Arte, ciência e literatura no século XIX – Conheça principais movimentos e suas características

Os campos da arte, da literatura, da música, da arquietura e da ciência sofreram influência da Revolução Industrial durante o século XIX.

0

Com os avanços tecnológicos alcançados pela Revolução Industrial, durante o século XIX, houve a ascensão de múltiplas áreas do conhecimento.

Diante disso, os estudos científicos e estéticos também passaram a vigorar como de interesse a maior parte das pessoas. Confira os principais movimentos e características da arte, ciência e literatura no século XIX.

A ciência no século XIX

darwin

Nesse cenário, as instituições passaram a investir no desenvolvimento de estudos e em busca do progresso da ciência. Outra ação foi a inserção do vocábulo “cientista” e da propagação da obra A origem das espécies, de Charles Darwin.

Constantes foram os investimentos na tentativa de sistematização de diferentes campos do conhecimento. Assim, implementou-se museus, escolas politécnicas, sociedades científicas e os estudiosos conquistaram uma euforia no campo do saber técnico.

As ciências duras, ou conhecidas como exatas, sofreram um impulsionamento ao ponto em que a tecnologia se aliava ao desenvolvimento industrial.

Diante disso, os campos da Física, da Química fina e da metalurgia se destacaram como principais áreas de desenvolvimento científico.

Alicerçadas no progresso, as ciências humanas alavancaram em outras áreas, como é o caso da Sociologia e da Psicologia.

Literatura no século XIX

romantismo

No universo das artes, o sentimento da Revolução Industrial acarretou na criação de novos sentimentos e expressões.

O Romantismo foi em busca de uma crítica às alterações da sociedade, indo ao encontro de um vida em conjunto com a natureza e em exaltação ao amor. Também houve espaço para o drama e a crítica as opressões recebidas pelas classes populares.

Já em meados do século XIX, em uma linha de maior contestação, abdicaram do espaço para o Parnasianismo. O movimento exaltava o belo, vendo a arte como uma lacuna que não deveria se ater as negatividades do ser humano.

Por outro lado, o Realismo e o Naturalismo destacavam as contradições humanas e promovia uma reflexão.

Ainda nesse momento, determinou-se uma literatura engajada e com respingos do pensamento marxista.

Artes no século XIX

jazz

Na arquitetura, regrediu-se padrões estéticos anteriores, como o do modelo gótico medieval. No território francês, o Art Noveau destacou a decoração arquitetônica.

Ademais, a inserção do concreto armado possibilitou elevar as construções dos prédios e desenvolver desenhos arquitetônicos mais detalhistas.

Quanto a pintura, as produções dialogaram com as correntes literárias. O Realismo deu voz a situações cotidianas, equilibrando o rigor estético e a expressão de sentimentos.

Mais uma corrente implantada foi a do impressionismo, acarretando em diferentes sensações pelo jogo das suas cores.

O campo musical também teve atualizações, seja a erudita ou popular. Na erudita, a obra de Beethoven deu lugar a outros ricos compositores.

Enquanto isso, na popular, o jazz surgiu como um estilo musical arraigado nos guetos norte-americanos.

Transição

No período de transição do século XIX para o século XX, a denominada cultura de massa iniciou o processo de invasão das cidades grandes.

Os irmãos Lumière, com o advento do cinema, acarretaram na França uma modificação no universo das artes.

A inserção do cinematógrafo deu inicio a chamada sétima arte.

Leia também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.