Dia da Consciência Negra – 20 de novembro

Em homenagem ao líder quilombola Zumbi dos Palmares, o Dia Nacional da Consciência Negra relembra a importância histórica e cultural do negro na construção identitária do Brasil.

0

Comemorado no dia 20 de novembro, o Dia Nacional da Consciência Negra foi instituído oficialmente no dia 10 de novembro de 2011 pela Lei nº 12.519.

A data é uma homenagem à figura emblemática de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, principal refúgio de africanos que fugiam da escravidão em busca da liberdade. 

Zumbi foi morto no referido dia, no ano de 1695, por um grupo de bandeirantes sob as ordens de Domingos Jorge Velho.

A data é uma forma de reconhecer a luta do negro brasileiro e discutir os problemas que ainda são recorrentes na sociedade, como o racismo, discriminação, dificuldade de aceitação da cultura afro-brasileira e suas religiões, falta de inclusão de pessoas negras em diversas áreas da sociedade, marginalização e etc. 

Como surgiu o Dia da Consciência Negra

Como forma de relembrar as lutas e desafios enfrentados pela população negra no Brasil, no início dos anos de 1970, um grupo de quilombolas do Rio Grande do Sul instaurou o dia 20 de novembro como sendo o Dia da Consciência Negra. 

A ideia era homenagear o líder o Quilombo dos Palmares, Zumbi, morto no mesmo dia por tropas coloniais brasileiras no ano de 1695.

Posteriormente, no ano de 1978, no contexto da ditadura militar, em um congresso realizado pelo Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, a comemoração deixou de ser local e passou a ter importância nacional. 

Com a promulgação da Constituição de 1988, associado ao processo de redemocratização do Brasil, diversos grupos e movimentos sociais (inclusive o Movimento Negro) ganharam mais espaço em meio às tomadas de decisões e discussões políticas de âmbito nacional. 

Na mesma época, surgiram medidas de combate ao preconceito (como a Lei 7.716, de 5 de janeiro de 1989) e de inclusão, como a criação de cotas raciais nos setores da educação básica e superior. 

Além disso, no dia 9 de janeiro de 2003, foi instaurada a Lei nº 10.639 que estabeleceu o ensino da História e Cultura Afro-brasileira como parte do currículo escolar em todo o país.

Durante o mês de novembro, inúmeras atividades começaram a ser desenvolvidas nas escolas com o intuito de conscientizar a população e reforçar a importância dos negros na formação histórica, social e cultural do Brasil.

Mas foi de fato em 10 de novembro de 2011, durante o governo de Dilma Rousseff, que a data tornou-se oficial e feriado em alguns estados e municípios. Desse documento, também criou-se o “Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra”, mas sem a mesma força que sua gênesis.

Zumbi: símbolo de liberdade

Dia da Consciência Negra - Zumbi
Zumbi, líder quilombola anti-escravagista e símbolo da luta pelos direitos do negro no Brasil

Nascido e criado no Quilombo dos Palmares, localizado no estado de Alagoas,  Zumbi foi o último líder anti-escravagista que lutava pela libertação do seu povo. 

Recebeu educação de um sacerdote e anos mais tarde retornou ao seu local de nascimento. A partir desse período, iniciou sua ostensiva às forças colonizadoras que buscavam destruir o local e retomar os escravos fugidos.

Durante o período em que esteve ativo, o Quilombo dos Palmares chegou a abrigar entre 25 e 30 mil negros e, apesar de ser uma área de difícil acesso, o solo era rico em nutrientes e propício para o cultivo. 

Aos 40 anos de idade, no dia 20 de novembro de 1695, em combate com colonos portugueses, Zumbi foi morto e teve seu corpo exposto em praça pública como exemplo do que acontecia com negros de mal comportamento. 

Hoje em dia, a imagem do líder dos escravos representa a luta pela libertação e dos direitos afro-descendentes e tornou-se figura importante nas comemorações do Dia da Consciência Negra. 

Frases do Dia da Nacional da Consciência Negra

Veja algumas frases famosas que refletem o sentimento de luta dos direitos dos afro-descendentes, seja no Brasil ou em outras partes do mundo.

Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito. (Albert Einstein)

Nossa pretensão é de uma sociedade não racial. Não é uma questão de raça; é uma questão de ideias. (Nelson Mandela)

Não lutamos por integração ou por separação. Lutamos para sermos reconhecidos como seres humanos. (Malcon X)

O preconceito da raça é injusto e causa grande sofrimento às pessoas. (Voltaire)

Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele. (Martin Luther King Jr.)

Olha de novo: não existem brancos, não existem amarelos, não existem negros: somos todos arco-íris. (Ulisses Tavares)

Enquanto imperar a filosofia de que há uma raça Inferior e outra superior, o mundo estará permanentemente em guerra! (Bob Marley)

Veja também: 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.