6 Dinâmicas para aula de artes

Dinâmicas em sala de aula para aula de artes, além de ensinar e estimular a criatividade, podem ser divertidas e lúdicas.

0

A aula de artes na educação infantil é de suma importância, haja vista que esta estimula a expressividade, imaginação e criatividade dos pequenos.

Dentro dessa realidade, cabe ao educador incentivar e apreciar a criação das crianças. Esse estímulo se faz necessário no processo de aprendizagem, no que se refere ao desenvolvimento da percepção e a imaginação — recursos indispensáveis para a compreensão de outras áreas do conhecimento humano.

Assim, é muito comum que em ambiente escolar se desenvolva atividades com sucatas, revistas para recorte, colagem, tinta, cores e rasgaduras, de modo que as crianças possam articular a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e fluir produções artísticas.

Por isso, separamos 6 dinâmicas para aula de artes para educação infantil para auxiliar nesse processo. Confira:

Primeiro encontro

Material: Balão, papel e caneta

Em um papel, cada um deve escrever suas expectativas para essa matéria. Dobrado, o papel deve ser colocado dentro de um balão e enchê-lo. Após, os balões devem ser espalhados pela sala. Na sequência, cada um deve pegar um balão qualquer e ler para o grupo, as expectativas do outro, para gerar um debate dinâmico.

Qualidades e Objetivos

Material: cartolina, pincel atômico, canetinhas, lápis de cor, lápis grafite, borracha, giz de cera, tesoura, cola, revistas.

Inicialmente, devem ser formados grupos proporcionais à depender da quantidade de participantes. O professor deverá distribuir uma cartolina contendo a silhueta de uma cabeça, bem grande, ao centro e parte do corpo.

Cada equipe deve recortar de revistas, palavras e/ou imagens que representam as qualidades das pessoas do grupo; colá-las dentro da silhueta. Fora dela, devem ser escrito o que querem alcançar enquanto alunos/crianças.

Após o trabalho prático, deve ser feita uma apresentação em círculo, mostrando os pontos fortes e os objetivos de cada grupo, para assim promover um debate lúdico e dinâmico.

Bonecos

Material: Sacolas plásticas, sucatas, embalagens, papeis (jornal, revista, retalhos coloridos, etc), fita adesiva, fitas coloridas, rendas, retalhos, percevejos, grampeador…

O material é posto a disposição dos alunos para que os mesmos possam escolher o material que mais lhe inspire para construir um boneco. As crianças devem escolher nome, endereço, onde estuda, idade, como é sua família, o que gosta de fazer de seus bonecos.

Após todos terem confeccionados seus bonecos, um círculo deve ser feito para que todos os “bonecos se apresentem”. Ao final da brincadeira, pode-se solicitar uma produção de texto sobre o boneco.

Auto-Retrato

Material: Lápis, cartolina, revista

Com a ajuda de um colega, cada um deve desenhar o contorno das próprias cabeças, e colar a partir de revistas, palavras/imagens que de alguma forma, se assemelhem a sua personalidade. Pode ser abordado passatempos, profissão, família, sonhos, ideais, etc.

Quando todos tiverem finalizado, os auto-retratos podem ser afixá-los na parede, como uma espécie galeria de arte. Cada autor deverá apresentar sobre sua obra.

Ingredientes para os problemas

Material: Bexiga, tiras de papel.

Formado um círculo, devem ser distribuídos uma bexiga vazia com uma tira de papel dentro escrita um ingrediente, para cada participante. O professor deverá ressaltar que as bexigas são os problemas enfrentados no dia a dia da disciplina, enquanto os ingredientes seriam as soluções.

O desenvolvimento da disciplina se dá com cada um enchendo sua bexiga e brincando com ela, jogando-as para cima, com as mais diversas partes do corpo, sem deixar ela cair no chão.

Aos poucos, o professor deverá pedir para alguns dos participantes saírem e deixarem suas bexigas no ar, para que os outros participantes não deixem as bexigas caiam ao chão.

Quando o professor perceber que quem ficou no centro não está dando conta de segurar os “problemas” (balões), pede para que os outros participantes voltem ao círculo e pergunta:
A quem ficou no centro, o que sentiu quando percebeu que estava ficando sobrecarregado?

A quem saiu, como foi abandonar o jogo?

Depois dessas colocações, o facilitador mostrará os ingredientes para todos os problemas, estourando os balões e lendo o que está escrito em seus papéis. As palavras remeterão sobre união e amizade, ressaltando assim que é mais fácil trabalhar quando estamos juntos.

Sugestões de palavras ou ingredientes: amizade, solidariedade, confiança, cooperação, responsabilidade, apoio, aprendizado, humildade, tolerância, paciência, diálogo, respeito às diferenças (tanto entre colegas quanto aos alunos), pedir ajuda, conhecer o sujeito aprendente, alegria, prazer, tranquilidade, troca, motivação, inovação, envolvimento de todos, empatia etc.

Cada um é palhaço

Materiais: Sucatas, copinhos, palitos, botões de vários tipos e cores, saco de lixo (cortado, pode virar indumentária), cola, tesoura, tinta, papeis coloridos, durex, grampeador, maquiagem, cartolina, papelão, papel crepom, tnt.

Inicialmente, o professor deve relatar sobre uma breve história do circo, ressaltando em especial sobre o palhaço. É importante dizer que esse personagem representa a alegria, a criança, a simplicidade dos fatos. Costuma ser risonho e estabanado, com o intuito de fazer rir. Mas que isso, não significa que todo palhaço deve ser assim, há vários palhaços com várias personalidades. Pode ser triste, alegre, romântico, sapeca, cuidadoso, nervoso, bravo.

Tendo isso em vista, os alunos deverão escolher adereços que melhor se adaptem ao palhaço que cada um imaginou. Como é a sua roupa? é larga? é justa? tem muitas cores? ele usa chapéu? de que cor? de que forma? como é a sua cara? sua boca? seu nariz? É liberado usar e abusar da criatividade!

Quando todos os alunos estiverem prontos, os palhaços devem fazer suas apresentações podendo utilizar músicas, objetos de sala, de modo a demonstrar sua personalidade, para que os demais possam adivinha-la.

Ao final da apresentação de todos, pode-se propor um debate sobre as impressões do público e qual ideia que a criança teve para criar e representar seu palhaço, as cores que se assemelham a sua personalidade, sua maneira de agir etc.

Veja também:

11 Dinâmicas de grupo para crianças
7 Dinâmicas para Reunião de Pais

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.