Zumbi e Dandara dos Palmares – Biografia dos guerreiros do maior quilombo do Brasil

Veja resumo da biografia de Zumbi e Dandara dos Palmares, dois líderes que lutaram contra a escravidão colonial no século 17 e são um marco do Dia da Consciência Negra.

0

Já ouviu falar em Zumbi dos Palmares? O nome desse guerreiro é muito lembrado no Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, data de sua morte que foi escolhida para representar a luta contra a discriminação racial no Brasil.

Como último líder do quilombo dos Palmares, e também o de maior relevância histórica, Zumbi foi um dos pioneiros na resistência contra a escravidão negra na América.

O nome de Dandara dos Palmares não é tão lembrado quanto o de Zumbi, mas ela também era uma guerreira estrategista e praticante de capoeira defensora do quilombo, esposa do líder e mãe de três filhos.

De acordo com poucas informações que se tem sobre sua história, ela teria cometido suicídio para não se entregar às forças de militares que atacavam o quilombo.

Para saber mais sobre o casal guerreiro de Palmares, acompanhe a biografia de Zumbi e Dandara dos Palmares a seguir:

Biografia de Zumbi dos Palmares (1655-1695)

Zumbi dos Palmares. Imagem reprodução.

Francisco Zumbi, mais conhecido como Zumbi dos Palmares, foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, que se situava na Serra da Barriga, na então Capitania de Pernambuco, região pertencente ao município de União dos Palmares, atualmente situado no estado de Alagoas.

 Zumbi dos Palmares nasceu no ano de 1655 em Alagoas, e, embora tenha nascido livre, foi capturado quando tinha por volta de sete anos de idade. Foi entregue a um padre católico, recebeu o batismo e ganhou o nome de Francisco.

Na vivência com o padre, ele aprendeu a Língua Portuguesa e a religião católica. Porém, aos 15 anos de idade, voltou para viver no Quilombo dos Palmares que foi atacado por soldados portugueses em 1675.

Zumbi é contra o acordo do então líder Ganga Zumba para tentar um acordo que admitia a liberdade dos quilombolas, mas não os negros da fazenda.

Segundo pesquisadores Ganga Zumba teria sido assassinado dando lugar a liderança de Zumbi que tinha 25 anos de idade, que comandava a resistência contra as tropas do governo, mostrando grande habilidade de planejamento e organização, coragem e conhecimentos militares.

Contudo, em 1694, os bandeirantes Domingos Jorge Velho e Bernardo Vieira de Melo organizam um grande ataque  que deixa ‘Cerca do Macaco’, a sede do quilombo, totalmente destruída.

Ferido, Zumbi consegue fugir, mas é traído por um de seus capitães, Antônio Soares, que o entrega às tropas bandeirantes. Em 20 de novembro de 1695, Zumbi é degolado pelo capitão Furtado de Mendonça, aos 40 anos de idade. 

O capitão foi premiado com cinquenta mil réis pelo monarca D. Pedro II de Portugal, após derrotar e matar Zumbi. A cabeça do guerreiro foi cortada, salgada e exposta em praça pública de forma a acabar com o mito da imortalidade de Zumbi.

Uma curiosidade é que nome “Zumbi” vem de “Zumbe” e tem origem no quimbundo, uma língua banta de Angola. O termo era adotado por todos os que já foram líderes do quilombo e faz alusão a seres espirituais, como fantasmas, espectros e duendes. Dessa forma, tinha o objetivo de indicar quem estava no comando do grupo e não se refere ao nome da pessoa em si.

Biografia de Dandara dos Palmares (? – 1694)

Dandara dos Palmares foi uma guerreira negra do período colonial do Brasil. Ela foi companheira de Zumbi dos Palmares e mãe de três filhos, dominava a capoeira e elaborou técnicas estrategistas para resistência a ataques ao quilombo dos Palmares no século XVII, em meio a vegetação densa da região.

Dandara dos Palmares - Biografia
Dandara dos Palmares – Imagem: Reprodução

Quase não existem dados sobre a vida de Dandara, há dúvida, por exemplo, se a guerreira nasceu no Brasil ou no continente africano e ainda lá quando menina teria se juntado ao grupo de negros que desafiavam o sistema colonial escravista por quase um século.

Segundo a antropóloga Maria de Lourdes Siqueira, professora aposentada da Universidade Federal da Bahia (UFBA) em entrevista sobre o tema para o jornal O Globo, “Dandara é a mais representativa liderança feminina na República de Palmares. Participou de todas as batalhas, de todas as lutas, de tudo o que lá foi criado e organizado, vivido e sofrido”.

A vida da guerreira teria tido fim em 6 de fevereiro de 1694 na capitania de Pernambuco. Dandara teria se jogado de uma pedreira ao abismo para não se entregar às forças militares que subjugaram o quilombo.

Curiosidades sobre Zumbi e Dandara dos Palmares

  • Na época de Zumbi, o Quilombo dos Palmares contava com uma população de cerca de trinta mil habitantes, o que fez dele o maior quilombo da América Latina;
  • Zumbi era conhecido também por sua severidade despótica com que que conduzia Palmares, onde havia, inclusive, um tipo mais brando de escravidão;
  • A etimologia da palavra zumbi vem do termo zumbe, do idioma africano quimbundo e significa fantasma, espectro, alma de pessoa falecida;
  • Em 2003 a Consciência Negra foi incluída no calendário nacional escolar e em 2011 a Lei n° 12.519 instituiu oficialmente o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra que é comemorada em 832 dos 5.570 municípios brasileiros, portanto em menos de 15% dos municípios.

Veja também: Projeto Consciência Negra para Educação Infantil e Ensino Fundamental

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.