O grave problema da fome na África – Causas e possíveis soluções

A fome é um grave problema de saúde pública que, intensificado pelos problemas ambientais e de corrupção, causa a morte de milhares de pessoas no continente africano.

0

O planeta terra possui mais de 7 bilhões de habitantes, distribuídos pelos seis continentes do mundo.

A África é o segundo continente mais populoso da terra e o terceiro continente mais extenso do globo terrestre, com 30 221 532 km² e 1 225 080 510 habitantes.

Esse enorme continente sofre de sérios problemas referentes à fome, sendo esta a causa da morte de milhares de pessoas todo o ano.

Os lugares que mais apresentam situações críticas e maior foco de fome são: Haiti, Indochina, Índia e Bangladesh.

Causas da fome da África

A fome na África afeta mais de 257 milhões de pessoas, cerca de 20% da população africana.

Esse problema é decorrente de várias razões impostas a essa região ao longo do tempo, como o processo colonial, a enorme desigualdade social, concentração de poder, condições climáticas, baixa produtividade agrícola, crescimento populacional, entre outras situações.

No período colonial, a região africana sofreu intensa retirada de riquezas, matérias primas e força de trabalho. Muitos africanos foram escravizados na colonização das novas terras do mundo.

Assim, os jovens e as pessoas que detinham força de trabalho foram deslocados da África, deixando regiões do continente desfalcadas de trabalho interno.

Além disso, ao longo do processo de independência das regiões colonizadas, os africanos tiveram de lutar durante longos períodos até conseguirem êxito e se tornarem independentes das potências colonizadoras.

Somado a isso, alguns conflitos internos surgiram ao longo dos anos, originando guerras civis, trazendo mais problemas à região e dificuldades para esses povos que tinham que enfrentar a violência.

Assim sendo, o povo não consegue cultivar, pois a guerra demanda muita atenção e esforço, fazendo com que abandonem a lavoura. Além disso, os inimigos de guerra podem invadir terras, roubar e aniquilar produções.

Como consequência das guerras, algumas populações precisam se deslocar em busca de abrigos, o que torna mais difícil resolver a questão da fome.

Outro fator causador da fome são as terras férteis e os grandes latifúndios dominados por pessoas de poder. Essas terras são, em sua maioria, destinadas a monocultura e grande parte da produção agrícola é destinada a exportação. Assim, não é possível abastecer o mercado e consumo interno.

Além desses fatores, a crise alimentar é intensificada pelo aumento populacional. Este aumento traz mais problemas, pois o número de alimento oferecido não sofre aumento. Assim, a desnutrição só aumenta.

A taxa de fecundidade do país é de 5,2 nascimentos por mulher, a mais alta taxa do mundo.

Mapa da Fome na África

Por ser um continente muito extenso, a África possui regiões muito diversas, com diferentes níveis de questões problemática. Algumas regiões possuem níveis de saúde e educação elevados, enquanto outras morrem de fome.

Entretanto, os índices de fome estão reduzindo com o passar do tempo.

De acordo com um estudo realizado pela Organização das Nações Unidas, cerca de 150 milhões de africanos não tem acesso a quantidade mínima de calorias diárias.

Os maiores índices de fome estão na região subsaariana do continente, principalmente no denominado Chifre da África, onde estão alguns dos países mais pobre do mundo, como Eritreia, Sudão, Etiópia, Somália, Quênia e Uganda.

Problemas ambientais do continente africano

As áreas boas para agricultura são propriedades latifundiárias e outras acabam sendo devastadas e comprometidas pelo intenso uso da agricultura.

Outras regiões da África possuem solos pobres em nutrientes, com poucas chances de boas produções, dificultando a produção agrícola. Com isso, as terras não conseguem ser dividas para o cultivo de subsistência.

Assim, nas áreas usadas para produção sofrem desmatamento, o que acarreta diversos problemas, como processos de erosão e desertificação intensa.

Corrupção

Além da má distribuição dos alimentos de exportação e daqueles para suprir demanda interna, a corrupção agrava o problema de fome no continente.

Alguns dos países localizados no continente africano estão classificados entre os países mais corruptos do mundo, segundo pesquisas da ONG Transparência Internacional.

A Somália e Sudão estão entre as três primeiras posições entre os países mais corruptos

Com os altos índices de corrupção, não são realizadas ações governamentais para ajudar a população.

Grande parte do amparo recebido pela população africana são resultados de verbas de ajudas humanitárias.

Ainda assim, o dinheiro de doações chegam nas mãos dos políticos corruptos que não encaminham para a população que precisa.

Soluções para a fome na África

Algumas soluções podem ser pensadas para solucionar a fome na África a longo prazo.

Não existe escassez de alimento no continente. A realidade é que grande parte do alimento que é produzido na região é destinada à exportação. Então, uma das soluções para esse problema seria a melhor distribuição e acesso a essa comida.

Além disso, a cultura dos grandes latifúndios e conflitos étnicos impedem a distribuição de terra. Dessa forma, é quase impraticável a agricultura familiar.

Algumas das soluções que poderiam ser apontadas para o problema da fome na África, seria uma administração que incentivasse a agricultura familiar, a neutralização de conflitos étnicos, incentivo a melhor distribuição de alimentos no mercado interno e políticas públicas de maior atenção aos setores mais pobres da sociedade.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.