Objeto direto

O objeto direto é um complemento verbal que inteira o sentido de verbos transitivos diretos sem o auxílio de preposição.

O objeto direto é um complemento verbal que inteira o sentido de verbos transitivos diretos.

Estes verbos não trazem em si a ideia completa da ação, precisando, por isso, de um outro elemento para completar seu sentido.

Essa ligação de completude deve ocorrer de forma direta, isto é, sem o auxílio de preposição.

Considerando este aspecto, o objeto direto liga-se aos verbos transitivos diretos sem o subsídio da preposição.

Exemplo: Os burgueses tiveram lucro. [“tiveram” é verbo transitivo direto, portanto “lucro” é o objeto direto.]

Em contrapartida, há um complemento verbal que inteira também o sentido dos verbos transitivos, mas por meio de uma preposição. Este complemento denomina-se objeto indireto.

Abaixo destacamos mais informações sobre o objeto direto e suas ramificações.

A representação do objeto direto

O objeto direto pode ser representado nas frases por:

Substantivos ou palavras substantivadas

Exemplos:

  • O médico abandonou a paciente.
  • Estava esperando um sim.

Oração subordinada substantiva

Exemplos:

  • Espero que elas compareçam.
  • Observei que não foi realizado.

Pronomes substantivos

Exemplos:

  • Não aguento mais isso!
  • Ele fez o quanto pôde.

Pronomes oblíquos (o, a, os, as e as variantes lo, la, los, las, no, na, nos e nas)

Exemplos:

  • Todos a viram quando saiu.
  • Encontramo-lo caído.

Objeto direto preposicionado

Como sabemos, o verbo transitivo direto liga-se a seu complemento, o objeto direto, sem a presença obrigatória da preposição.

Porém, há casos em que o objeto direto aparece precedido de preposição. É o objeto direto preposicionado.

O objeto direto preposicionado ocorre especialmente:

  • quando se quer dar a ideia de parte, porção;

Exemplo: Comi de sua comida e bebi de sua cerveja. [“de sua comida” é o objeto direto preposicionado, “de sua cerveja” é o objeto direto preposicionado.]

  • quando se almeja evitar a ambiguidade na frase;

Exemplo: Enganou ao povo aquele governante. [“ao povo” é o objeto direto preposicionado.]

  • quando é formado do pronome “quem” (indefinido ou relativo);

Exemplo: Ela não soube a quem cumprimentar primeiro. [“a quem” é o objeto direto preposicionado.]

  • quando é constituído de pronome indefinido;

Exemplo: A morte sensibilizou a todos. [“a todos” é o objeto direto preposicionado.]

  • quando é formado de nomes referentes a pessoas;

Exemplo: Elisabete, não prejudiques a Henrique. [“a Henrique” é o objeto direto preposicionado.]

  • quando é formado de um pronome pessoal oblíquo tônico.

Exemplo: Não prejudiques a mim. [“a mim” é o objeto direto preposicionado.]

Objeto direto pleonástico

O objeto direto pleonástico é o termo que, para dar ênfase, aparece repetido.

Exemplos:

  • Este livro, eu o fechei já na terceira página.

Para dar ênfase a “este livro”, o pronome oblíquo o  é inserido para substituir os termos na frase.

  • Meu namorado, eu o considero meu grande amigo.

Para dar ênfase em “meu namorado”, o pronome oblíquo o é destacado para substituir os termos na frase.

Leia mais: 

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More