Antimônio – Elemento Químico Antimônio (Sb)

Utilizado em ligas de estanho e chumbo, o antimônio também pode ter aplicabilidade em camada protetora (obtida por eletrodeposição) sobre aços para impedir a ferrugem.

0

O antimônio é um elemento químico de símbolo Sb de número atômico 51 (51 prótons e 51 elétrons) e de massa atômica igual a 121,75 u.

Trata-se de um metal sólido de cor cinza prateada, quebradiço e pertence à família 5A da tabela periódica.

Presente naturalmente em algumas regiões da crosta terrestre, a substância, pertencente ao grupo dos metaloides, pode se apresentar de forma mais ou menos metálica.

É comum que o elemento seja encontrado em eletrodos de baterias de automóveis, ligas metálicas e alguns tipos de vidro.

Todavia, a toxicidade do antimônio depende exclusivamente do seu estado químico. O antimônio metálico por exemplo é relativamente inerte, porém a stibnite é altamente tóxica.

Assim, seu uso deve se restringir a ambientes devidamente ventilados para evitar a contaminação atmosférica, haja vista a possibilidade do elemento formar dermatites.

O antimônio de pureza superior a 99,999% possui aplicabilidade em tecnologia de semicondutores, de modo que é produzido pela redução de compostos de alta pureza, como o trióxido e o cloreto, com hidrogênio.

História

Não há uma história exatamente cronológica do elemento, este é conhecido desde épocas remotas.

Desde 3.000 a.C, o antimônio era conhecido pelos chineses e babilônios, sendo seu sulfeto empregado como cosmético e com fins medicinais. Também há relatos de usos do elemento retratados no Antigo Testamento, Jezebel utilizava-o como um cosmético para os olhos.

Assim como indica os artigos encontrados em túmulos antigos, as mulheres egípcias também adornavam os olhos com o sulfureto de antimônio.

Ainda, o elemento teve ampla utilidade na alquimia. Georg Bauer (Georgios Agrícola), e Basilio Valentín relataram sua aplicabilidade no ‘O carro triunfal do antimônio’, um tratado sobre o elemento.

Ademais, o nome antimônio foi retirado do termo latino antimonium, que surgiu pela primeira vez em uma tradução latina da obra de Ceber.

Isótopos

Simb % natural Massa Meia Vida Decaimento
117Sb 0 116,9048 2,80 h CE p/ 117Sn
118Sb 0 117,9055 3,6 m CE p/ 118Sn
119Sb 0 118,9040 38,1 h CE p/ 119Sn
120Sb 0 119,9051 15,89 m CE p/ 120Sn
121Sb 57,21 120,9038 Estável
122Sb 0 121,9052 2,72 d CE p/ 122Sn
b– p/ 122Te
123Sb 42,79 122,9042 Estável
124Sb 0 123,9059 60,3 d b– p/ 124Te
125Sb 0 124,9052 2,758 a b– p/ 125Te
126Sb 0 125,9073 12,4 d b– p/ 126Te
127Sb 0 126,9069 3,84 d b– p/ 127Te
128Sb 0 127,9092 9,1 h b– p/ 128Te
129Sb 0 128,9092 4,4 h b– p/ 129Te

Propriedades

Em sua forma elementar, o antimônio é um sólido cristalino, fundível, quebradiço, branco prateado que apresenta uma condutividade elétrica e térmica baixa, e evapora em baixas temperaturas.

O elemento apresenta diversas formas alotrópicas, nas cores cinza, amarela e preta, sendo a forma cinza, metálica e estável à temperatura ambiente. O antimônio de cor preta, conhecido como antimônio explosivo, se converte violentamente em antimônio cinza.

Embora seja semelhante aos metais no aspecto e nas propriedades físicas, suas reações químicas se diferenciam.

Pode ser atacado por ácidos oxidantes e halogênios.

No que se refere à abundância, o antimônio na crosta terrestre vão desde 0,2 a 0,5 ppm.

Ocorre juntamente com o enxofre e outros metais como chumbo, cobre e prata.

Para que serve?

Sendo um elemento crucial na indústria de semicondutores, este é usado para a construção de diodos, detectores infravermelhos e dispositivos de efeito Hall.

Também é usado como liga de modo a incrementar significativamente a a dureza e a força mecânica do chumbo. Ademais, também pode ter aplicabilidade em ligas como peltre, metal antifricção (liga com estanho), metal inglês (formado por zinco e antimônio).

Mais especificamente, o antimônio pode ter aplicabilidade em:

  • Baterias e acumuladores;
  • Tipos de imprensa;
  • Revestimentos de cabos;
  • Almofadas e rolamentos.
  • Fabricação de medicamentos para tratamento da Leishmaniose.

Dados

Nome do elemento: Stibium. Antimônio
Origem do nome: Do grego anti: em oposição a + mónos: único, sozinho = que não é encontrado sozinho. A origem do símbolo vem do nome latim stibium.
Descobridor: O elemento é conhecido desde a Antiguidade.
Ano de descoberta: desconhecido
Número atômico (Z): 51
Massa atômica (A): 121,7600
Família: 15
Período: 5

Raio atômico: 145 pm
Configuração eletrônica: [Kr]4d105s25p3
Estado de agregação da substância simples (CNTP): sólido
TE (substância simples): 1 587 °C
TF (substância simples): 630,63 °C

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.