Regra de Emancipação do Auxílio Emergencial

Veja quem ainda poderá receber o benefício.

O Auxílio Emergencial é uma medida que continua ajudando milhões de brasileiros durante o tão difícil período de pandemia. Após 2 anos de restrições severas, o País está começando a voltar à normalidade, o que gera vários questionamentos sobre a continuação desse programa.

Quer saber mais sobre os planos do Governo Federal para o Auxílio Emergencial? Então acompanhe essa matéria na íntegra!

Continue lendo: Cartão Recomeçar: Saiba mais sobre o novo auxílio emergencial de R$ 3.000

A situação atual do Auxílio Emergencial

Criado em 2020 pelo Congresso Nacional, o Auxílio Emergencial ajuda 18,1 milhões de famílias hoje. Em dois anos, foram investidos cerca de R$7,3 bilhões, de forma que cada beneficiário recebe uma renda mínima mensal de R$400,00. Veja abaixo quem tem direito a esse benefício:

  • Trabalhadores informais com mais de 18 anos;
  • Trabalhador MEI;
  • Famílias com renda mensal de até três salários mínimos;
  • Famílias que não recebem benefício previdenciário ou assistencial, exceto o Bolsa Família.

Quais são as novas regras de emancipação do auxílio?

Logo que o Auxílio Emergencial foi implantado, apenas pessoas que não fossem trabalhadores formais (com carteira assinada) poderiam se inscrever no programa. Porém, com a nova situação vivida no mundo todo, muitas pessoas passaram a conquistar vagas de emprego. Apesar desse novo salário, muitas famílias ainda dependem do auxílio, o que criou um grande desafio para o Governo Federal: optar por manter ou não o benefício.

A solução encontrada foi a Regra da Emancipação

A Regra da Emancipação prevê que trabalhadores assalariados que recebem os repasses do Auxílio Emergencial poderão continuar a fazer parte do programa. Contudo, eles deverão atender a alguns requisitos, veja:

  • A família desse beneficiário especial deve receber até R$210 por pessoa, o que confere situação de pobreza;
  • O auxílio é mantido durante 24 meses para famílias que recebem até R$525 por pessoa.

Enquanto o programa estiver ativo, os beneficiários serão avaliados para verificar se eles continuam a fazer parte da parcela de brasileiros com direito às quantias. No caso de quem receber até R$525 por pessoa, o pedido do auxílio poderá ser renovado após os dois anos, mediante avaliação governamental.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More