O que foi a Inconfidência Mineira?

A Inconfidência Mineira foi um movimento de caráter separatista que ocorreu durante o Brasil Colônia.


A Inconfidência Mineira ocorreu em 1789, na capitania de Minas Gerais, e se tornou a conjuração mais famosa. Durante o século XVIII, o Brasil ainda era uma colônia submetida à sua metrópole, Portugal.

Os elevados tributos impostos pela Coroa Portuguesa, revoltava os colonos que encontraram nos ideais revolucionários pautados no Iluminismo, uma forma de se manifestarem contrários ao sistema colonial.

A Inconfidência Mineira

A Inconfidência Mineira foi um movimento organizado pela elite de Minas Gerais: intelectuais, grandes negociantes, alguns membros da administração da capitania e parte do clero.

A maioria da população mineira estava descontente com as reformas administrativas adotadas pela Coroa Portuguesa, que queria aumentar o controle sobre a colônia, assim como os impostos.

Grande parte das minas da região haviam se esgotado e, com isso, a atividade mineradora entrava em declínio.

Desconsiderando tal realidade, a metrópole ameaçou aplicar a derrama (cobrança de todos os tributos atrasados de uma vez) para garantir o recolhimento dos impostos sobre o ouro.

Diante disso, a elite mineira começou a se articular em 1789. Vendo-se prejudicada pela política econômica da Coroa, foi organizado um movimento que tinha como intuito eliminar o pagamento das dívidas e dos tributos e proclamar a independência da capitania de Minas Gerais.

É importante salientar que entre os objetivos do movimento, não constava a libertação dos escravos.

Os inconfidentes se basearam nos ideais iluministas disseminados no continente europeu e americano.

Os intelectuais do movimento conseguiam ter acesso aos escritos iluministas por meio dos jovens que estudavam na Europa e traziam os livros — geralmente, em francês.

Antes do seu desdobramento, o levante foi delatado por Joaquim Silvério dos Reis. Ao denunciar a rebelião ao governador da província, Joaquim Silvério recebeu o perdão de suas dívidas.

Vários inconfidentes foram interrogados e presos, até homens de prestígio que estavam envolvidos no movimento foram condenados.

Proclamada em 1791, a sentença condenou sete réus ao exílio no continente africano e onze à forca. Entretanto, no ano seguinte, a pena de todos os réus condenados à morte se transformou em exílio, menos a de Tiradentes.

Com isso, José da Silva Xavier, o Tiradentes, foi o único indivíduo condenado à morte.

Tiradentes

Tiradentes era o apelido de Joaquim José da Silva Xavier. Ele foi um dos participantes da Inconfidência Mineira, ocorrida na época do Brasil Colônia.

Ele e seus companheiros lutaram pelo fim da cobrança exorbitante dos impostos e pela independência da capitania de Minas Gerais.

Considerado o inconfidente mais entusiasmado com o movimento, ele difundiu abertamente seus ideais contrários à postura da Coroa Portuguesa frente à colônia.

Joaquim José da Silva Xavier ficou muito conhecido por ter sido o único inconfidente condenado à forca. Sua cabeça ficou exposta na principal praça de Vila Rica e as demais partes do seu corpo foram colocadas no caminho que chegava à capitania de Minas Gerais.

Por isso, ele chegou a ser declarado como o principal líder do movimento, o que não era real. Seu papel foi admitido como secundário, durante o século XIX.

Veja mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More