Patrística

Patrística foi uma corrente filosófica cristã que vigorou no período medieval.

0

A Patrística, Filosofia Patrística ou Escola Patrística, foi uma corrente filosófica cristã do período medieval. Vista como a primeira fase da filosofia medieval, ela surgiu no século IV.

Seu nome se deve aos diversos teólogos e padres da Igreja que a desenvolveram. Santo Agostinho de Hipona foi sua figura mais importante.

Características

Confira quais são as características da Patrística mais importantes:

  • Propagação do cristianismo no continente europeu;
  • Enfrentamento aos hereges — pessoas que adotavam práticas contrárias às da Igreja;
  • Retratada a partir da crença dos padres da Igreja Católica;
  • Contribuiu para a construção da teologia cristã;
  • Responsável pelo surgimento da maior parte dos dogmas cristãos;
  • Os “pais da Igreja” foram os responsáveis por formular o princípio do pensamento cristão que originaria, mais tarde, na Igreja Católica Apostólica Romana;
  • Compreensão da relação entre o racionalismo científico e a fé divina — racionalização da fé;
  • Os principais temas trabalhados por eles se baseavam no ceticismo, maniqueísmo e neoplatonismo.

A Patrística e Santo Agostinho

Santo Agostinho (354–430) foi filósofo, teólogo, bispo e a principal figura da Patrística. Suas pesquisas se voltaram para o maniqueísmo — a luta do bem e do mal — e para o neoplatonismo.

Ele explorou alguns temas:

  • Desenvolvimento dos termos “pecado original” e “livre arbítrio” como uma maneira de livrar do mal;
  • Acreditava na salvação dos homens aliada à predestinação divina;
  • Defendia a mescla da fé (Igreja) com a razão (filosofia), com o intuito de se chegar à verdade.

Para Santo Agostinho, a fé e a razão poderiam trabalhar juntas. Desse modo, a razão contribuiria para a busca da fé que só poderia ser alcançada por meio do pensamento racional.

Patrística e Escolástica

A Patrística foi a primeira fase da filosofia medieval, vigorando até o século VIII. Assim, durante sete séculos, a filosofia se voltou aos ensinamentos dos padres, bispos, teólogos, enfim, aos preceitos dos “homens da Igreja”.

No século IX surgiu a Escolástica, sendo a última fase da filosofia medieval. O principal representante dessa escola foi São Tomás de Aquino (1225–1274). Também chamado de Príncipe da Escolástica, seus estudos ficaram conhecidos como Tomismo.

A filosofia Escolástica se inspirou no cristianismo e na filosofia grega. A união da fé e da razão tinha como objetivo o desenvolvimento humano.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.