Imigração no Brasil – Aspectos, história, causas e fluxo imigratório

Se você pensa que o Brasil é um país, cuja população é pura, você está bem enganado. A população brasileira é formada por imigrantes de todas as partes do mundo. Confira!

0

O Brasil é um país cuja população é formada por imigrantes. Esse processo de imigração começou no início da colonização brasileira, com pessoas de outras partes do mundo, vindo, inicialmente de forma espontânea.

Posteriormente, quando a notícia do “descobrimento” das Américas se espalhou na Europa, as pessoas começaram a vir para o Brasil, com o intuito de explorar o “Novo Mundo”. Dessa forma, a colonização foi o objetivo inicial da imigração no Brasil.

A marca da imigração no Brasil pode ser percebida principalmente na cultura e economia das duas regiões mais ricas do país: Sul e Sudeste.

Principais causas da imigração

No século XIX, o Brasil era visto na Europa e Ásia (principalmente pelo Japão), como um país de muitas oportunidades. Por isso, pessoas que passavam dificuldades econômicas enxergavam uma ótima chance de prosperarem no Brasil.

Como dito anteriormente, após a abolição da escravatura no Brasil, em 1888, muitos fazendeiros não quiseram empregar e pagar salários aos ex-escravos, preferindo assim o imigrante europeu como mão de obra. Pensando nisso, o governo brasileiro incentivou e chegou a criar campanhas para trazer imigrantes europeus para o Brasil.

Além de tudo isso, muitos imigrantes também vieram para o Brasil fugindo do perigo provocado pelas duas grandes guerras mundiais que atingiram o continente europeu.

História da imigração no Brasil

Como foi citado anteriormente, a imigração teve início no Brasil, a partir de 1530, quando começou a se estabelecer um sistema relativamente organizado de ocupação e exploração da nova terra.

No entanto, essa tendência se acentuou a partir de 1534, quando o território foi dividido em capitanias hereditárias e se formaram núcleos sociais importantes em São Vicente e Pernambuco.

Esse foi um movimento ao mesmo tempo colonizador e povoador, já que contribuiu para formar a população que se tornaria brasileira, sobretudo num processo de miscigenação que incorporou portugueses, negros e indígenas.

Contudo, há quem diga que o processo de imigração começou a partir de 1850, com o fim do tráfico de pessoas escravizadas, e que foi uma maneira do governo querer apagar a herança escravocrata brasileira, com o objetivo de promover o “branqueamento” da população.

Imigração portuguesa

A criação do governo-geral em 1549 atraiu muitos portugueses para a Bahia. Foi a partir disso que a imigração tornou-se mais constante. O movimento de portugueses para o Brasil foi relativamente pequeno no século XVI, mas cresceu durante os cem anos seguintes e atingiu números expressivos no século XVIII.

A descoberta de minas de ouro e de diamantes em Minas Gerais, foi o grande fator de atração imigratória. Estima-se que nos primeiros 50 anos do século XVIII entraram só em Minas mais de 900 mil pessoas.

Além disso, no mesmo século foi registrado outro movimento imigratório: o de açorianos para Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Amazônia, estados em fundaram núcleos que mais tarde se tornaram cidades prósperas.

Imigração de espanhóis, franceses e judeus

No período colonial no Brasil, a entrada de estrangeiros era proibida pela legislação portuguesa. No entanto, isso não impediu que chegassem espanhóis entre 1580 e 1640, quando as duas coroas estiveram unidas.

Além dos espanhóis, judeus, originários principalmente da península ibérica, ingleses, franceses e holandeses também vieram para o Brasil no período de colonização portuguesa. Esporadicamente, viajavam para o Brasil cientistas, missionários, navegantes e piratas ingleses, italianos ou alemães.

Imigração de alemães

Imigração alemã no Brasil
Imigração alemã no Brasil

Muitos camponeses perderam suas terras com a unificação aduaneira promovida no Império Alemão e o processo de Unificação Alemã. Apesar de já existir cidadãos de origem alemã no Brasil, o dia 25 de julho de 1824 é considerado o marco da imigração. Nesta data chegaram 39 imigrantes alemães à cidade de São Leopoldo (RS).

O governo brasileiro os incentivou a dirigir-se para o sul e para a região serrana do Rio de Janeiro, em busca de terras para cultivo. Foi ali que eles tentaram reproduzir o estilo de vida de seus antepassados.

Por outro lado, o governo imperial esperava que eles ajudassem a defender as fronteiras brasileiras, por isso, muitos alemães eram forçados a se alistar no Exército assim que desembarcavam.

Imigração de italianos

A partir da década de 1970, começam a chegar contingentes de italianos no Brasil, e o fluxo só terminaria com a ascensão de Mussolini. Desde o fim do tráfico de escravos no Brasil, estimulava-se a vinda de italianos para o país, a fim de substituir os africanos escravizados.

Para isso, o governo brasileiro pagava a passagem dos imigrantes italianos em navios a vapor, e prometia a eles salários e casas, algo que não era cumprido quando eles chegavam no Brasil.

Eles receberam incentivos, como a propriedade da terra e cidadania. Foi assim que surgiram na região sul do país, cidades como Caxias do Sul, Garibaldi e Bento Gonçalves. Além desses lugares, a presença italiana pode ser sentida também em São Paulo, pelo seus aspectos culturais e políticos.

Os imigrantes italianos foram os primeiros trabalhadores das fábricas de São Paulo, e fizeram as primeiras “caixas de socorro mútuo” que tinham o objetivo de ajudar os operários quando ainda não havia sindicatos estabelecidos.

Imigração dos japoneses

O Brasil é o segundo país com maior população japonesa, ficando atrás somente do japão. Eles começaram a chegar no Brasil por volta de 1908, em São Paulo, para trabalhar nas lavouras de café.

Imigração Japonesa no Brasil
Kasato Maru, navio que trouxe os primeiros imigrantes japoneses para o Brasil, atracado no armazém 14 do porto de Santos em 1908.

Além de São Paulo, os imigrantes japoneses se estabeleceram também no Paraná e Minas Gerais, e inovaram as técnicas de cultivo conhecidas no Brasil.

Imigração atualmente

Após os anos 2000, com a estabilidade econômica e política, o Brasil passou a ser alternativa para cidadãos de países desenvolvidos e subdesenvolvidos. Além disso, eventos como a Copa do Mundo (2014) e as Olimpíadas (2016), se tornaram um verdadeiro chamariz para a imigração.

Atualmente, as principais levas de imigrantes recebidos são de haitianos, bolivianos e refugiados de guerra, como os sírios, senegaleses e nigerianos. Além disso, devido à crise na Venezuela, cidadãos desse país também estão cruzando a fronteira, especialmente em Roraima.

Conteúdo relacionado:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.