Verbos intransitivos

O verbo intransitivo é aquele que traz em si a ideia completa, não precisando de um outro termo para completar o seu sentido.

0

O verbo intransitivo é aquele que traz em si a ideia completa, não precisando de um outro termo para completar o seu sentido, por exemplo, nestas frases: “O Sol despontou” e “As flores caem”.

Observe que os verbos acima completam os sujeitos e não precisam de outros elementos que lhes dê sentido.

Na primeira frase, “despontou” dá a noção completa que o Sol, sujeito da oração, surgiu, apontou no horizonte.

Na segunda, “caem” dá a ideia completa que as flores, também sujeito oracional, tombam, estatelam-se no chão.

Os verbos intransitivos têm termos acompanhantes?

O verbo intransitivo pode, sozinho, completar uma ideia e formar um predicado, que é o termo da oração que contém o verbo e as informações sobre o sujeito.

Entretanto, o verbo intransitivo também pode aparecer acompanhado de palavras ou expressões indicativas de lugar, intensidade, modo, tempo.

Estes termos que podem acompanhar o verbo intransitivo são os adjuntos adverbiais, ou seja, podem ser os elementos que indicam circunstâncias (de tempo, afirmação, negação, dúvida, meio, causa, preço, concessão, matéria, assunto, finalidade, companhia, instrumento e lugar) ou podem ser predicativos, termo essencial da oração que atribui características.

Observe os exemplos:

  • Henrique chegou rapidamente.

Nesta frase, o sujeito é “Henrique”, o verbo intransitivo é “chegou”, e “rapidamente” é o adjunto adverbial, elemento que contribui para a especificação da informação do verbo “chegar”.

Portanto, pode-se afirmar que se a frase fosse apenas: “Henrique chegou”, a ideia do verbo chegar ainda estaria completa e todos compreenderiam, já que ele é intransitivo.

Porém, com a inserção do adjunto adnominal “rapidamente”, o verbo chegar se enriquece e pode-se saber sobre a circunstância da chegada de Henrique.

  • Viveu sozinho.

Nesta frase, o sujeito está implícito. Pela terminação do verbo intransitivo “viver”, compreendemos que o sujeito é uma terceira pessoa do singular: ele ou ela. Pela terminação de “sozinho”, pode-se afirmar que é um homem: ele.

No contexto desta frase o predicativo está especificando o verbo viver. Portanto, pode afirmar que se a frase fosse apenas: “Viveu” ou “Ele viveu”, a ideia do verbo viver ainda estaria completa e todos compreenderiam, visto que ele é intransitivo.

Mas, a inserção do predicativo “sozinho” enriquece o verbo viver, além de também apontar uma circunstância.

Exemplos de verbos intransitivos

Abaixo leia uma lista de verbos intransitivos:

  • proceder
  • suceder
  • casar
  • sofrer
  • levantar
  • sentar
  • deitar
  • dormir
  • chorar
  • andar
  • viver
  • morrer
  • nascer
  • brincar
  • comparecer
  • errar
  • sumir
  • explodir

Alguns verbos intransitivos também podem ter outras classificações.

Exemplos: “Dormir” é um verbo intransitivo, mas também é considerado verbo transitivo. O mesmo acontece com: casar, sofrer, levantar, sentar, etc.

PUBLICIDADE

Verbos intransitivos x Verbos transitivos

Como foi estudado, o verbo intransitivo traz em si uma ideia completa e não precisa de complemento. O complemento só o acompanha em casos facultativos.

Em contrapartida, o verbo transitivo não traz em si a ideia completa e precisa de complemento.

Exemplo:

  • Os professores precisam de melhores salários.

Nesta frase, o sujeito é “os professores”, o verbo transitivo é “precisam” e o complemento é “de melhores salários”.

Vê-se que o verbo “precisar” nesta frase não completa o sentido. Portanto, é possível fazer o seguinte questionamento: “O professores precisam de quê?”

Ao destacar que eles precisam “de melhores salários”, o sentido do verbo precisar se completa.

O verbo transitivo pode ser dividido em três categorias: verbo transitivo direto , verbo transitivo indireto e verbo transitivo direto e indireto.

O verbo transitivo será transitivo direto quando o seu complemento (objeto direto) não for seguido de preposição.

Exemplo:

  • Os burgueses tiveram lucro.

Nesta frase, pode-se observar que o verbo “ter” se completa com o termo “lucro”, no caso, objeto direto da oração, sem a presença de preposição.

Contrapondo a esta ideia, o verbo transitivo será transitivo indireto quando o seu complemento (objeto indireto) for seguido de preposição.

Exemplo:

  • Manuela gosta de rosas.

Nesta frase, pode-se analisar que o verbo “gostar” se completa com os termos (de rosas), no caso, objeto indireto da oração, porque há presença da preposição (de).

Por sua vez, o verbo transitivo será transitivo direto e indireto quando apresentar dois complementos, ou seja, quando apresentar objeto direto e objeto indireto.

Exemplo:

  • Luís escreveu uma carta a Rute.

Nesta frase, pode-se observar que o verbo “escrever” se completa com dois elementos: objeto direto, elemento sem preposição, e objeto indireto, elemento com preposição. “Uma carta” é o objeto direto e “a Rute” é o objeto indireto, já que a preposição “a” antecede “Rute”.

Leia mais: 

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.