Guerra dos Cem Anos

A Guerra dos Cem Anos foi um conflito entre a Inglaterra e a França que durou de 1337 a 1453.

0

Guerra dos Cem Anos foi uma série de conflitos entre a Inglaterra e a França ocorridos entre os anos de 1337 a 1453. Tais enfrentamentos intensificaram a crise econômica vivida pela Europa no período.

A Guerra dos Cem Anos foi o resultado de rivalidades econômicas e políticas entre os reinos citados, principalmente o desejo inglês em ocupar o trono francês.

Guerra dos Cem Anos – Resumo

A Guerra dos Cem Anos foi um dos fatores determinantes para a crise do feudalismo. Durante o século XIV, os reinos da Inglaterra e da França eram os mais importantes do continente europeu.

Os territórios dessas nações eram divididos por províncias administradas por vassalos do monarca. Ou seja, tais regiões não eram unificadas.

Essa época foi marcada por disputas entre os dois reinos ocasionadas pelo domínio de territórios economicamente importantes. A região de Flandres, ao norte da França, era um deles.

O conflito se iniciou a partir do falecimento do rei francês, Carlos IV, que morre sem deixar herdeiros diretos ao trono.

Após várias desavenças relacionadas à sucessão do monarca, o rei inglês Eduardo III — neto do monarca francês, Felipe, O Belo (1285–1314) — afirma que ele deveria ocupar tal posição e unificar as coroas.

Contudo, a realeza francesa não concordou com a ideia. Assim, iniciou-se a uma guerra contra entre os franceses e os ingleses, em 1337.

Por ter durado 116 anos, o conflito ficou conhecido como a Guerra dos Cem Anos. Inicialmente, os ingleses venceram diversas batalhas. No entanto, os franceses se reorganizaram e conquistaram a vitória final.

Uma importante figura nesse conflito foi Joana D’arc, uma jovem camponesa que contribuiu para que a França saísse vitoriosa do conflito, expulsando os ingleses do território.

Por ter ocasionado milhares de mortes que, por consequência, diminuiu a mão de obra disponível e encareceu a produção tanto agrícola quanto artesanal, a Guerra dos Cem Anos foi considerada o último grande conflito medieval.

Além disso, o enfrentamento enfraqueceu a nobreza feudal e aumentou o poder do rei, aprofundando as tensões sociais.

As revoltas populares se tornaram mais intensas devido ao aumento dos impostos cobrados por parte da nobreza que havia gasto altos valores para o financiamento da guerra.

Com isso, artesãos, camponeses e pequenos comerciantes promoveram conflitos no campo e nas cidades, o que contribuiu para desestabilizar o sistema feudal.

Já a burguesia passava por uma ascensão social, obtendo propriedades de nobres falidos e apoiando a centralização dos poderes nas mãos do rei.

A concentração do poder na figura do monarca permitiu a proteção do mercado contra concorrentes estrangeiros, bem como a unificação da moeda.

A Guerra dos Cem Anos contribuiu para alimentar o sentimento nacionalista, formar exércitos profissionais e impulsionar novas técnicas de guerra.

Causas da Guerra dos Cem Anos

As principais causas da Guerra dos Cem Anos foram a disputa pelo trono da França e pela região de Flandres, um rico centro comercial que possuía uma expressiva indústria de produção de tecidos de lã.

Quem ganhou a Guerra dos Cem Anos?

A nação que ganhou a Guerra dos Cem Anos foi a França.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.