História do Halloween

Comemorado no último dia de outubro, essa data aguardada pelas crianças pelos doces distribuídos tem raízes antigas. Confira!

0

Halloween, conhecido como Dia das Bruxas no Brasil, é comemorado no dia 31 de outubro. A tradição nasceu pelo festival céltico de Samhain, quando a população fazia fogueiras e se vestia em fantasias.

O dia seguinte, 1 de novembro, foi designado como Dia de Todos os Santos pelo Papa Gregório III, em meados do século VIII. Consequentemente, a noite anterior foi nomeada All Hallows Eve, que significa véspera de todos os santos. Com o tempo, a data ficou conhecida como Halloween.

Origem do Halloween

A origem do Halloween tem raízes nas comemorações célticas, datados há mais de 2000 anos. O povo, em sua maioria, localizado na região da Irlanda, Reino Unido e norte da França, celebravam o novo ano no dia 1 de novembro.

Isso ocorria devido ao fim do verão e colheitas, e início do tempo escuro e frio, relacionado ao fim de ciclos, como a vida humana. Nesse momento, acreditavam que a separação entre os mortos e os vivos se tornava permeável. Assim, na noite anterior, comemoravam Samhain.

Além de causar desordem e estragar as plantações, os celtas tinham a crença de que a presença dos espíritos possibilitava que os druidas (padres célticos) fizessem profecias. Essas previsões eram importantes para o inverno frio, longo e difícil.

Para comemorar, montavam grandes fogueiras em que queimavam uma parte da colheita e animais como sacrifícios. Durante o festival, vestiam-se de fantasias, tipicamente, peles e cabeças de animais, e tentavam prever o futuro.

Ao final, recolocavam fogo nas fogueiras para iluminar e proteger o povo pelo caminho das longas noites de inverno.

Tradições e símbolos do Halloween

Com a conquista romana, duas comemorações se juntaram às tradições de Samhain. A primeira celebração foi a Feralia, que honra os mortos, a segunda, da deusa romana de frutas e árvores, Pomona. Como o símbolo da deusa é a maçã, isso pode explicar a presença de brincadeiras com maçãs no Halloween.

No século IX, o cristianismo havia chegado às terras originalmente célticas e, com a religião, as comemorações. Assim, Samhain tomou o nome cristão, Halloween. Com a colonização dos Estados Unidos, a tradição foi introduzida.

Além de fazer festas e banquetes, com a chegada de mais europeus nos Estados Unidos, a prática de ir de casa em casa pedindo doces foi incluída. A tradição nasceu das comemorações do Dia de Todos os Santos, quando pedintes iam até às casas para receber “bolos de alma”.

Segundo a crença popular, ao dar o bolo, as famílias pediam para rezar pelas almas dos entes queridos. A prática era estimulada pela Igreja para substituir o costume antigo de deixar comida e vinho para os mortos.

As fantasias tinham origem no Samhain, mas também na crença popular de que se vestir de fantasma confunde os espíritos. Além disso, deixavam baldes de comida do lado de fora da casa para satisfazer os espíritos e evitar que entrassem.

No final do século 19, houve um movimento de tornar a data um momento de reunião de famílias e vizinhos para o fortalecimento do senso de comunidade. Assim, a bruxaria e pegadinhas foram trocadas por brincadeiras para toda a família.

As abóboras ocas com velas são um dos símbolos do Halloween. Elas têm origem na Irlanda, devido ao folclore da figura de Jack da lanterna, mas, originalmente, a prática era feita com nabos.

Segundo a história, Jack, ao morrer, conseguiu enganar o diabo e escapar do inferno. Apesar disso, também não foi aceito no céu. Assim, saiu vagando pelas ruas com uma lanterna feita de nabo.

Halloween no Brasil

Devido às influências dos Estados Unidos, o Dia das Bruxas vem ganhando popularidade no Brasil nos últimos anos.

Em 2003, através do Projeto de Lei Federal n.º 2.762, o Dia do Saci foi indicado para celebrar o folclore nacional no mesmo dia.

Leia também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.