Concretismo

Surgido na década de 1950, o concretismo buscava incorporar formas geométricas à arte. Conheça as manifestações concretistas na literatura, na pintura, entre outras expressões artísticas.

0

O que foi o concretismo? O concretismo foi um movimento artístico da década de 1950 que teve fortes influências do movimento abstracionista moderno.

A principal característica desse movimento é a abstração da arte por meio da incorporação de formas geométricas ao visual.

Surgido na Europa, o concretismo abrangeu a literatura, a pintura, a música, entre outras expressões artísticas. O Cubismo foi um movimento que marcou o Concretismo visto que, estabeleceu o quadro como estrutura para uma nova construção da realidade, vista por diferentes maneiras.

Os precursores mundiais do concretismo foram o suíço Max Bill e o russo Vladimir Mayakovsky. O movimento chegou ao Brasil, através de Max, por volta de 1950.

Características do concretismo

Na literatura, as principais características no concretismo são:

  • Valorização do conteúdo visual e sonoro;
  • Defesa da racionalidade;
  • Utilização de efeitos gráficos;
  • Sintaxe visual em detrimento da discursiva;
  • Eliminação da estrutura formal em versos e estrofes.

Já nas artes plásticas, as principais características são:

  • Busca de precisão nas formas;
  • Influência do Cubismo;
  • Uso de formas abstratas;
  • Defesa da racionalidade;
  • União entre a forma e o conteúdo.

Arte concretista

arte concreta surgiu na Europa, no início do século XX, com o objetivo de produzir obras que usassem elementos próprios das linguagens, por exemplo, planos e cores. Difundida em outras linguagens, passou a trabalhar com superfícies, silêncios, sons e enquadramentos cenográficos.

A primeira fase do movimento era marcada pelo uso de formas geométricas. A vanguarda russa, o construtivismo, o suprematismo, o neoplasticismo e Bauhaus são exemplos de movimentos que continham ideias da arte concreta em suas formas de expressão.

O termo arte concreta foi usado pela primeira vez por Theo van Doesburg, em Paris, no Manifesto da Arte Concreta. Por meio de um decreto, Theo defendeu os seguintes pontos:

  • A arte é universal.
  • A obra de arte deve ser inteiramente elaborada e formada pelo espírito antes de sua execução.
  • A técnica deve ser mecânica, ou seja, exata, anti-impressionista.
  • O quadro deve ser inteiramente construído com elementos plásticos: planos e cores.
  • A construção do quadro, assim como seus elementos, deve ser simples e controlável visualmente.
  • Deve-se haver um esforço pela clareza absoluta.

Concretismo no Brasil

No Brasil, esse movimento vanguardista chegou por volta de 1950, através do Suíço, Max Bill. No entanto, fixa-se no país apenas com a Exposição Nacional de Arte Concreta, em 1956, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Concretismo
Poema concretista de Décio Pignatari (1957).

O movimento concreto teve seu início na cidade de São Paulo, sendo liderado pelos poetas e irmãos, Augusto de Campos e Haroldo de Campos, e por Décio Pignatari. Conhecidos como Grupo Paulista, fundaram a Revista Noigandres (1952), divulgando as ideias atreladas ao concretismo.

Posteriormente, o grupo foi integrado por Ronaldo Azeredo e José Lino Grünewald. A partir de 1960, poetas e músicos do movimento, como Ferreira Gullar e Paulo Leminski, passaram a se envolver em temas sociais, dando surgimento a várias tendências pós-concretistas.

Literatura concretista

O poema concretista tem como principal característica o uso das disponibilidades gráficas das palavras, sem preocupações com a estética tradicional de começo, meio e fim. Sendo assim, é chamado de poema-objeto.

Dessa forma, a poesia concreta concebe apenas a palavra, ou seja, “a palavra-objeto”, sem preocupação com estruturas literárias como estrofes, versos e rimas.

A temática não é uma das maiores preocupações do concretismo visto que, o objetivo principal é criar uma nova linguagem mesclando forma e conteúdo. No entanto, alguns temas prevaleceram na poesia concreta, como críticas à sociedade capitalista e ao consumismo.

Poesia Concretista
Poema concreto de Augusto de Campos (1962)

Leia também: Poemas visuais – O que são, autores e exemplos

Pintura concretista

Como já mencionado, o termo arte concreta foi usado pela primeira vez por Theo van Doesburg. Theo, ao defender a arte como universal, abandou aspectos nacionais ou regionais das obras e se afastou inteiramente da representação da natureza.

Opondo-se as ao subjetivismo, rejeita o sensualismo e a arte como expressão de sentimentos. Linha, ponto, cor e plano são os principais elementos da pintura concretista.

A arte concreta também herdou elementos da Escola de Bauhaus, uma das pioneiras no design de móveis e de interiores. As esculturas funcionais da Bauhaus serviram de espelho para os projetos esculturais da arte concreta.

Pintura Concretista
Pintura concretista de Vicente de Mello (1952).
Pintura Concretista
Concreção, Luiz Sacilotto (1952).

Neoconcretismo

O neoconcretismo surgiu no Rio de Janeiro como resposta ao concretismo ortodoxo. Os neoconcretistas buscavam novos caminhos, defendendo que a arte não era era apenas um mero objeto. Segundo eles, a arte deve esbanjar sensibilidade, expressividade, subjetividade, muito além do apenas geometrismo puro.

Além disso, os neoconcretistas eram contra as atitudes cientificistas e positivistas na arte e defendiam o artista como criador, não apenas como mero reprodutor. Foi no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1961, que aconteceu a 1ª Exposição de Arte Neoconcreta.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.