Grandes Navegações

As grandes navegações foram expedições marítimas realizadas pelos países europeus em busca de novas rotas comerciais e de expansão de seus territórios.

0

As Grandes Navegações foram expedições marítimas encabeçadas pelos europeus entre os séculos XV e XVI. Os primeiros países a se aventurarem em alto mar foram Portugal e Espanha, seguidos pela Inglaterra, França e Holanda.

Para se compreender o êxito das Grandes Navegações é importante levar em conta o revigoramento comercial europeu que ocorreu durante a Baixa Idade Média, a formação das monarquias nacionais e a ascensão da burguesia, uma nova classe social que surgia.

Além desses fatores, o aprimoramento das técnicas de navegação, a cobiça por metais preciosos e o anseio de descobrir uma nova rota para as Índias foram elementos cruciais para o advento das Grandes Navegações.

Resumo das Grandes Navegações

O comércio entre a Ásia e a Europa sofreu um abalo com a tomada de Constantinopla pelos turcos em 1453. Os produtos que iam à Europa, chegavam superfaturados devido aos altos impostos cobrados pelos turcos.

Devido a esse fato, comerciantes tanto de Veneza quanto de Gênova, que monopolizavam o comércio marítimo, procuraram outras formas de chegar às Índias. Ao mesmo tempo, Portugal e o Reino de Castela vinham investindo em técnicas de navegação.

Dessa maneira, os interesses de diferentes grupos se uniram em torno de investimentos nas navegações pelo Oceano Atlântico. Outro fator importante para a expansão comercial e marítima foi a união do rei com a burguesia.

Esse período foi marcado pela centralização do poder nas mãos do monarca que possuía prestígio, porém, pouco dinheiro e poder. Em contrapartida, a burguesia tinha dinheiro, mas não tinha poder e nem prestígio. Então, ambos decidiram se unir e apoiar financeiramente expedições para a Ásia, América e África.

Portugal foi o primeiro país a realizar grandes viagens marítimas. Já no início do século XV, ele se tornou o centro de estudos de navegação por meio da Escola de Sagres, uma escola náutica, criada pelo infante D. Henrique, conhecido como o Navegador.

Ele reunia navegadores, cartógrafos, mercadores e aventureiros com a finalidade de ensinarem e aprenderem conhecimentos importantes para o desbravamento do mar. Além de ter patrocinado várias viagens para a exploração do continente africano.

Grandes Navegações portuguesas

As Grandes Navegações portuguesas se iniciaram com a conquista de Ceuta, em 1415. Segue uma seleção das principais navegações realizadas por Portugal:

  • Chegada à Ceuta, África (1415)
  • Ocupação da Ilha da Madeira, Portugal (1419)
  • O temido Cabo do Bojador é ultrapassado pelos navegadores, África (1434)
  • Descoberta de Cabo Verde, África (1444)
  • Ocupação das ilhas de São Tomé e Príncipe, África (1471)
  • O navegador Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança (1488)
  • Vasco da Gama alcança Calicute, Índia (1498)
  • Pedro Álvares Cabral passa a ser considerado o descobridor do Brasil (1500)

Depois da chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil, os portugueses permaneceram avançando rumo a outros territórios com suas navegações. Foram eles: Malásia, Sri Lanka, Timor e China.

Grandes Navegações espanholas

A Espanha foi o segundo país europeu a se lançar ao mar. As Grandes Navegações espanholas ocorreram quase oitenta anos depois do país pioneiro, Portugal. Vejamos as principais navegações realizadas pelos espanhóis:

  • Cristóvão Colombo descobre a América (1492)
  • Alonso Ojeda desembarca na Venezuela. É nesta expedição que Américo Vespúcio descobre que as terras alcançadas são um novo continente (1499)
  • Fernão de Magalhães e Sebastián Elcano colocam em prática a primeira viagem de circum-navegação que se tem registro (1519)

Grandes Navegações europeias

Devido ao sucesso das navegações dos portugueses e espanhóis, outros países se lançaram em alto mar. Foram eles:

Inglaterra

As Grandes Navegações inglesas os possibilitou colonizar a América do Norte no final do século XVI. Além de serem estimulados a roubar os navios espanhóis que transportavam metais preciosos.

França

As Grandes Navegações francesas disputaram regiões dominadas pelos espanhóis por não aceitarem a divisão do continente americano estabelecido pelo Tratado de Tordesilhas. As invasões pelo Caribe e pelas costas norte-americanas lhes renderam algumas colônias, como os atuais Haiti, Canadá, Guiana Francesa e Louisiana.

Um grupo de franceses tentaram se fixar no território hoje correspondente ao Rio de Janeiro, denominada de França Antártica. Existiu de 1555 a 1570, quando os franceses e os indígenas tamoios – que apoiavam a ocupação da França – foram derrotados na Batalha do Cabo Frio.

Holanda

As Grandes Navegações holandesas consistiram na chegada deles ao continente americano no século XVII. Nesse mesmo período ocuparam os estados da Bahia e Pernambuco, no Brasil. Além de invadirem o atual Curaçao e Suriname.

Permaneceram no Brasil por mais de 20 anos. Entretanto, conseguiram se estabelecer no Caribe.

Consequências

As consequências das Grandes Navegações marcaram principalmente os continentes americano e africano. Vejamos algumas:

  • Milhares de etnias indígenas dizimadas;
  • Imposição de costumes, práticas e crenças às populações que conseguiram se manter vivas;
  • Difusão dos costumes da sociedade europeia em todos os continentes;
  • Escravidão de milhares de pessoas;
  • Violência e morte praticadas principalmente contra os africanos escravizados;
  • Incorporação cultural.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.