Protozoários

Os protozoários são seres bastante complexos e que podem causar muitas doenças aos seres humanos, vamos conhecê-los melhor?

0

O que são protozoários? Os protozoários são seres heterotróficos, eucariontes e unicelulares que fazem parte do Reino Protista, junto com as algas.

Eles são seres de vida livre que estabelecem relações ecológicas de parasitismo com outros seres vivos.

Algumas dessas relações podem ser mutualísticas, ou seja, com benefício para todos os envolvidos.

Elas também podem ser comensalistas, nesse caso, apenas os protozoários são beneficiados, mas sem prejudicar o hospedeiro.

Características dos protozoários

As células dos protozoários são muito complexas e, mesmo sendo unicelulares, elas executam todas as funções de um organismo complexo pluricelular, inclusive aquelas executadas por órgãos e tecidos.

Apesar de serem unicelulares, os protozoários podem se locomover, se reproduzir, realizar respiração, excreção e ter controle hídrico do seu corpo.

O controle hídrico é feito por uma estrutura típica dos protozoários: os vacúolos contráteis ou pulsáteis.

Assim como nos vacúolos das plantas, o vacúolo contrátil funciona através da diferença de concentração entre o citoplasma e o ambiente em que a célula se encontra.

Reprodução dos protozoários

A reprodução dos protozoários pode ser tanto sexuada quanto assexuada. No entanto, a mais comum é reprodução assexuada que pode ser de duas maneiras:

  • Divisão binária: a divisão de uma célula-mãe gera duas células-filhas;
  • Divisão múltipla: muitas mitoses sucessivas que formam muitas células pequenas.

Os paramécios fazem reprodução sexuada por conjugação. Eles passam por sucessivas mitoses que produz micronúcleos contendo o material genético.

Dois indivíduos se unem em uma ponte citoplasmática e trocam micronúcleos. Depois de se separarem, os micronúcleos recebidos se fundem aos produzidos por cada indivíduo e, assim, originam novos paramécios.

Classificação dos protozoários

A classificação dos protozoários é feita pelo modo de locomoção que cada um tem. Vamos conhecê-los!

Rizópodes

Esse é o grupo das amebas, elas usam um prolongamento do citoplasma chamado de pseudópodes (falsos pés) para se locomover.

Os pseudópodes fazem com que a ameba seja jogada para frente. Apesar de pequenas, muitas amebas podem ser vistas a olho nu, elas são protozoários aquáticos muito simples.

As amebas são protozoários de vida livre e que podem ser encontrados facilmente em locais com água doce como lodos, próximos a lagoas e até mesmo em meio a plantas aquáticas.

A entrada da água no corpo das amebas que vivem em água doce acontece em fluxo contínuo, por osmose e é controlada pelo vacúolo contrátil.

As amebas de água salgada não possuem vacúolo contrátil, a densidade do citoplasma é a mesma da água, mas elas têm a capacidade de formar vacúolo contrátil, se forem colocadas na água doce.

A reprodução das amebas acontece, na maioria das vezes, por divisão binária.

A alimentação das amebas também acontece através dos pseudópodes, por fagocitose. Eles englobam pequenas partículas e formam um fagossomo que se unem a lisossomos, para formar os vacúolos digestivos e iniciar a digestão com ajuda de enzimas.

A eliminação dos restos alimentares acontece num processo chamado de clasmocitose.

Flagelados

Os flagelados são protozoários que pertencem ao filo Zoomastigophora. Eles têm uma célula alongada que possui um flagelo na extremidade.

Além do flagelo, eles também têm uma membrana ondulante em volta de toda célula. A movimentação do flagelado é feita pelo movimento em forma de chicote do flagelo e de ondas dessa membrana.

Os flagelados possuem uma estrutura chamada de cinetoplasto que contém material genético e é capaz de se autoduplicar.

Ciliados

Os ciliados fazem parte do filo Ciliophora e são os mais complexos de todos os protozoários.

Eles se locomovem através de inúmeros cílios presentes na parede da célula. Eles têm a vida livre e os principais representantes dos ciliados são os paramécios.

Os paramécios possuem dois núcleos, chamados de macronúcleo, que está ligado à função reguladora de atividades metabólicas e, micronúcleo, relacionado a reprodução.

A reprodução dos paramécios é por divisão binária e a excreção acontece pela superfície celular.

Com relação à alimentação dos paramécios, eles possuem uma abertura chamada de citóstoma, ela é recoberta por cílios e funciona como uma boca.

Pequenas partículas de alimentos que entram pelo citóstoma formam vacúolos digestivos.

A expulsão dos restos se dá por uma abertura chamada de citoprocto, que funciona como um ânus.

Esporozoários

Os esporozoários fazem parte do filo Apicomplexa e são os únicos que não possuem nenhuma estrutura de locomoção.

A reprodução dos esporozoários é por alternância de gerações sexuada e assexuada, incluindo a produção de esporos.

O ciclo de vida deles é o mais complexo de todo o grupo. Esse protozoário é o causador da malária.

Doenças causadas por protozoários

Malária

Parasita: gênero Plasmodium sp.

Hospedeiro definitivo: fêmeas de mosquitos do gênero Anopheles

Hospedeiro intermediário: humanos

Local de parasitismo: glóbulos vermelhos do sangue

Contaminação: o protozoário é transmitido ao humano através da picada do mosquito, se fixa no fígado ou em células sanguíneas e atacam as hemácias. Causa anemia grave, problemas no fígado e no baço. Pode causar efeitos no sistema nervoso e levar o indivíduo à morte.

Prevenção: controle dos mosquitos transmissores para que não se reproduzam, tratamento de água, principalmente a que esteja parada. Uso de telas e repelentes, medicamentos antimaláricos quando indicados por um médico.

Amebíase

Parasita: Entamoeba histolytica

Hospedeiro definitivo: humanos

Hospedeiro intermediário: não há

Local de parasitismo: intestino grosso e, em menor ocorrência, fígado, pulmões e cérebro.

Contaminação: ingestão de cistos do protozoário em água ou alimentos contaminados, causam a disenteria amebiana. O parasita se fixa no intestino grosso e se alimenta dos restos presentes, além disso ele ataca as paredes do intestino e causa lesões e hemorragias.

Prevenção: construção e manutenção de rede de esgoto e qualidade da água, fervura da água, lavagem dos alimentos e bons hábitos de higiene.

Doença de Chagas

Parasita: Trypanosoma cruzi

Hospedeiro definitivo: humanos

Hospedeiro intermediário: inseto percevejo, conhecido como barbeiro

Local de parasitismo: coração, esôfago e intestino grosso

Contaminação: o barbeiro pica a pessoa e defeca ao mesmo tempo. Os protozoários que estão presentes nas fezes entram em contato com a feriada da picada e penetram o organismo do homem. O parasita se aloja em tecidos musculares e nervosos, o principal órgão atingido é o coração. No entanto, também pode causar meningites e lesões neurológicas graves que podem causar até mesmo a morte do indivíduo.

Prevenção: melhores condições de habitação para populações rurais, já que o barbeiro vive em estruturas de madeira e troncos de árvore.

Giardíase

Parasita: Giardia lamblia

Hospedeiro definitivo: humanos

Hospedeiro intermediário: não há

Local de parasitismo: intestino delgado

Contaminação: os parasitas vivem livremente no intestino e os cistos são eliminados nas fezes. A ingestão de água e alimentos contaminados reintroduz as giárdias no organismo humano.

Prevenção: semelhantes à da amebíase. Saneamento básico, fervura da água, lavagem dos alimentos e bons hábitos de higiene.

Leishmaniose

Parasita: Leishmania brasiliensis, principal causador no Brasil, mas pode ser causado por todos do gênero Leishmania

Hospedeiro definitivo: humanos

Hospedeiro intermediário: insetos conhecidos como birigui ou mosquito-palha, do gênero Lutzomyia

Local de parasitismo: na forma cutânea, a pele, de forma visceral, fígado, baço, entre outros.

Contaminação: os parasitas se reproduzem no corpo do inseto e são inoculados no humano durante a picada. No local da picada se desenvolvem lesões e ali os parasitas se multiplicam.

Prevenção: controle dos insetos transmissores, uso de telas e repelentes.

Tricomoníase

Parasita: Trichomonas vaginalis

Hospedeiro definitivo: humanos

Hospedeiro intermediário: não há

Local de parasitismo: órgãos sexuais externos

Contaminação: a tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível, mas, raramente, pode ser transmitida pelo compartilhamento de objetos contaminados como toalhas, roupas intimas, banheiros etc.

Prevenção: uso de preservativo.

Toxoplasmose

Parasita: Toxoplasma gondii

Hospedeiro definitivo: ratos, porcos

Hospedeiro intermediário: humanos

Local de parasitismo: vários tecidos do corpo

Contaminação: ocorre através do consumo de carne de porco contaminada ou contato com fezes de animais contaminados.

Prevenção: não andar descalço em locais que contenham animais que possam estar contaminados, não consumir carne de porco se estiver mal passada.

Veja mais: Toxoplasmose – O que é, transmissão, sintomas, na gravidez e tratamento

Exemplos de protozoários

Entamoeba histolytica

Protozoários - Entamoeba histolytica
Exemplo de protozoários – Entamoeba histolytica.

Trypanosoma cruzi

Protozoários - Trypanosoma cruzi
Exemplo de protozoários – Trypanosoma cruzi.

Giardia lamblia

Protozoários - Giardia lamblia
Exemplo de protozoários – Giardia lamblia.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.