Quais as diferenças entre dengue, zika e chikungunya?

Essas doenças transmitidas pelo mesmo vetor estão presentes no Brasil. Confira as diferenças entre Dengue, Zika e Chikungunya!

Dengue, zika e chikungunya são doenças que foram identificadas no Brasil como recorrentes e causadores de epidemia. A Dengue foi responsável por cerca de 500 mil casos no ano de 2020, de acordo com o Ministério da Saúde. A zika teve um número de 3.692 casos prováveis, enquanto a chikungunya registrou 47.105 casos, ainda de acordo com o órgão público.

São doenças similares com os mesmos meios de transmissão, sendo eles os mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. Apesar de ter semelhanças, há formas de diferenciá-las. Para aprender quais são as diferenças entre dengue, zika e chikungunya continue lendo e veja os principais sintomas.

Dengue – Sintomas

  • Febre acima de 38°C por 4 a 7 dias
  • Manchas na pele a partir do 4º dia em 30-50% dos casos
  • Dor nos músculos (comum)
  • Dor na articulação (raro)
  • Leve dor articular
  • Edema da articulação (raro)
  • Conjuntivite (raro)
  • Dor de cabeça
  • Leve coceira
  • Hipertrofia ganglionar (leve)
  • Alteração nas quantidades do sangue ou dos elementos que o constituem (moderada frequência)
  • Acometimento neurológico (raro)

Zika – Sintomas

  • Sem febre ou sub febril 38°C por 1 a 2 dias
  • Manchas na pele no 1º ou 2º dia em 90-100% dos casos
  • Dor nos músculos (relativamente comum)
  • Dor na articulação (relativamente comum)
  • Leve ou moderada dor articular
  • Edema da articulação (frequente e leve intensidade)
  • Conjuntivite (50-90% dos casos)
  • Dor de cabeça
  • Coceira intensa
  • Hipertrofia ganglionar (intensa)
  • Acometimento neurológico (mais frequente que dengue e chikungunya)
  • Sexualmente transmissível

Chikungunya

  • Febre alta acima de 38°C por 2 a 3 dias
  • Manchas na pele entre o 2º e 5º dia em 50% dos casos
  • Dor nos músculos (raro)
  • Dor na articulação (comum)
  • Intensa dor articular
  • Edema da articulação (frequente e de moderada a intensa)
  • Conjuntivite (30% dos casos)
  • Dor de cabeça
  • Leve coceira
  • Hipertrofia ganglionar (moderada)
  • Alteração nas quantidades do sangue ou dos elementos que o constituem (leve frequência)
  • Acometimento neurológico (raro e predominante em recém-nascidos)

Leia também:

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More