Microchip para cães: O que é e para que serve?

O dispositivo pode ser muito útil, sobretudo em casos de perda ou fuga do animal.

Você já ouviu falar em microchip para cães? Esse dispositivo pode ser muito útil, e hoje iremos te contar como ele funciona e para que serve. Comumente, é difundido que o chip para cachorros serve como GPS, mas na verdade, não é bem assim que ele funciona.

Leia mais: Curiosidade: Conheça as menores raças de cães do mundo

Microchip para cães: O que é?

Essa ferramenta tecnológica tem o tamanho de um grão de arroz, que possui a finalidade de armazenar as informações do animal. Entre elas, estão o nome do cachorro, espécie, raça, idade, sexo e cor, bem como os dados do seu tutor ou tutora.

Dessa forma, se o cachorro fugir ou se perder, a pessoa que encontrá-lo pode levar o cãozinho ao veterinário. Esse profissional poderá acessar os dados gravados no microchip e, desse modo, o reencontro do pet com seus donos será mais fácil.

O chip serve como GPS?

Não. O chip não serve para rastrear o cachorro. Se esse é o seu intuito, existe no mercado uma opção de chip para cães com GPS. No entanto, o seu uso é externo, isto é, não é necessário implantá-lo no animal.

Como o microchip funciona?

O dispositivo é inserido no cão por meio de uma agulha hipodérmica, ou seja, logo abaixo da pele, bem próximo ao pescoço. O ideal é que o procedimento seja feito quando o pet tiver a partir de dois meses de vida. É importante ressaltar que esse processo é indolor e só pode ser feito por um médico veterinário.

O processo de inserção só precisa ser feito uma vez. O chip não possui bateria e deve ser ativado posteriormente, sendo que sua durabilidade chega a quase 100 anos. O custo para inserir o chip no animal, em média, é de R$ 90 a R$ 100.

Acesso às informações registradas

Existe um leitor, e por meio dele é feito o acesso aos dados armazenados no microchip. Essas informações registradas no dispositivo ficam em um banco de dados. Primeiramente é preciso escanear o chip, e então o leitor mostrará o número do animal, que serve para ter acesso às informações do pet arquivadas.

Cuidados com o microchip

Deve-se levar o cão ao veterinário para escanear o dispositivo a fim de garantir que o chip está no local correto e funcionando bem. Além disso, o tutor deve prestar atenção nos sinais de incômodo ou inchaço no pescoço do animal depois da implantação do chip. Se perceber algo do tipo, é preciso levar o cachorro para uma avaliação profissional.

Se você gostou desse conteúdo, então clique aqui para ler mais artigos como esse!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More