Hans Arp

Pintor, escultor e poeta, conheça Hans Arp, um dos maiores representantes do movimento dadaísta. Conhecido também como Jean Arp, foi um dos pioneiros da arte abstrata.

Hans Arp foi um importante pintor, escultor e poeta franco-alemão. Considerado um dos principais representantes do dadaísmo, criou a técnica de relevos cromados e foi um dos pioneiros da arte abstrata.

É autor de importantes obras abstratas, tais como: Composição Abstrata, Cabeça com bigode, Configuração e Perigo da Morte.

Biografia

Hans Peter Wilhem Arp nasceu no dia 16 de setembro de 1886, em Estrasburgo, na França. Filho de pai alemão e mãe francesa, desde pequeno era fluente nas duas línguas.

Aos 14 anos, inscreveu-se na Escola de Artes e Ofícios em Estrasburgo, mas nunca chegou a ser bom aluno, visto que não se interessava pelas matérias curriculares.

Nesse período, teve aulas de desenho com Georges Ritleng. Arp era admirador da poesia alemã e publicou algumas obras literárias. Em 1904, foi morar em Paris, onde publicou suas primeiras poesias. Inscreveu-se na Academia Julian, escola privada de pintura e escultura.

Em parceria com Oscar Luthy e Walter, fundou o grupo de artistas suíços: Der Moderne Bund, e por meio dele conhece Kandinsky. Dois anos depois, já na Alemanha, estudou artes plásticas na Escola de Arte de Weimar.

Em 1915, durante a Primeira Guerra Mundial, foi morar na Suíça, onde casou-se com Sophie Taeuber. Na Suíça, em Zurique, foi um dos fundadores do movimento dadaísta. Participou em uma exposição dadaísta, com Baargeld e Max Ernst. Na exposição, conhece Breton, e se torna colaborador em inúmeras publicações de conteúdo vanguardista, com poemas e collages.

Em 1925, Hans Arp se junta a um grupo de surrealistas saídos do movimento dadaísta e expõe em Paris. Adquire nacionalidade francesa e adota o nome Jean Arp. Na década seguinte, foca seu trabalho na escultura.

A sua obra atinge a fama nas décadas de 1950 e 1960, quando expõe em Nova Iorque e Paris. Arp morre em 1966, aos 79 anos, na Suíça.

Estilo artístico de Hans Arp

Escultor, pintor, artista gráfico e poeta, Hans Arp buscou em sua arte a simplicidade e a pureza das formas. Pioneiro da arte abstrata, para ele, a expressão plástica do ser e do objeto era secundária, priorizava sempre a “forma pela forma”.

Arp buscou estratégias criativas semelhantes aos processos naturais, tais como: crescimento, gravidade, decadência e acaso. Na natureza, ele enxergava uma força maior do que no ser humano, frequentemente alvo de seu humor absurdista e sua arte irônica.

Suas obras foram voltadas sempre para o abstrato, alguns grafismos com relevo, formas geométricas. As principais características das obras de Arp são:

  • Versatilidade artística: trabalhos com diversas técnicas e materiais (bronze, madeira, mármore, tela);
  • Obras na perspectiva da abstração geométrica;
  • Objetos do cotidiano apresentados dentro de um contexto histórico;
  • Uso de técnicas de colagens e grafismos com relevo.

Dadaísmo

dadaísmo foi um movimento artístico pertencente às vanguardas europeias do século XX. Com caráter ilógico, anti-racionalista e de protesto, tinha o seguinte lema: “a destruição também é criação”. Por meio da ironia, tinha como objetivo questionar a arte.

Tristan Tzara, Hugo Ball e Hans Arp foram os criadores do movimento dadaísta. Artistas refugiados com tendências anarquistas, criam o movimento com intenção de chocar a burguesia e criticar a guerra, a arte tradicionalista e o sistema.

Seguindo o modelo ilógico e nonsense do movimento, o nome “dadaísmo” foi escolhido. Do francês, o termo “dadá” significa “cavalo de madeira”. Dessa forma, o dadaísmo é considerado um movimento antiartístico por questionar a arte e priorizar o caótico e a imperfeição.

Posteriormente, também tornam-se conhecidos os artistas dadaístasSalvador Dalí, Marcel Duchamp e Max Ernst. Do movimento, destacam-se as obras Fonte, de Duchamp, A Persistência da Memória, de Dalí e Ubu Imperator de Max Ernst.

Salvador Dalí
A Persistência da Memória (Salvador Dali – 1931).

Principais obras de Hans Arp

  • Auto-retrato (1904)
  • Três mulheres (óleo sobre tela de 1912)
  •  Forma (pintura em madeira de 1914)
  • Collage conforme as leis do acaso (1916)
  •  Tinta china (1917)
  •  Máscara de pássaro (pintura em madeira de 1918)
  •  Mala de um Da (1920)
  •  Busto-Figura (cartão recortado de 1923)
  • Papel rasgado (1934)
  •  Mão-Pé (1936)
  • Desenho com os dedos (1941)
  • Folhas Siamesas (gravura de 1949)
  • Bastidores de Bosque (pintura em guache de 1950)
  • Pastor de Nuvens (escultura em bronze de 1953)
  • Constelação de cinco formas (litografia de 1956)
  • Vênus de Meudon (escultura em bronze de 1956)
  • Coração de Asa espinhosa (escultura em bronze de 1958)
  • Inicial de uma folha (escultura em bronze de 1960)
  • Boneca (1962)
  • Torso-Jarrão (escultura em mármore de 1963)
  • Sol Circundado (collage de 1965)
  • O Dançarino da Lua (pintura de 1966)

Esculturas de Hans Arp

Hans Arp
Human Concretion, Hans Arp (1935)
Hans Arp
Sapato azul invertido com dois saltos apenas uma vez preto, Hans Arp (1925).
Hans Arp
Head and Shell, Hans Arp (1933)

Leia também:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More