Rússia – História, bandeira, mapa, economia, cultura e curiosidades

A Rússia, ou no caso Federação Russa, é um país de grande riqueza cultural, econômica e social. Entre os seus destaques está o balé de Bolshoi e a pintura.

0

A Rússia, oficialmente Federação Russa, é uma nação localizada no norte da Eurásia, cuja capital é Moscou.

Detentora da maior área do planeta, a Rússia é também o nono país mais populoso.

Com um regime de República semi-presidencialista, Vladimir Putin é seu presidente desde 2012.

História

No ano de 1547, o grão-ducado de Moscou era visto com um poder regional notório e o príncipe Ivan também tinha sido o primeiro a ser coroado como Tsar (César).

Depois do reinado, os russos ultrapassaram os Montes Urais, dando início a expansão pelo território asiático.

Após um momento histórico, denominado como o “tempo dos problemas”, os russos nomearam um príncipe da dinastia Romanov como monarca.

Portanto, será o século XIX como um de maior relevância para a Rússia. Tendo em vista que, a nação ganhou as Guerras Napoleônicas e conquistou muitos territórios, como é o caso da Finlândia, do Turquestão e da China.

Entretanto, o Império Russo iniciou a decadência com o reinado do Tsar Nicolau II.

Ainda que tenha extinguido a servidão e apresentado melhorias para a população, o seu desempenho nas guerras contra o Japão e a Primeira Guerra Mundial reduziram a sua popularidade.

Portanto, o seu reinado durou apenas até 1917, quando abdicou diante da pressão pela Revolução Russa. Pouco depois, ele foi assassinado junto a sua família pelos socialistas.

Família romanov

Nos anos 1920, diante da morte de Lenin e na liderança rigorosa de Stalin, a Rússia passou a ser União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Por meio de métodos rigorosos, Stalin alcançou o país ao patamar de potência industrial, agrícola e militar.

Stalin

Ainda nesse período, foi quando a nação esteve pronta para a Segunda Guerra Mundial, conseguindo, inclusive, fazer frente ao exército alemão.

Saindo como potência aliada do Reino Unido e dos Estados Unidos, o Exército Vermelho vence e a URSS expande a sua influência pelo Leste Europeu.

A polaridade entre o capitalismo e o socialismo é amenizada nos anos depois da Guerra Fria.

Porém, neste momento, URSS e EUA começaram uma batalha.

Fim da URSS

Nos anos 1980, ao se deparar com a promoção de Mikhail Gorbachev a secretário do Partido Comunista deu-se início a um novo momento para a União Soviética.

Neste período, foi quando Gorbachev começou a conversa com o presidente Ronald Reagan e a primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, cujo intuito era assegurar com que as políticas de Perestroika e Glasnost fossem aprovadas internacionalmente. Assim, seria propicia uma transição serena para a União Soviética.

Contudo, o cenário foi outro, tendo em vista que a pressão nacionalista intensificou.

Com isso, muitos países aproveitaram para proclamar a independência e desfazer os elos com a Rússia. Do mesmo modo, as potências capitalistas não apresentaram nenhum auxílio financeiro ao país.

Federação Russa

Depois do rompimento da União Soviética, a Rússia ganhou um novo nome, apenas Federação Russa, e retornou com a antiga bandeira de 1917, promovendo também eleições livres.

A Rússia sugeriu a criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), isso com o interesse de manter a influência e o contato das ex-Repúblicas soviéticas.

Em um plano interno e, por meio de um golpe, o presidente Boris Iéltsin  fecha o Parlamento (a Duma) e aplica a transição do sistema do socialismo para o neoliberalismo.

A transição foi extremamente complicada, por conta da ausência de regulamentação, além de haver a corrupção da oligarquia russa. Outro fator negativo foram os combates na Chechênia e no Kosovo.

Com a ausência de apoio popular e do partido, Iéltsin renuncia a presidência no dia 31 de dezembro de 1999.

Na ocasião, o vice-presidente Vladimir Putin assume o posto e se configura como uma personalidade conceituada na política russa, isso durante as duas primeiras décadas do século XXI.

EUA X Rússia

O peso político da Rússia é algo que não se pode questionar. Contudo, sua relação com os Estados Unidos permanece algo complexo, pelo fato das nações pleitearem a supremacia na Ásia. Cenário similar é atribuído ao arsenal bélico e nuclear.

As disputas travada entre os países vêm desde o início da Guerra na Síria, em 2011.

No cenário, os russos têm assumido a frente ao mandar suas tropas. Mas, demonstram apoio ao presidente sírio Bashar al-Assad, cuja pessoa tornou-se uma “persona non-grata” ao Ocidente.

Outro ponto discutível é o fato do presidente Vladimir Putin ter sido acusado de interferência nos assuntos internos americanos, sendo um exemplo a eleição de Donald Trump, no ano de 2015.

Direitos civis

Considera-se a Rússia como um país democrático, isso porque ela promove eleições e atua em prol da extinção da censura. Contudo, alguns direitos civis ainda não são respeitados em sua totalidade.

Conforme a Anistia Internacional, ainda há discriminação, racismo e assassinatos de membros de minorias étnicas no país.

Em 2013, no relatório Freedom in the World, a organização norte-americana Freedom House descreveu a Rússia como um país não livre. Isso porque ainda há nela divergências na garantia de direitos políticos e de liberdades civis.

Ainda antes, no ano de 2006, a The Economist havia publicado uma classificação da democracia de 162 nações e a Rússia havia conquistado o 102º lugar.

Classifica-se o país com um regime híbrido, propiciando o controle dos meios de comunicação e demais liberdades civis.

Entre os casos, estão o assassinato da jornalista Anna Politkovskaya, em 2006 e prisão de Nikolai Alexeev, durante um protesto em Moscou.

Homossexuais e LGBT’s

Os homossexuais e LGBT’s também têm enfrentado limitações de seus direitos no território russo.

Um exemplo foi a restrição atribuída pelo Tribunal Superior de Moscou, em 2012. Segundo tal, nenhuma parada gay poderia ser executada na cidade pelos próximos 100 anos.

Além disso, um ano depois, em 2013, o governo aprovou um projeto de lei federal que restringia a distribuição de “propaganda de relações sexuais não tradicionais” a menores de idade. E a legislação impunha altas multas aos que ferissem as regras.

Testemunhas de Jeová

No período do Stalinismo na URSS, as testemunhas de Jeová foram perseguidas. Acredita-se que cerca de 10.000 tenham sido presas ou deportadas.

Ao retornar para a democracia, pensava-se que tudo havia sido resolvido. Porém, em 2004, um tribunal de Moscou acusou os membros de incitar algumas pessoas ao suicídio, tendo a comunidade de ser desfeita.

Mais tarde, em 2017, o Supremo Tribunal de Justiça Russa categorizou como extremistas as ações das Testemunhas de Jeová na Federação Russa.

Desse modo, as suas propriedades foram embargadas. Ademais, caso seja visto distribuindo materiais ou em reunião, os religiosos podem ser condenados a até dez anos de prisão.

As medidas restritas foram alvo de protestos por todo o globo.

Bandeira

Bandeira da Rússia
Bandeira da Federação Russa

A bandeira da Rússia é tricolor, possuindo três linhas horizontais nas cores branca, azul e vermelha.

A sua origem é remota no século XVIII, sendo depois substituída pela bandeira da URSS, de 1917 a 1991.

União Soviética
Bandeira da União Soviética

Ao fim da URSS, o Parlamento russo retomou a antiga bandeira tricolor.

Significado das cores da bandeira da Rússia

As cores da bandeira russa foram sofreram alterações com o passar do tempo. No período da monarquia, o branco simbolizava Deus; o azul, o rei; e o vermelho, o povo.

Após o fim da URSS e o surgimento da Federação Russa, outras significações foram atribuídas as cores. O branco transmitia a pureza e a fé cristã; o azul, a verdade e a mãe de Deus (Maria); e o vermelho, a força.

Mapa da Rússia

Mapa político da Rússia

A Federação Russa é o país detentor da maior extensão territorial do mundo (17.075.400 km²). O país abrange por quase toda a metade da Europa e um terço da Ásia.

A nação faz limite geográfico com o Oceano Ártico e o Oceano Pacífico, ao norte e leste, respectivamente.

Nos dias atuais, a Federação Russa faz fronteira com 17 países e possui 11 fusos horários distintos. São eles: Finlândia, Noruega, Estônia, Lituânia, Letônia, Polônia, Bielorrússia, Moldávia, Ucrânia, Geórgia, Azerbaijão, Cazaquistão, Mongólia, China, Coreia do Norte, Japão e Estados Unidos (fronteiras aquáticas).

Economia

A economia da Federação Russa é marcada pela presença de importantes recursos naturais e humanos, os quais a colocam em uma importante posição de desenvolvimento econômico.

Detentor da maior reserva de gás natural do mundo, é sua também uma das maiores reservas de carvão e petróleo.

Ademais, a nação é caracterizada por um forte setor militar, industrial e científico.

O enorme potencial bélico permite com que seja vendedora de armas militares para múltiplos países, tais como China, Índia, Vietnã e tantos outros. Além disso, há a capacidade científica, a colocando como uma das primeiras potências espaciais e parte do clube nuclear.

Depois da desintegração da União Soviética, a Rússia se deparou com uma contração econômica. Isso se deu mediante a implementação das reformas, porém estabelecendo uma economia de mercado moderna.

Ao longo dos anos 2000, a Federação Russa chegou ao alto patamar em taxas de crescimento econômico, a consolidando como uma das maiores economias do mundo.

O aumento do petróleo e do gás a beneficiou, ocasionando no pagamento de boa parte da sua dívida externa e, consequentemente, elevou as suas reservas monetárias internacionais.

Diante disso, a classe média vai crescendo e, proporcionalmente, a pobreza reduz.

A Rússia é uma das integrantes da área da APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation), além de fazer parte do bloco econômico BRICS, em que fazem parte os países: Brasil, Rússia, Índia, China e, em 2011, adentrou, a África do Sul.

No ano de 2050, segundo as estimativas econômicas, esses países serão classificados entre as cinco maiores economias do planeta.

Cultura

Pelo fato de ser fruto de uma sociedade multiétnica, a cultura russa assim reflete.

Artes e pintura

Os reis russos patrocinavam as artes, comprando uma grande quantidade de obras com o objetivo de impressionar os vizinhos.

Não a toa os seus artistas são conhecidos como os melhores do mundo. Localiza-se na nação a Galeria Tretyakov, em Moscou; o Museu Russo e o Museu Hermitage, ambos em São Petersburgo.

Museu hermitage

Descendentes da Arte Bizantina, a pintura russa foi desenvolvida aliada à religiosidade e espiritualidade dos ícones religiosos.

Dos nomes de pintores, um dos mais influentes no século XX foi Wassily Kandinsky, propiciando novas possibilidades por meio do expressionismo e abstracionismo de seus quadros.

Passada a Revolução Russa, o realismo socialista foi a escola de arte que prevaleceu na Rússia. O principal intuito de suas obras era destacar o mundo que havia se construindo pelos socialistas.

Arquitetura e artesanato

A arquitetura e o artesanato russo recebeu intervenção da conversão ao cristianismo ortodoxo, assim como da arte e arquitetura bizantinas.

A Igreja ortodoxa esteve sempre no centro da vida russa, sendo os seus ícones reconhecidos por todo o mundo.

Há múltiplos estilos da arte decorativa tradicional, tais como gzhel, khokhloma, palekh.

Rico em detalhes e com roupas bordadas, como um sinal de distinção aos japoneses, assim é o artesanato russo. E entre os seus objetos, os mais populares são as “matriochkas” – uma série de bonecas em tamanho crescente.

matriochka

Ademais, 25 cidades russas são enquadradas como Patrimônio da Humanidade, titulo atribuído pela Unesco. Entre elas estão: Derbente, Bogar ou o centro histórico de São Petersburgo.

Centro histórico de São Petersburgo

Música

Também rica e diversificada é a música russa, do clássico ao rock, de romances ao pop.

Com uma extensa tradição, os seus instrumentistas se enquadram entre os melhores do mundo.

Dos nomes, destacam-se compositores como Alexander Borodin, Igor Stravinski, Sergei Rachmaninoff, Modeste Moussorgski e Mikhail Glinka.

Dança

Não só as danças folclóricas são o forte dos russos, tendo o balé, ainda que originado na Itália, se consagrado como uma maravilha russa e o auge da inspiração.

O Teatro Bolshoi, em Moscou, e o Teatro Mariinski, em São Petersburgo são centros do balé de destaque e sonho de muitos bailarinos pelo mundo.

Em 2000, foi instalada uma única filial do Teatro Bolshoi na cidade de Joinville, em Santa Catarina.

Teatro Bolshoi no Brasil

Cinema e literatura

Conhecida pelo cinema, o qual, principalmente na altura soviética, recebeu inúmeros prêmios internacionais, marcando a memória dos amantes da arte.

Alguns compositores merecem destaque, como por exemplo Tchaikovski, Rachmaninoff e Rimsky-Korsakov.

A literatura, então, é digna de patrimônio da humanidade.

Grandes escritores são da nação: Leon Tolstói, Fiodor Dostoïevski, Anton Tchekhov, Vladimir Maïakovski e Alexander Pushkin.

É da Federação Russa, também, livros notórios, tais como Guerra e Paz, Anna Karenina, Crime e Castigo, Irmãos Karamazov.

Livro Ana Karenina

Religião

O cristianismo foi aderido pelos russos em 988, ao Grande-Príncipe de Kiev e de todas as Rússias, Vladimir I, inserir a religião do Império Bizantino.

Assim sendo, a maior parte da população é da religião católica ortodoxa.

A decisão influenciou, também, a adoção do alfabeto cirílico e não latino.

Curiosidades

  • A população russa conta com uma quantidade muito superior de mulheres a homens, são aproximadamente mais de nove milhões de mulheres a mais.
  • Ainda que adotem o calendário gregoriano, a Igreja Ortodoxa Russa segue o antigo calendário, justificando a comemoração do natal no mês de janeiro.
  • Na capital Moscou, qualquer carro particular pode ser táxi. Para isso, basta indicar o sinal e combinar o preço da corrida entre as partes.
  • Os russos possuem algumas superstições e uma delas é sobre o buquê. Para eles, é de mau gosto dar de presente um buquê cuja numeração das flores seja par, pois isso traria azar. Ao contrário, só um arranjo contendo 5,7 ou 9 flores seria bem visto.
  • A Federação Russa detém a fama de ter as suas situações curiosas propagadas na internet. Por isso, o Paraná vem sendo denominado como “Rússia Brasileira”, diante dos acontecimentos estranhos que tem ocorrido e sendo postado nas redes sociais.

Talvez você possa se interessar por:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.