Após o fim da batalha e derrota, Solano López fugiu, juntamente com seus generais Gens Resquin e Bernardino Caballero.

Marquês-de-caxias
Luís Alves de Lima e Silva, mais conhecido com Marquês de Caxias, liderou as investidas que derrotaram as tropas paraguaias durante os conflitos da Dezembrada

Desfecho e consequências da Dezembrada

A Dezembrada e a Guerra do Paraguai trouxeram resultados negativos para os envolvidos. 

Com números espantosos de mortandades em ambos os exércitos, além da derrota seguida de fuga do ditador Solano López após a batalha de Lomas Valentinas, parecia que a guerra chegava ao seu fim.

O comandante das tropas de brasileiras, Marquês de Caxias, decidiu por não organizar buscas pelo então ditador desaparecido, pois para ele o mesmo fugiria para outro país.

No entanto, López seguiu para o interior do país e improvisou um exército que começou a preparar ações de resistência na região.

No dia 24 de dezembro, sabendo do paradeiro do presidente paraguaio, os líderes da Tríplice Aliança (Caxias, o argentino Gelly y Obes e o uruguaio Enrique Castro), por meio de carta, intimaram a Solano López sua imediata rendição.

Após recusa, o ditador seguiu para o norte na direção da Cordilheira dos Andes acompanhado de um contingente de soldados. 

Morto em Cerro Corá em 1º de março de 1870, López foi ferido por um golpe de lança pelo soldado brasileiro José Francisco Lacerda e atingido por um tiro de fuzil, encerrando assim a guerra.

Solano-López-ditador
Imagem do presidente e ditador paraguaio Francisco Solano López

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.