Inquisição

A Inquisição foi um movimento político-religioso que tinha como objetivo perseguir e punir os acusados de condenar as práticas da Igreja Católica.

0

A Inquisição, também conhecida como Tribunal da Santa Inquisição, foi criada na Idade Média, por volta do século XIII.

Dirigida pela Igreja Católica Romana, seu objetivo era perseguir e punir os acusados de condenar as teorias da doutrina católica. Essas pessoas eram chamadas de hereges, e todo ato considerado como ameaçador para a Igreja era chamado de heresia.

Sendo assim, a Inquisição foi um movimento político-religioso que ocorreu, inicialmente, na Idade Média e depois, na Idade Moderna.

Santa Inquisição

A partir da Idade Média, viu-se a necessidade de normatizar a religião católica que começava a ganhar mais adeptos.

Assim, foi criada uma instituição fundamentada pelo sistema jurídico da Igreja Católica, que possuía autonomia para investigar e julgar os indivíduos acusados de cometer heresia.

Desse modo, os hereges resistiam à rigorosa doutrina católica. Apoiados em religiões pagãs ou reinterpretando as teorias cristãs, muitos deles ansiavam por uma vivência religiosa distinta da que viviam.

Parte dos pesquisadores veem o herege enquanto um sujeito revolucionário, pois, ao defender seus pensamentos, ele desconsiderava as práticas que a Igreja Católica adotava para coibir as pessoas que iam de encontro aos seus preceitos.

Já para a Igreja, ele nada mais era do que um pecador que deveria ser salvo. Desta forma, a Inquisição visava, antes de tudo, o arrependimento do herege, por isso era chamada pela Igreja Católica de “Santa”.

Do mesmo modo, a Inquisição foi utilizada como um mecanismo de controle por parte dos reis que se aproveitavam para extinguir seus inimigos por meio da Inquisição.

Assim, ela teve um importante papel para a Igreja Católica e para os soberanos de alguns países europeus, como a França, Portugal, Itália e Espanha. Como também nas colônias da América portuguesa e espanhola.

É importante destacar que a Inquisição foi responsável por mais de 50 mil mortes ao redor do mundo. Dos mortos, a maioria eram mulheres condenadas pela prática de bruxaria.

Tribunal do Santo Ofício

A Igreja recebeu influências do Direito Romano para criar o Tribunal do Santo Ofício. O primeiro Tribunal Contra a Heresia foi criado em 1022, na França. No entanto, foi utilizado apenas em 1183.

O Tribunal do Santo Ofício foi instaurado em 1233 pelo Papa Gregório IX. Seu principal objetivo era combater as heresias praticadas pelos cátaros, também conhecidos como albigenses.

As primeiras investigações autorizadas pela Igreja Católica contra as pessoas consideradas ameaçadoras ao “Corpo de Cristo” ocorreram a partir do século XIII.

O primeiro grupo de clérigos incumbido de perseguir os hereges, foi a “Milícia de Jesus Cristo”.

Esses “fiscais da fé” adotavam a fogueira e as torturas como forma de impedir a ascensão de outras religiões.

Após o fim da Cruzada contra os cátaros (1209–1244), instaurou-se um Tribunal do Santo Ofício com o objetivo de identificar os culpados ou os inocentes individualmente.

As características do Tribunal do Santo Ofício se concentravam em:

  • Possuir um objetivo específico;
  • Ser integrado por religiosos;
  • Funcionar sob a autorização do Bispo ou do Papa.

Nicolas Eymerich, um clérigo, escreveu em 1376 o Manual dos Inquisidores. Neste livro, Eymerich fez diversas orientações a respeito dos métodos de investigação e punição aos hereges.

A Inquisição viveu uma relativa decadência durante o século XV, enfrentando um reavivamento devido aos interesses dos reis católicos espanhóis.

Inquisição espanhola

A Inquisição espanhola foi utilizada pelos soberanos como forma de perseguir e punir seus inimigos.

A partir da união dos dois maiores reinos da Espanha com o casamento de Isabel de Castela e Fernando Aragão, em 1478, milhares de mouros e judeus deveriam optar em ser convertidos ao cristianismo ou abandonar o país.

Ao se converterem à nova fé, eles teriam que renegar suas crenças. Os que se propuseram à conversão foram chamados de cristãos-novos.

No entanto, muitos deles seguiram praticando sua religião secretamente. Por isso, foi instaurado um Tribunal do Santo Ofício para certificar se as conversões haviam de fato ocorrido.

Inquisição no Brasil

A Inquisição no Brasil se deu por meio de visitas dos inquisidores ocorridas em três momentos.

De modo geral, eles se dirigiam à colônia portuguesa na América com o objetivo de verificar a vida dos cristãos-novos, se eles mantinham seus costumes anteriores à conversão ou se realmente havia se convertido à religião católica.

Inquisição Protestante

Os territórios conquistados pelos protestantes também sofreram a Inquisição, a partir da ruptura de Lutero com a Igreja Católica durante a Idade Média.

É importante salientar que o termo Inquisição Protestante se refere à perseguição que Lutero, Zwglio ou Calvino praticavam contra os cientistas, humanistas e católicos. Contudo, eles não utilizavam esse termo para se referir às suas ações.

As principais vítimas da Inquisição Protestante foram os católicos que, ao se recusarem à conversão protestantista, sofriam duras consequências.

Igualmente foram penalizados os indivíduos acusados de bruxaria, adultério e seitas, como os anabatistas.

Várias pessoas que não aceitaram o Anglicanismo no Reino Unido se refugiaram para as 13 Colônias na América, com o intuito de poderem praticar sua religião livremente.

Entretanto, a perseguição protestante chegou às colônias inglesas, comandadas por religiosos e pastores.

Principais características da Inquisição

Vejamos as principais características da Inquisição:

  • Os tribunais eram temporários, surgindo a partir da necessidade do julgamento dos casos de heresia.
  • Em diversos momentos, pessoas que não cometiam heresias eram condenadas para servir de exemplo para a população.
  • Por meio de denúncias ou de uma simples suspeita, indivíduos eram convocados a prestar depoimento aos inquisidores.
  • Os principais perseguidos eram os judeus, mouros, cientistas, filósofos e místicos.
  • Heresia: prática contrária à doutrina católica.
  • As punições variavam entre prisões (temporárias ou perpétuas), uso de roupas que demonstravam sua condição e a morte na fogueira.
  • Os hereges eram punidos pelo poder civil, não pelo Tribunal do Santo Ofício.

Principais métodos de tortura da inquisição

A tortura foi utilizada como método de investigação pelos inquisidores. Tais métodos se concentravam em:

  • Potro: os membros do corpo do acusado eram amarrados com cordas pressionadas para causar dor.
  • Polé: os membros da extremidade do corpo eram amarrados e esticados até que se rompessem os ligamentos.
  • Tortura d’água: o acusado era deitado de barriga para cima e obrigado a beber vários litros de água por um funil.
  • Roda: o indivíduo era amarrado em uma roda localizada em cima de farpas cortantes ou de um braseiro.
  • Pêndulo: o réu era preso, suspenso alguns metros e largado violentamente.

Saiba mais em: Igreja Católica na Idade Média

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.