Síndrome do Ovário Policístico – O que é, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e cura

Síndrome do ovário policístico, um distúrbio que pode acontecer em mulheres com idade reprodutiva. Saiba o que é, os sintomas, como fazer o diagnóstico e tratar essa doença.

0

O que é ovário policístico? O ovário policístico é uma condição na qual a mulher apresenta cistos na parede seu ovário. Quando acontecem algumas alterações no corpo da mulher, ela pode desenvolver a síndrome do ovário policístico, também conhecida pela sigla SOP.

A síndrome do ovário policístico consiste em um distúrbio endócrino representado na alteração da produção de hormônios masculinos no corpo da mulher e na irregularidade do período menstrual.

Essas alterações fazem com que algumas portadoras da síndrome tenham características masculinas, problemas menstruais e fazem os cistos aumentarem de tamanho, podendo até prejudicar a fertilidade da mulher.

Causas

A causa exata da síndrome ainda não é exata, mas é relacionada com alguns fatores de risco principais, como o próprio excesso de hormônio masculino, menstruação irregular e a presença de cistos no ovário.

Outros fatores também podem estar relacionados, como o excesso ou resistência à insulina e histórico familiar.

Sintomas e diagnóstico de ovário policístico

Na maioria dos casos o sintomas de ovário policístico aparecem já na adolescência, mas, em alguns casos, podem acontecer mais tarde, durante os anos reprodutivos.

Alguns dos sintomas são a queda queda de cabelo, ganho de peso, menstruação irregular ou inexistente, acne, aumento de pelos no rosto e no abdômen e pubarca precoce (aparecimento de pelos pubianos no início da puberdade).

Em casos mais graves, pode surgir problemas de saúde como o desenvolvimento de diabetes, doenças cardiovasculares, infertilidade e câncer de endométrio.

O diagnóstico deve ser feito a partir do reconhecimento dos sinais e de um exame clínico com ultrassom e exames laboratoriais.

Através do ultrassom, a doença é detectada a partir das várias formações de folículos na superfície de cada ovário. Esse exame deve ser feito entre o terceiro e quinto dia do ciclo menstrual.

O diagnóstico precoce e o tratamento da síndrome ovário policístico pode ajudar a reduzir o risco de complicações e desenvolvimentos mais graves, como o câncer e a infertilidade.

As mulheres que apresentam apenas sinais de ovário policísticos ao ultrassom, sem apresentar desordens de ovulação ou hiperandrogenismo, não devem ser diagnosticadas com a síndrome do ovário policístico.

Tratamento de ovário policístico

O tratamento deve ser feito de acordo com os sintomas e diagnóstico de cada paciente, e se ela quer engravidar ou não.

Os principais tratamentos são anticoncepcionais orais, melhorando o aumento de pelos, controle de espinhas, irregularidade menstrual e cólicas; indutores da ovulação, para pacientes que querem engravidar; dieta e atividade física; antidiabetogênicos orais para as pacientes com resistência insulínica.

Prevenção

Como a causa da síndrome ainda não é certa, é difícil falar em cura e prevenção da doença, mas alguns hábitos ajudam a reduzir o desenvolvimento de problemas que podem vir a desencadear a SOP.

Alguns hábitos são: perda de peso, dieta e exercício físico, que reduz o risco de desenvolver diabetes tipo 2, um fator de risco para a síndrome do ovário policístico.

Conteúdo relacionado:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.