Farol de Alexandria

O Farol de Alexandria é considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.


O Farol de Alexandria era uma torre feita de mármore localizada na ilha de Faros, próximo à Alexandria, Egito.

O intuito era que ele fosse a entrada do porto, além de ser utilizado para informar os navegantes a proximidade das terras.

Construído durante o reinado de Ptolomeu, em 280 a.C., o Farol de Alexandria é uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

Construído pelo engenheiro e arquiteto grego, Sóstrato de Cnido, a estrutura de 150 metros de altura possuía três partes: a primeira era a base, que era quadrada, a segunda possuía um formato octogonal e a terceira foi construída em formato de cilindro.

Ele tinha dispositivos que marcavam a passagem do Sol, as horas e a direção dos ventos. O Farol possuía uma rampa que ligava a base ao topo, local em que, à noite, por meio de uma chama refletida por espelhos, iluminava até uma distância de 50 km. O objetivo era orientar os navegantes.

No topo do Farol havia uma estátua de Poseidon, deus dos mares e dos oceanos, de acordo com a mitologia grega.

Foi uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo que mais duraram, ficando atrás apenas das Pirâmides de Gizé.

O Farol de Alexandria foi destruído em 1375, após sofrer os abalos de um intenso terremoto. Em 1994, arqueólogos mergulhadores encontraram suas ruínas no fundo do mar.

De que era feito o Farol de Alexandria?

A estrutura do Farol de Alexandria era feita de pedra de granito, mármore e calcário, reforçada com chumbo derretido e cimento que ligavam os blocos de pedra. O local em que se encontrava a chama era repleto de espelhos para refletir a luz.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More