Pesquisa afirma que ingerir muito sal pode prejudicar o sistema imunológico

Muito é falado sobre os prejuízos do sal causados no organismo. Além disso, nova pesquisa afirma que o sal também causa a imunodeficiência. Saiba mais!

As melhores recomendações para uma boa alimentação é uma dieta com bastante variedade nutricional, cheias de frutas, legumes e verduras, e com opções diversificadas. Quanto ao sal, será que ele faz mal a saúde? Quais são as recomendações?

As frequentes orientações e cuidados a respeito do sal são relacionadas ao aumento da pressão sanguínea e suas consequências, como ataque cardíaco ou derrame.

Entretanto, surgiu uma novidade sobre o uso do sal. O Hospital Universitário de Bonn, na Alemanha, realizou uma pesquisa com o objetivo de analisar os efeitos da ingestão exagerada do sal.

Uma das descobertas sobre a relação do consumo excessivo do sal foi a que essa ação ocasiona problemas ao sistema imunológico.

Pesquisa

As análises mostraram que os experimentos laboratoriais em ratos, alimentados com excesso de sal, proporcionam infecções bacterianas em seus organismos.

Os humanos usados como voluntários ingeriram porções com 6 gramas a mais de sal do que o normal em uma alimentação. Esse consumo ocasionou problemas no sistema imunológico dos voluntários, assim como nos ratos.

A Organização Mundial da Saúde recomenda uma alimentação saudável com a ingestão de até 5 gramas diárias, o correspondente a uma colher de chá de sal por dia.

Entretanto, essa amostra de sal inserida na alimentação dos voluntários, corresponde a duas refeições de comidas de fast-food por dia. Ou seja, não é algo desproporcional a alimentação de algumas pessoas.

O Instituto Robert Koch, instituição de pesquisa e agência do governo federal alemão, realizou análises do consumo diário da população alemã.

A pesquisa aponta que os cidadãos do país consomem uma proporção excessiva de sal. Essa quantidade corresponde a 10 gramas de sal por dia pelos homens e 8 gramas é ingerido pelas mulheres.

Sal e sistema imunológico

Para entender a relação da ingestão de sal com os problemas no sistema imunológico, foi necessário estudar o organismo na totalidade. Essa afirmação se refere a que o estudo apenas em cultura de células é limitado e ineficaz.

A pesquisa aponta que a inserção de grandes quantidades de sal na alimentação, proporciona o aumento de glicocorticóides. Estes inibem a função de células imunizadoras.

O cloreto de sódio em excesso é filtrado pelos rins e eliminado na urina. Esse processo ativa um sensor que faz com que os glicocorticóides se acumulem no organismo e, consequentemente, a imunodeficiência.

Anteriormente, não havia essa relação do sal com falhas da defesa do organismo. Isso porque o conhecido era a capacidade do cloreto de sódio de matar parasitas no organismo, o que era relacionado a uma melhora da imunidade.

Por isso, esse estudo do Hospital Universitário de Bonn se mostra tão importante. Entretanto, Katarzyna Jobin afirma que um único estudo não é suficiente para delimitar uma resposta, sendo errado generalizá-lo. Assim, é necessária a execução de mais investigações realizadas no organismo todo.

Veja também: 

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More