Quem foi Frida Kahlo? – Biografia, Resumo e Pinturas

Uma das artistas mais importantes do século XX, apesar de uma vida marcada por muita dor e sofrimento, Frida ficou conhecida por ser um exemplo de determinação e perseverança.

0

Biografia de Frida Kahlo

Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón, mundialmente conhecida como Frida Kahlo, nasceu em 6 de julho de 1907 na vila de Coyoacán, no México. É filha de pai alemão e mãe espanhola.

Desde infância Frida sofreu com problemas de saúde. Quando tinha apenas seis anos de idade contraiu poliomielite, que ocasionou uma sequela em seu pé. Na adolescência, mais precisamente aos 18 anos, sofreu um acidente de ônibus que a deixou um longo tempo no hospital e afetou sua vida para sempre.

Ainda que incapacitada de andar e passando por uma séria depressão, ela pintava autorretratos. Para isso, usava um espelho e um cavalete adaptado que permitia que ela trabalhasse deitada. Sua primeira pintura, “Autorretrato em um Vestido de Veludo”, é dessa época. Uma curiosidade, é que ela foi dedicada ao ex-noivo, Alejandro Gómez Arias.

Depois do período de recuperação, Frida Kahlo começou a estudar desenho e modelagem na Escola Nacional Preparatória do Distrito Federal do México. Em 1928 se filiou ao Partido Comunista Mexicano, onde conheceu seu grande amor, Diego Rivera, um dos maiores pintores mexicanos.

Obra de Frida Kahlo: Frieda e Diego Rivera
‘Frieda e Diego Rivera’ (1933)

Se casaram no ano seguinte, quando ela tinha apenas 21 anos e a partir daí passaram a morar na Casa Azul, a mesma onde ela nasceu. Em 1930 ela engravidou, mas em decorrência de sequelas deixadas pelo acidente acontecido anos antes, ela sofreu um aborto espontâneo.

Ainda em 1930 ela e Diego foram Morar nos Estados Unidos, país onde ele já realizava importantes exposições. Lá, viveram nas cidades de Detroit, São Francisco e Nova York. Nesse período sofreu o segundo aborto e começou a se dedicar intensamente à pintura com uma série de autorretratos, inclusive, com características surrealistas, as quais ela sempre negou.

Em 1934 ela e Diego voltaram para o México e nesse mesmo ano ela sofreu mais um aborto e, ainda, teve os dedos do pé direito amputados. No ano seguinte os pintores se separaram e Rivera, conhecido por sua infidelidade, iniciou um romance com a irmã de Frida, Cristina, com quem teve vários filhos. Contudo, pouco tempo depois eles reataram.

Cerca de dois anos depois, em 1936 ela passou por uma nova cirurgia no pé e mesmo as fortes dores que ela sentia na coluna não a impediram de seguir pintando.

No ano de 1939 Frida e Diego se separaram definitivamente. É quando ela diz a famosa frase “Diego, houve dois grandes acidentes na minha vida: o ônibus e você. Você sem dúvida foi o pior deles”.

Apesar da dor da separação, nesse mesmo ano ela fez exposições em Paris e Nova York e o Museu do Louvre adquiriu um de seus autorretratos. Ainda nesse período entrou em contato com ícones da arte, como Pablo Picasso e Wassily Kandinsky.

Novamente as sequelas de seu acidente interferiram em sua vida, fazendo com que ela tivesse que passar por várias cirurgias, além de usar um colete de gesso. Ainda assim Frida não parou de pintar.

Obra de Frida Kahlo: O Marxismo dará saúde aos doentes
‘O Marxismo dará saúde aos doentes’ (1954)

Foi professora da recém-fundada Escola Nacional de Pintura e Escultura, na cidade do México. Além disso, ficou conhecida por ser uma defensora do direito das mulheres, sendo considerada até os dias de hoje como um símbolos do feminismo.

Em 1953, em virtude de uma gangrena, teve que amputar uma perna na altura do joelho. Extremamente deprimida, Frida viveu os últimos anos de sua vida na Casa Azul. Faleceu no dia 13 de julho de 1954 em Coyoacán, no México, em decorrência de uma embolia pulmonar.

Confira também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.