Ciclos econômicos do Brasil

Os ciclos econômicos do Brasil foram caracterizados pela predominância de determinadas atividades econômicas que garantiam a manutenção da economia do país.

0

Os ciclos econômicos do Brasil foram as atividades econômicas que predominaram no país em diversos períodos de sua história.

O primeiro deles foi o ciclo do pau-brasil, ocorrido durante o período colonial, mais precisamente de 1500 a 1530. O segundo foi o ciclo da cana-de-açúcar, predominou também no período colonial, entre os séculos XVI e XVIII.

O terceiro foi o ciclo do ouro, vigorou principalmente no século XVIII. O ciclo do algodão teve seu predomínio no século XVIII e XIX.

O ciclo do café ocorreu entre os séculos XIX e XX e o ciclo da borracha vigorou entre o final do século XIX e início do século XX.

Vejamos a partir de agora os principais aspectos de cada ciclo econômico brasileiro.

Ciclo do pau-brasil

O ciclo do pau-brasil ocorreu durante o período pré-colonial, mais precisamente entre os anos de 1500 a 1530. Foi o primeiro ciclo econômico do país iniciado pelos colonizadores.

Inicialmente, o principal objetivo dos portugueses eram encontrar metais preciosos. Como o intento não foi realizado no primeiro momento, eles perceberam a importância dessa árvore originária da Mata Atlântica com poder de tingimento de tecidos e muito valorizada no mercado europeu.

A principal forma encontrada pelos portugueses para terem acesso à madeira e ao líquido expelido pela árvore foi por meio do escambo, isto é, em troca da mão de obra indígena (corte e transporte da madeira), os portugueses ofertavam objetos aos indígenas.

Em pouco tempo, a madeira tão explorada começou a entrar em extinção ao mesmo tempo em que o açúcar começou a ser valorizado no mercado europeu.

Com isso, o fim do ciclo do pau-brasil ocorreu a partir do início do ciclo da cana-de-açúcar.

Ciclo da cana-de-açúcar

O ciclo da cana-de-açúcar foi o segundo ciclo econômico vivido pelo Brasil ainda no período colonial. A cana-de-açúcar era um produto bastante valorizado no mercado europeu. Além disso, os portugueses já tinham experiência com seu plantio, pois já o realizava em outros locais.

Foi a partir desse momento que a escravização do povo africano começou a tomar forma. Eles eram utilizados como mão de obra escrava nas plantações de cana-de-açúcar. Nesse período iniciou-se o tráfico negreiro.

O açúcar foi a base da economia da colônia, nesse momento. As principais características desse ciclo são a monocultura, utilização da mão de obra escrava, priorização do mercado externo e latifúndios. Todas essas características compõem o sistema plantation.

Ciclo do ouro

O ciclo do ouro teve seu auge no século XVIII, ao explorar intensamente as jazidas auríferas principalmente no estado que hoje compreende Minas Gerais. Goiás e Mato Grosso também tiveram suas jazidas exploradas pelos europeus.

Esse período marcou o ápice da economia colonial. Investiram na extração do minério visando a estabilidade da economia.

Esse auge econômico vivido pelos portugueses gerou muita riqueza para a metrópole que encaminhava todo o ouro para o continente europeu. A população do país aumentou nesse período.

O ciclo do ouro teve seu fim no final do século XVIII após o esgotamento das minas.

Ciclo do algodão

O ciclo do algodão iniciou-se a partir do esgotamento das minas de ouro. Com isso, a partir do século XVIII e início do XIX, o algodão começou a ser um dos principais produtos de exportação nacional, ocupando um importante espaço da economia do país.

O início da Revolução Industrial na Inglaterra criou a necessidade de aumentar o acesso a matérias primas para a indústria de tecidos, por isso, o algodão passou a ser cobiçado intensamente pelo mercado europeu.

Ciclo do café

O ciclo do café teve seu auge no século XIX. O estado de São Paulo, mais precisamente o oeste paulista e a região do Vale do Paraíba foram os locais mais propícios à produção do café, devido aos solos favoráveis.

O café enquanto base econômica passou a vigorar após o declínio das exportações da cana-de-açúcar. A adoção da mão de obra escrava foi bastante utilizada no início do plantio do café.

Entretanto, muitos imigrantes europeus vieram para o Brasil a partir da política de imigração do século XIX em busca de melhores condições de vida. Por isso, viram no cultivo desse grão uma forma de subsistência.

Ciclo da borracha

O ciclo da borracha marcou o período em que o país utilizou o látex, uma substância líquida e espessa, como principal produto de exportação. O líquido é a base da borracha.

Na Região Norte do Brasil foi onde se desenvolveu esse ciclo econômico, nas cidades de Porto Velho (Rondônia), Manaus (Amazonas) e Belém (Pará).

O período correspondente a esse momento foi dividido em duas fases:

  • Primeiro ciclo da borracha – 1879 a 1912
  • Segundo ciclo da borracha – 1942 a 1945

Veja mais:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.