Escorbuto – O que é, sintomas, diagnóstico, causa, tratamento, prevenção

Escorbuto é uma doença carencial, por conta da falta de vitamina C. Nas Grandes Navegações, ela acarretou na morte de milhões de marinheiros.

0

O escorbuto é um enfermidade carencial vinculada à ausência de vitamina C. Na contemporaneidade, a doença não é recorrente. Porém, os casos existentes podem ser identificados nos grupos de risco por conta de uma dieta desequilibrada.

Entre os seus sintomas, estão os sangramentos na gengiva e hemorragias na pele. Saiba mais sobre o escorbuto!

Histórico do escorbuto

Na história da humanidade, o escorbuto já se faz presente há séculos. Registros históricos apresentam que, em 1515 a.C, os egípcios já tinham conhecimento da enfermidade. Porém, essa foi atrelada à ausência da vitamina C no organismo somente no século XVIII.

Popular na Idade Média, especialmente na Europa, quando no período do inverno havia escassez na produção e as pessoas reduziam o consumo de vitamina C.

Durante o século XVII, os ingleses se alimentaram mais de batatas, isso consequentemente reduziu os casos da doença.

Escorbuto e os marinheiros

Contudo, sem fazer a conexão entre a alteração na alimentação e a redução de casos, o escorbuto foi considerado uma epidemia. Isso porque, na época das Grandes Navegações, milhões de marinheiros morreram por decorrência do escorbuto.

Vários estudos procuraram compreender as causas das mortes e a doença recebeu diferentes títulos, tais como “a peste das naus”, atribuída pelos espanhóis; o “mal de Luanda”, pelos portugueses; e a “peste do mar”, pelos ingleses.

No entanto, foi o médico escocês da marinha inglesa, James Lindt (1716-1794), o primeiro a associar a mortalidade com a deficiência da vitamina C.

Em 1747, por meio de um ensaio clínico, o médico separou 12 marinheiros em seis duplas. Essas foram agrupadas com a mesma dieta, porém, cada uma tinha a complementação com um item distinto. Com isso, apenas uma dupla se curou, sendo a que teve como complementos laranjas e limões.

Diante disso, ainda que não totalmente certo que a vitamina C seria a responsável pela cura, o médico chegou a conclusão de que esses alimentos deveriam fazer parte da dieta dos marinheiros.

Entretanto, o antiescorbuto só foi identificado de forma isolada e nomeado como vitamina C na década de 1920, em 1928, por autoria do cientista Albert von Szent-Györgyi.

Sintomas de escorbuto

escorbuto sintomas

Entre os principais sintomas do escorbuto estão:

  • Sangramentos nas gengivas;
  • Hemorragias na pele e demora de cicatrização;
  • Dores musculares e inchaço nas articulações;
  • Perda de apetite;
  • Dentes abalados e suscetíveis à queda;
  • Tonteiras, fraqueza e fadiga;
  • Anorexia;
  • Alterações na pele;
  • Cabelos quebradiços.

Diagnóstico

O diagnóstico do escorbuto é realizado mediante a análise de sintomas e o histórico do paciente, principalmente mediante a privação de alimentos detentores de vitamina C.

A inserção de vitamina C pode ser uma opção para o diagnóstico, considerando a agilidade na melhora dos sintomas depois da aplicabilidade dela no tratamento.

Outra forma de comprovação da enfermidade é ao identificar osteoporose generalizada, assim como sinais radiológicos típicos na estrutura óssea do paciente.

Causa do escorbuto

A causa essencial do escorbuto é a ausência de vitamina C no organismo.

O ácido ascórbico (AA), ou vitamina C, é uma vitamina hidrossolúvel, ou seja, que é solúvel em água, a qual não pode ser sintetizada pelo organismo. Desse modo, ela é encontrada nas frutas cítricas, verduras e legumes frescos.

Com o papel antioxidante e agindo na síntese do colágeno, a falta da vitamina C pode trazer muitos malefícios. Entre eles estão a degeneração da pele e os problemas de cicatrização. Ademais, pode atrapalhar o metabolismo do ferro, e a sintetização dos lipídios e proteínas.

Contudo, o seu excesso pode acarretar no escorbuto de rebote, ao tomar doses exageradas de rebote e parar de uma hora para outra.

Tratamento e prevenção de escorbuto

vitamina c

Basicamente, o tratamento do escorbuto é realizado por meio da administração de doses de vitamina C. Essa é feita por meio de uma suplementação de 300 a 500 mg por 90 dias (três meses).

Outra opção de tratamento caseiro é ingerir cerca de 90 a 120 ml de suco de laranja ou tomate maduro e fresco, diariamente, no mesmo tempo do tratamento, visando complementá-lo. A partir disso, nas primeiras 24 horas, os sintomas já começam a ter melhoras.

Atenção! Vale ressaltar que a suplementação deve ser feita por indicação médica e, em hipótese alguma, uma pessoa pode se automedicar. Isso vale para qualquer doença.

Portanto, a prevenção ao escorbuto se dá por uma dieta regrada a frutas cítricas e alimentos ricos em vitamina C (abacaxi, acerola, aipo, kiwi, laranja, limão, morango, pimentão vermelho, tangerina etc.), além das verduras frescas e cruas.

Vale destacar que o consumo de vitamina C industrializada, aquela que é vendida na farmácia, não é o meio mais adequado de prevenção a doença. Sendo necessário mesmo, a inserção direta, por meio das frutas e vegetais.

Ademais, uma alimentação equilibrada traz inúmeros benefícios à saúde. É o caso dos compostos antioxidantes, que agem combatendo os radicais livres do corpo.

Esses têm atuação no envelhecimento e na causa de doenças, tais como artrite, câncer, cardiopatias e as doenças autoimunes.

Leia também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.