Membrana Plasmática ou Plasmalema

A membrana plasmática ou plasmalema é um envoltório celular presente em todas as células vivas, sejam elas procariontes ou eucariontes.

0

A membrana plasmática ou plasmalema é um envoltório celular presente em todas as células vivas, sejam elas procariontes ou eucariontes.

Características gerais da membrana plasmática

Ela possui entre 6 e 9 nm e, por ser tão fina, só pode ser vista através de um microscópio eletrônico que amplia milhares de vezes mais que um microscópio de luz.

Mesmo em microscópio eletrônico, a plasmalema só é vista como uma fina camada clara entre duas linhas mais escuras que delimitam a célula.

Os componentes mais abundantes encontrados nas membranas plasmáticas são os fosfolipídios e as proteínas, por isso a constituição da membrana é conhecida como lipoproteica.

Essas moléculas estão extremamente bem organizadas na membrana plasmática, cada fosfolipídio possui uma parte polar (hidrofílica – com afinidade para a água) e uma parte apolar (hidrofóbica – repelem a água).

Eles são organizados em duas camadas, um ao lado do outro, justapostos e com as partes hidrofóbicas em contato.

Incrustadas na camada bicamada lipídica estão as proteínas, que podem ser integrais, ou seja, totalmente inserida na membrana, ou periféricas, alojadas apenas nas extremidades.

Esse modelo de membrana é conhecido como mosaico fluido e foi proposto por Singer e Nicholson.

Modelo Mosaico Fluido proposto por Singer e Nicholson em 1972.
Modelo Mosaico Fluido proposto por Singer e Nicholson em 1972.

Além de envolver, conferir proteção e dar formato, a membrana plasmática tem papel imprescindível na troca de substâncias entre as células.

Enquanto os fosfolipídeos garantem a estrutura da membrana, as proteínas assumem o papel de transportadoras.

As substâncias lipossolúveis conseguem atravessar a membrana plasmática através da bicamada lipídica, já as substâncias maiores e até mesmo a água, só atravessam a membrana através das proteínas e de tênues canais presentes nelas.

Funções das proteínas

  • Adesão: as proteínas de células adjacentes podem aderir uma a outra, “unindo” as duas células.
  • Ancoragem: funcionam como citoesqueleto.
  • Receptoras: selecionam as substâncias que serão recebidas pela célula.
  • Reconhecimento: algumas membranas possuem glicoproteínas que funcionam como marcadores de reconhecimento para outras células.
  • Transporte: As proteínas estão diretamente envolvidas nos transportes ativos de membrana.
  • Enzimática: algumas proteínas podem atuar isoladamente em vias metabólicas.

Especializações da Membrana Plasmática

As membranas plasmáticas revestem as células vivas e em muitas delas é preciso que elas adquiram alguma característica especial, essas adaptações são chamadas de especializações da membrana plasmática. As quatro especializações são:

  • Cílios e flagelos: são expansões da célula com alta mobilidade, funcionam bem em células móveis (como organismos unicelulares ou células gaméticas masculinas).
  • Microvilosidades: Aumento digitiforme da superfície da célula, lançadas para o meio extracelular, fazendo com que a superfície de contato seja ampliada.
  • Desmossomos: Propiciam maior fixação da célula com sua circunvizinha, cada desmossomo é composto por duas metades, cada uma delas pertence a uma das células.
  • Interdigitações: Comunicação das células em um tecido, fazem um encaixe perfeito de saliências e reentrâncias.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.