Acetilcolina

Nesse artigo vamos conhecer esse importante neurotransmissor que pode prevenir doenças degenerativas.

A acetilcolina foi o primeiro hormônio neurotransmissor a ser descoberto, em 1914, pelo inglês Henry Hallett Dale. Ela é produzida no sistema nervoso central e periférico, no citoplasma das terminações nervosas.

O precursor da acetilcolina é a colina, um componente da lecitina. A reação entre uma molécula de colina e uma coenzima acetil-CoA forma a acetilcolina.

Acetil-CoA + colina = acetilcolina

Esse hormônio atua como um mecanismo mensageiro entre os neurônios e está relacionada a regulação da memória, do aprendizado e do sono.

Funções da acetilcolina

Por ser um hormônio que atua como mensageiro de células nervosas, a acetilcolina pode regular alguns efeitos dos sistemas nervoso, cardiovascular, excretor, muscular e respiratório.

Além disso, esse hormônio também tem funções excitatórias e inibitórias, podendo facilitar ou inibir um impulso elétrico nos neurônios.

Por isso, o funcionamento do cérebro pode ser severamente comprometido se não houver acetilcolina suficiente no organismo.

Tipos de receptores

Os receptores de acetilcolina que irão regular as ações desse hormônio no organismo podem ser de dois tipos:

  • Muscarínico: possuem ação indireta, são chamados de metabotrópicos. Eles são ligados a uma proteína G e atuam nas sinapses neuronais.
  • Nicotínico: possuem ação direta, são do tipo ionotrópicos. Os canais iônicos atuam nas sinapses neuronais e neuromusculares.
Acetilcolina - Síntese e reciclagem da acetilcolina na sinapse
Acetilcolina – Síntese e reciclagem da acetilcolina na sinapse

Efeitos da acetilcolina no corpo

A falta de acetilcolina no organismo pode causar hiperatividade, déficit de atenção, doença de Alzheimer, entre outros distúrbios.

No sistema nervoso, a acetilcolina tem papel importante em funções cognitivas como aprendizado, atenção e memória, causando as doenças acima citadas. Algumas drogas podem bloquear a síntese de acetilcolina e, assim, causar sintomas psicóticos graves.

No sistema respiratório, esses neurotransmissores são responsáveis pelo fechamento do esfíncter pós-capilar. A presença da acetilcolina promove a vasodilatação e o enchimento dos capilares sinusoides, fazendo com que os líquidos sejam extravasados.

No sistema cardiovascular, a acetilcolina promove a vasodilatação e diminui a frequência cardíaca, reduzindo também a força das contrações cardíacas.

Alimentos ricos em acetilcolina

As substâncias precursoras para a síntese de acetilcolina podem ser encontradas em muitos alimentos.

Por isso, uma alimentação contendo alimentos ricos em acetilcolina pode ser aliada para prevenção de doenças degenerativas.

Os níveis de acetilcolina devem se manter estáveis na quantidade adequada para cada indivíduo, se aumentada ou diminuída, pode causar intoxicação, problemas cardíacos, espasmos musculares e desencadear doenças.

Alguns dos alimentos ricos em acetilcolina são: amendoim, aveia, cogumelos, feijão, fígado, gema de ovo, leite e derivados, levedura, sementes de girassol e soja.

Veja também:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More