Formas de Relevo

Descubra quais são as formas de relevo e suas características. Saiba mais sobre as montanhas, os planaltos, as planícies e as depressões.

0

Ao vislumbrarmos as paisagens, as manifestações naturais e as diferentes composições do ambiente terrestre, percebemos que a estrutura do solo e da superfície se apresenta de diferentes maneiras diante de nós.

Entender toda essa complexidade, por sua vez, não é uma tarefa fácil, de modo que precisamos nomear os principais tipos de estruturas naturais, bem como classificá-las a partir de um padrão estabelecido. Nesse sentido, o relevo terrestre foi subdividido em diferentes tipos para que seja possível o seu melhor entendimento.

O relevo é a expressão do modelado terrestre, é o conjunto de formas e feições que formam a estrutura superficial da Terra, sendo resultante de processos recentes e antigos de transformação ao longo das eras geológicas. Por definição, ele é classificado em quatro principais tipos, a saber: as montanhas, os planaltos, as planícies e as depressões. São esses os principais tipos de relevo existente no nosso planeta.

MONTANHAS: AS PRINCIPAIS ELEVAÇÕES DA TERRA

Everest
Monte Everest

As montanhas são elevações no perfil do relevo, com pico elevado, morfologia acidentada, vales profundos e encostas muitos íngremes. As maiores altitudes registradas no nosso planeta são todas formadas por montanhas, com milhares de metros acima do nível do mar. Nesse tipo de relevo, os processos erosivos costumam ser frequentes e se sobrepõem à deposição de sedimentos.

Em muitos casos, as montanhas apresentam-se em conjunto, todas formadas por um processo em comum, dando forma às cordilheiras ou cadeias montanhosas.

Os principais exemplos são:

  • Cordilheira dos Andes, na América do Sul;
  • Rochosas, na América do Norte;
  • Alpes, na Europa;
  • Cordilheira do Himalaia, na Ásia;
  • dentre muitas outras.

Na maioria dos casos, as montanhas são formações geologicamente recentes, tendo sido pouco trabalhadas pelos agentes externos ou exógenos de formação do relevo.

Suas origens estão quase sempre associadas ao choque entre duas placas tectônicas, o que provoca a elevação do terreno. Não por acaso, as áreas circundantes às grandes montanhas da Terra apresentam frequentes casos de graves terremotos e intensos vulcanismos.

PLANALTOS: AS SUPERFÍCIES ELEVADAS

Chapada dos Veadeiros
Chapada dos Veadeiros

Os planaltos – também conhecidos como platôs – são formas de relevo que apresentam uma relativa elevação em relação ao nível do mar, mas que, ao contrário das montanhas, não apresentam elevações abruptas, além de contarem com superfícies mais planas ou onduladas.

Em termos de tempo geológico, os planaltos são mais antigos e apresentam essa forma justamente por terem sido expostos aos agentes exógenos de transformações do relevo durante muito tempo, tais como as chuvas e os ventos.

Nos planaltos, o processo de erosão também predomina sobre o de deposição de sedimentos. Como a morfologia é mais acidentada do que nas planícies, os rios planálticos costumam ter uma velocidade de vazão maior e margens menos largas, sendo mais indicados para a construção de usinas hidrelétricas. O Brasil, nesse sentido, é privilegiado em cursos d’água com essas características.

É comum que grandes áreas planálticas apresentem uma ou mais formações em relevo tabular e também em chapadas. No Brasil, os principais exemplos dessas feições geomorfológicas são a Chapada dos Guimarães (MT), a Chapada dos Veadeiros (GO) e a Chapada Diamantina (BA).

PLANÍCIES: PLANAS E NO NÍVEL DO MAR

Encontro do Rio Amazonas
Encontro do Rio Amazonas

Como o próprio nome indica, as planícies são formas de relevo relativamente planas, estando em baixas altitudes, quase todas muito próximas ao nível do mar.

São formas de relevo muito antigas e onde os processos de deposição de sedimentos predominam sobre os de erosão. Isso significa que essas áreas recebem uma grande quantidade de material oriundo do intemperismo em outras formas de relevo.

Embora muitas sociedades atuais e também civilizações antigas tenham ocupado áreas de planalto, as planícies são as mais recomendadas para a habitação humana. Os rios de planície – também chamados de planícies fluviais – são conhecidos pelo seu grande potencial de navegação, ao passo que Rio Amazonas é o principal exemplo no mundo desse tipo de paisagem.

DEPRESSÕES: RELATIVAS OU ABSOLUTAS

Mar Morto
Mar Morto

São composições definidas pelas menores dimensões horizontais em relação a um determinado referencial.

São, portanto, as áreas da superfície com as menores altitudes, podendo estar, até mesmo, abaixo do nível do mar. Elas se formam pela erosão de suas áreas ou pela elevação geológica do relevo circundante.

Existem dois tipos de depressão: as relativas e as absolutas. As depressões relativas são aquelas que apresentam-se acima do nível do mar mas muito abaixo das formas de relevo imediatamente próximas, podendo haver depressões interplanálticas (entre planaltos) ou intermontanas (entre montanhas).

Já as depressões absolutas são aquelas que se encontram abaixo do nível do mar, a exemplo dos Países Baixos, na Europa, e do Mar Morto, um grande lago de água salgada localizado na Ásia.

Por Rodolfo F. Alves Pena
Mestre em Geografia

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.