Nave à Vela libera o acesso a videoaulas baseadas na cultura maker

Nave à Vela, empresa do ramo educativo, cria o projeto NAV Digital com videoaulas baseadas na cultura maker para estimular a criatividade e a aprendizagem.

0

Com o intuito de auxiliar os alunos que tiveram as aulas suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus, o Nave à Vela liberou o acesso a videoaulas baseadas na cultura maker. A empresa do ramo da educação usa das estratégias makers para desenvolver competências e conteúdos educativos, e esses estão disponibilizados aos estudantes do 1º ao 9 º ano do Ensino Fundamental.

Sustentado na ideia do “faça você mesmo”, a cultura maker estimula a criatividade, por meio da fabricação, construção e reparo de objetos com as próprias mãos. Desse modo, é desenvolvido um ambiente de colaboração e transmissão de informações entre indivíduos e grupos.

NAV Digital

A NAV Digital é um projeto que trabalha com videoaulas cujas temáticas estão relacionadas à inovação em conjunto a habilidades socioemocionais. A ação procura disseminar o conceito maker entre as escolas e os alunos, até mesmo com a intenção de amenizar os impactos que o isolamento social causa no processo de aprendizagem.

Segundo o Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Nave à Vela, Bruno Ferrari, os conteúdos didáticos se tornam ainda mais importantes no cenário atual, por promoverem a curiosidade e o protagonismo dos alunos.

“As temáticas das aulas trazem assuntos relevantes que podem ser trabalhados em paralelo com outras disciplinas, levando a um enriquecimento de projetos multidisciplinares e sua maior compreensão. Além disso, a aprendizagem prática baseada na tentativa e erro, característica da aprendizagem maker, ajuda o aluno a descobrir seu meio de aprendizagem pessoal e a entender que as respostas sempre estão à uma pesquisa de distância”, destaca.

O material didático das aulas é produzido com as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Os projetos permeiam desde a construção da empatia, a montagem de um barquinho de papel até a aplicação de teorias da física para compreender como o objeto flutua ou afunda.

“Dentro do período de isolamento social, as aulas ajudam a promover uma aprendizagem prática mesmo em um ambiente não especializado. Isso porque o maker está mais baseado em criatividade e usar os recursos de maneira inovadora do que apenas em aprender a usar ferramentas. Assim, incentivamos o desenvolvimento da competência de resolução criativa de problemas, uma das nossas bases pedagógicas”, finaliza Bruno.

Modelo de aprendizado nas escolas

Para ter acesso ao material, é preciso que a escola entre em contato com a equipe do Nave à Vela pelo link e preencha o formulário para o cadastro da instituição. Depois disso, será permitido o acesso aos conteúdos de formação, materiais de planejamento de aulas e até mesmo um acompanhamento para auxiliar a escola no processo.

A responsabilidade de inclusão das atividades no cronograma didático é de cada escola. Os estudantes possuem acesso à plataforma e podem assistir as aulas em casa, com duração de 50 minutos cada.

Você pode gostar também de:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.