Erro nas notas do Enem 2019 – O que se sabe até agora?

6 mil pessoas é o número aproximado de candidatos afetados com os erros na correção das provas do Enem 2019. Mec e Inep trabalham para resolver o caso.

0

No último sábado, 18 de janeiro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, confirmaram as falhas em algumas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019.

A princípio, as reclamações estavam relacionadas apenas às provas do segundo dia do exame. Entretanto, Weintraub relatou haver identificado algumas inconsistências também no primeiro dia.

Cerca de 3,9 milhões de pessoas realizaram as provas nos dias 3 e 10 de novembro de 2019. Do total, estima-se que seis mil pessoas foram afetadas com o erro na correção.

Contudo, o ministro da Educação salienta que o problema será resolvido. Uma coletiva de imprensa será realizada ainda hoje, 20 de janeiro, a partir das 19 horas.

Entenda o erro

Segundo Weintraub , a falha ocorreu no momento de correção dos gabaritos, ao vincular a prova de uma cor ao gabarito de outra.

Como menciona o ministro, o erro foi de autoria da gráfica Valid, responsável pela diagramação, impressão e envio do pacote de provas para os Correios.

Pelo fato do exame ser realizado com quatro tipos de provas, de cores diferentes, e cada uma com um gabarito específico, o equívoco aconteceu na identificação do candidato e na cor da prova feita por ele.

Ou seja, a pessoa respondeu o teste de uma cor só que teve como critérios de correção o gabarito de outro.

Candidatos atingidos

Em primeira instância, o ministro da Educação havia mencionado como atingidos “alguma coisa como 0,1%” dos candidatos que prestaram o exame – o equivalente a 3,9 mil candidatos”.

Depois disso, o presidente do Inep alertou que as falhas podem alcançar “até” 39 mil pessoas (1%). Só que, logo destacou que  “não chega a 9 mil”.

No entanto, Lopes informa que em números exatos, a inconsistência foi localizada em quatro testes de Viçosa (MG). Mas, ela pode estar presente em outros estados também.

Ações do MEC e Inep para solucionar o caso

Até o sábado, 18 de janeiro, o Ministério da Educação (MEC) tinha visualizado falhas apenas no segundo dia de prova (matemática e ciências humanas).

Porém, no domingo, 19 de janeiro, o Inep relatou que seria possível erros também nos testes do primeiro dia (linguagem e redação).

Tendo em vista que uma força tarefa foi realizada pelo MEC para solucionar o caso, o órgão publicou uma nota oficial dizendo que “nesta segunda-feira (20), o instituto divulgará os resultados da ação”.

Calendário do Sisu

Mesmo diante das inconsistências nas notas, Weintraub afirma manter o calendário de inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

As inscrições do processo começam na terça-feira, 21 de janeiro, e vão até a sexta-feira, 24 de janeiro.

No total, são 237.128 vagas disponíveis nas 128 instituições espalhadas pelo Brasil.

Histórico de erros no Enem

Essa não é a primeira vez em que são relatados problemas com o exame. Ainda em relação a edição de 2019, houve o vazamento de uma página da prova durante o primeiro dia de aplicação, em 3 de novembro.

Veja como foi o histórico de erro nos anos anteriores:

  • 2009: Prova roubada e tiveram que remarcar a data do exame.
  • 2010 e 2011: Falhas na impressão, com a repetição de perguntas.
  • 2012: Por meio da divulgação dos espelhos tornou-se possível identificar trechos de fuga ao tema, o que passou a ser critério para zerar a nota.
  • 2014: Vazamento de tema da redação (Publicidade Infantil no Brasil) antes do início da prova.
  • 2015: Boatos de vazamento do teste, mas sem provas.
  • 2015: Duas pessoas presas pela Polícia Federal por serem pegas com materiais de apoio para produção da redação.
  • 2017: Duas pessoas se retiraram do local de provas, antes do tempo permitido, com o caderno de questões.
  • 2019: A gráfica responsável pela impressão do exame, a RR Donnelley, faliu e o Inep contratou outra sem passar por licitação. Inclusive, segundo Weintraub, foi essa dessa gráfica a responsabilidade da falha na transmissão das informações.

*Com informações do G1

Leia também: Cerca de 6 mil pessoas são afetadas por erro na correção do Enem 2019

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.